Underlinux

De Wiki do texto Livre

Tabela de conteúdo

Produção de artigos para a Underlinux

Partindo do princípio de que cultura livre inclui a idéia de "livre de preconceitos" e de que Software Livre propõe a liberdade ao acesso cultural, pretende-se com o desenvolvimento deste trabalho investigar alguns aspectos referentes à democratização do acesso cultural, desde o ensino de arte a pessoas normais ou com alguma deficiência física ou emocional, até a acessibilidade de bens culturais à sociedade brasileira, enfatizando a questão do direito autoral. Para isso serão traduzidos artigos sobre software livre e correlatos para publicação na underlinux e produzidos textos que se relacionem ao tema da “cultura livre”. A proposta é unir teoria à prática com o intuito de participarmos do projeto voluntário do texto livre.

Equipe: Caroline Konzen, Fabiane Aguiar, Júnia Guedes, Paulo Gouveia, Oswald.

Site para pesquisa de notícias

Hebdolinux

Textos sendo trabalhados

Colocar o último texto sempre no topo, usando um sub-título com o título do artigo. É essencial colocar a fonte (URL original) do artigo e o nome do autor. Cada pessoa que modificar a revisão/tradução deve incluir seu nome em Texto Livre: fulano, beltrano, ciclano.


O software livre consegue sobreviver ao Congresso?

TEXTO ORIGINAL: http://www.gcn.com/blogs/tech/47100.html

Can open source survive Congress?

If the House's proposed 2009 Defense Department budget is any indication, Congress may want to see more open-source software (OSS) in defense systems.

The National Defense Authorization Act for Fiscal Year 2009 (H.R. 5658) includes language that calls for the services to consider open source software when procuring manned or unmanned aerial vehicles.

It's surprising to see a concept as technical as OSS in an actual congressional bill. But there it is. Whether it will remain in the final authorization is another question. The House's version of the bill was passed in May; This week, the Senate is debating its own version of the bill (S. 3001). When the two halves of Congress come together, will the open source language survive in the resulting authorization?

The Defense Department has been traditionally been somewhat wary of OSS, at least for official duties. So some feel the language could pave the way for greater acceptance within the Defense community.

To find the OSS reference, look to section 143 of the House bill, which calls for the Secretary of Defense to set a strategy for procuring manned and unmanned vehicle systems. Among the objectives listed is one listing "open source software code."

While the bill itself doesn't elaborate on the use of OSS, the House Armed Services Committee report accompanying the bill minces no words about the lawmakers' intentions (Warning: Link is to a nine megabyte PDF file). And while the language itself is confined only to aerial vehicles, the implications are clearly broader.

"The committee is concerned by the rising costs and decreasing security associated with software development for information technology systems. These rising costs are linked to the increasing complexity of software, which has also resulted in increasing numbers of system vulnerabilities that might be exploited by malicious hackers and potential adversaries," the report states, on page 275. "The committee encourages the Department to rely more broadly on [open-source software] and establish it as a standard for intra-Department software development."

“Obviously, we welcome the House’s encouragement of open source software use in the Department of Defense," Bill Vass, president and COO of Sun Microsystems Federal Inc., told us. "It is important to note that open-source software is not risky. By placing software code outside for all the world to see, security is not an issue as any security holes will be known to the public...and fixed by a community of millions. In short, open source will allow the Defense Department to increase security, reduce costs and increase the Department’s flexibility to deploy and retire customized IT solutions.”

Not everyone has been pleased with how the bill calls out open-source software by name, though. Analysts at the Business Software Alliance met with members of the committee to voice their concern that the bill unfavorably offers open-source software products an unfair competitive advantage over other commercial software, according to a BSA spokesperson who declined to be named.

It's worth noting, though, that the House Armed Forces Committee addresses the matter.

"The committee acknowledges the availability of proprietary software and encourages its development and acquisition as necessary and appropriate. The committee believes, however, the widespread implementation of an OSS standard will not only lead to more secure software, but will also foster broader competition by minimizing traditional constraints imposed by an overreliance on proprietary software systems," it stated.

So is OSS something that needs to be recognized by law? Or should it have to stand on its own merits entirely? Time will tell.


TEXTO TRADUZIDO POR FABIANE AGUIAR


O software livre consegue sobreviver ao Congresso?

Se o orçamento para 2009 do Departamento de Defesa proposto pela câmara servir como algum indicativo, o Congresso pode querer ver mais softwares de código aberto, ou software livre (também conhecido como OSS, do Inglês Open Source Software) em sistemas de defesa.

O Ato de Autorização da Defesa Nacional para o ano fiscal de 2009 (H.R. 5658) inclui uma linguagem que exige que se considere o software livre na obtenção de veículos aéreos tripulados e não-tripulados.

É surpreendente ver um conceito tão técnico quanto o software livre em um projeto de lei real do Congresso. Mas aí está. Se vai permancecer na autorização final é uma outra questão. A versão do projeto de lei pela Câmara foi aprovado em Maio; esta semana, o Senado está debatendo sua própria versão do projeto (S. 3001). Quando as duas metados do Congresso se unirem, será que a linguagem de software livre vai sobreviver na autorização final?

O departamente de defesa é por tradição, cauteloso com sotwares livres, pelo menos no que se trata de serviços oficiais. Deste modo alguns sentem que a linguagem de software livre poderia calçar o caminho para uma maior aceitação dentro da comunidade da Defesa.

Para encontrar a referência ao software livre, olhe na seção 143 do projeto de lei da Câmara, o qual requer a demanda da Secretaria de Defesa para estabelecer uma estratégia para obter sistemas de veículos tripulados e não-tripulados. Entre os objetivos listados se encontra uma listagem de “código de software livre”.

Enquanto o projeto de lei não aperfeiçoa o uso de software livre, o relatório do Comitê da Câmara das Forças Armadas que acompanha o projeto não mede palavras no que se refere às intenções dos criadores das leis. E enquanto a linguagem é limitado apenas a veículos aéreos, as implicaçoes são claramente mais abrangentes.

“O comitê está preocupado com o aumento dos custos e reduçao da segurança associados ao desenvolvimento de software para sistemas de informação e tecnologia. Estes aumentos nos custos estão ligados a complexidade crescente do software, o qual resultou também na ampliação no número de vulnerabilidades do sistema que possam ser explorados por hackers mal intencionados e adversários potenciais”, segundo o relatório, na página 275. “O comitê incita o Departamento a confiar mais plenamente no software livre e institui-lo como padrão para o Departamento de desenvolvimento interno de software.

“Obviamente, nós damos as boas vindas ao incentivo ao uso de software livre no Departamento de Defesa por parte da Câmara “, Bill Vass, presidente e chefe de operações da empresa Sun Microsystems Federal Inc., disse. “É importante mencionar que o software livre não é arriscado. Não é um problema de segurança ao colocar códigos de software para o mundo todo ver, como o é qualquer falha na segurança que será de conhecimento do público... e fixados por uma comunidade de milhões. Em suma, o uso de software livre permitirá ao Departamento de Defesa aumentar a segurança, reduzir os custos e ampliar a flexibilidade do Departamento para distribuir e retirar soluções customizadas em informação e tecnologia.

Nem todo mundo está satisfeito com o modo como o projeto convoca o software de código aberto, no entanto. Analistas na Aliança de Software Comercial se reuniram com membros do comitê para exprimir a preocupação de que o projeto de lei desfavorecidamente oferece aos produtos de software livre uma injusta vantagem na competiçao com outros softwares comerciais, de acordo com o porta voz da BSA (Aliança de Software Comercial) que não permitiu que seu nome fosse publicado.

Vale a pena mencionar, entretanto, que o Comitê da Câmara ds Forças Armadas se refere ao assunto.

“O Comitê tem conhecimento da disponibilidade do software privado e apoia seu desenvolvimento e aquisição quando necessário e apropriado. O comitê acredita, contudo, que a implementação difundida do software livre padrão vai não somente levar a um software mais seguro, como também promover maior competição ao minimizar restrições impostas por uma dependência exagerada dos sistemas de software privado”, declarou.

Então seria o software livre algo que precise ser reconhecido pela lei? Ou deveria permanecer por méritos próprios? Somente o tempo irá dizer.


Traduzido por Fabiane Aguiar.

A Filosofia Ubuntu

TEXTO ORIGINAL

Ubuntu Philosophy

Ubuntu is driven by a philosophy of software freedom that hope will spread and bring the benefits of software technology to all parts of the globe. The latest version of the Ubuntu Philosophy can be found at: www.ubuntu.com/ubuntu/philosophy


Free and Open Source Software Ubuntu is a community-driven project to create an operating system and a full set of applications using free and Open Source software. At the core of the Ubuntu Philosophy of Software Freedom are these core philosophical ideals:

1. Every computer user should have the freedom to run, copy, distribute, study, share, change, and improve their software for any purpose without paying licensing fees.

2. Every computer user should be able to use their software in the language of their choice.

3. Every computer user should be given every opportunity to use software, even if they work under a disability.

Ubuntu philosophy is reflected in the software produce and included in distribution. As a result, the licensing terms of the software distribute are measured against philosophy using the Ubuntu License Policy.

When you install Ubuntu almost all of the software installed already meets these ideals, and working to ensure that every single piece of software you need is available under a license that gives you those freedoms. Currently, Ubuntu make a specific exception for some "drivers" which are only available in binary form, without which many computers will not complete the Ubuntu installation. Ubuntu place these in a restricted section of your system which makes them trivial to remove if you do not need them.


Free Software For Ubuntu, the "free" in "free software" is used primarily in reference to freedom and not to pricealthough committed to not charging for Ubuntu. The most important thing about Ubuntu is not that it is available free of charge, but that it confers rights of software freedom on the people who install and use it. It is those freedoms that enable the Ubuntu community to grow, sharing its collective experience and expertise to improve Ubuntu and make it suitable for use in new countries and new industries.

Quoting the Free Software Foundation's "What is Free Software," the freedoms at the core of free software are defined as:

• The freedom to run the program for any purpose.

• The freedom to study how the program works and adapt it to your needs.

• The freedom to redistribute copies so you can help others.

• The freedom to improve the program and release your improvements to the public, so that everyone benefits.

Free software has been a coherent social movement for more than two decades. This movement has produced millions of lines of code, documentation, and a vibrant community of which Ubuntu is proud to be a part.


Open Source Open Source is a term coined in 1998 to remove the ambiguity in the English word "free." The Open Source Initiative described Open Source software in the Open Source Definition. Open source continues to enjoy growing success and wide recognition.

Ubuntu is happy to call itself Open Source. While some refer to free and Open Source software as competing movements with different ends, Ubuntu do not see free and Open Source software as either distinct or incompatible. Ubuntu proudly includes members who identify with both the free software and Open Source camps and many who identify with both. Source of Information : The Official Ubuntu Book

http://computingtech.blogspot.com/search?q=software


O TEXTO TRADUZIDO PELO TRADUTOR AUTOMATICO

Ubuntu é conduzido por uma filosofia do software livre que esperamos venha a propagação e trazer os benefícios da tecnologia de software para todas as partes do globo. A última versão do Ubuntu Filosofia pode ser encontrada em: www.ubuntu.com / ubuntu / filosofia


Software Livre e Código Aberto Ubuntu é uma comunidade de projecto orientado para a criação de um sistema operacional e um conjunto completo de aplicações que utilizem software livre e de código aberto. No centro do Ubuntu Filosofia do Software Livre são esses ideais filosóficos fundamentais:

1. Todos os usuários de computador devem ter a liberdade de executar, copiar, distribuir, estudar, compartilhar, modificar, e melhorar o seu software para qualquer finalidade sem pagar taxas de licenciamento.

2. Todos os usuários de computador deve ser capaz de usar seu software na língua da sua escolha.

3. Todos os usuários de computador devem ser dadas todas as oportunidades para utilizar o software, mesmo que estes trabalhos no âmbito de uma deficiência.

Ubuntu filosofia se reflecte na produção de software e incluídos na distribuição. Como resultado, os termos de licenciamento do software distribuir são medidas contra a filosofia usando o Ubuntu License Política.

Quando você instala Ubuntu quase todo o software instalado já responde a estes ideais, e trabalhando para garantir que cada peça de software que você precisa está disponível sob uma licença que lhe dá a essas liberdades. Atualmente, Ubuntu fazer uma excepção específica para alguns "drivers" que só estão disponíveis em forma binária, sem a qual muitos computadores não concluir a instalação Ubuntu. Ubuntu em um lugar desses restrito seção do seu sistema, o que torna trivial para removê-los se você não precisa deles.


Software Livre Para Ubuntu, a "livre" em "software livre" é utilizado, principalmente, em referência à liberdade e não a pricealthough empenhada em não cobrar pelo Ubuntu. A coisa mais importante sobre o Ubuntu não é que ela está disponível gratuitamente, mas que lhe confere direitos de software livre com o povo que instalar e usá-lo. Trata-se de permitir que essas liberdades que o Ubuntu comunidade a crescer, partilhando a sua experiência colectiva e de conhecimentos especializados para melhorar a Ubuntu e torná-lo adequado para utilização em novos países e novas indústrias.

Citando a Free Software Foundation's "O que é Software Livre," as liberdades no centro do software livre são definidos como:

• A liberdade de executar o programa para qualquer finalidade.

• A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lo às suas necessidades.

• A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar os outros.

• A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos ao público, para que todos os benefícios.

Software livre tem sido um movimento social coerente por mais de duas décadas. Este movimento tem produzido milhões de linhas de código, documentação, e uma vibrante comunidade de Ubuntu que tem orgulho de ser uma parte.


Open Source Open Source é um termo cunhado em 1998 para eliminar a ambiguidade do Inglês palavra "livre". O Open Source Software Open Source Initiative descrito no Definição Open Source. Open source continua a desfrutar de grande sucesso e reconhecimento crescente.

Ubuntu é feliz para se Open Source. Enquanto alguns referem-se a software livre e de código aberto como competir com movimentos diferentes fins, Ubuntu não vir Software Livre e Código Aberto, quer se distintos ou incompatíveis. Ubuntu orgulhosamente inclui membros que identifiquem com tanto o software livre e de Open Source e muitos campos que identificam com ambos.

http://translate.google.com/translate_t#


VERSAO REVISADA PARA PUBLICACAO


Ubuntu é conduzido por uma filosofia do software livre que pretende propagar e trazer os benefícios da tecnologia de software para todas as partes do globo. A última versão do Ubuntu Filosofia pode ser encontrada em: www.ubuntu.com / ubuntu / filosofia

Software Livre e Código Aberto Ubuntu é uma comunidade de projecto orientado para a criação de um sistema operacional e um conjunto completo de aplicações que utilizem software livre e de código aberto. No centro do Ubuntu Filosofia do Software Livre são esses ideais filosóficos fundamentais:

1. Todos os usuários de computador devem ter a liberdade de executar, copiar, distribuir, estudar, compartilhar, modificar, e melhorar o seu software para qualquer finalidade sem pagar taxas de licenciamento.

2. Todos os usuários de computador devem ser capazes de usar seu software na língua da sua escolha.

3.À todos os usuários de computador devem ser dadas todas as oportunidades para utilizar o software, mesmo que estes trabalhos tenham alguma deficiência.

GENTE, ESTOU COM DÚVIDA NESTE ITEM 3, ME AJUDEM! VAMOS TERMINAR DE REVISAR JUNTOS?

ACHO QUE O CORRETO É À todos os usuários de computador devem ser dadas todas as oportunidades para utilizar o software, mesmo que estes tenham alguma deficiência. >>> Os usúarios que têm deficiências também tem direito a usar o software como qualquer outro usuário, não é isso??? (Fabiane)

Texto Livre: Caroline Konzen Publicado: http://under-linux.org/9031-filosofia-ubuntu.html

Direito Autoral

TEXTO ORIGINAL

Copyleft Has no Impact on Project Activity?! Sep 10, 2008, 20 :31 UTC (2 Talkback[s]) (1043 reads) (Other stories by Terry Hancock)


"One of the fundamental ideas in free software circles is that copyleft—the requirement that improvements to free software remain free to the community—is essential (or at least very important) for ensuring that the public good of free software production isn’t co-opted and privatized (“hijacking” I like to call it, in response to those who dub copyright infringement “piracy”). However, while this sounds good in theory, it’s a challenge to prove it quantitatively."

http://www.linuxtoday.com/news_story.php3?ltsn=2008-09-10-025-35-OS-CY-LL

O TEXTO TRADUZIDO PELO TRADUTOR AUTOMATICO

Copyleft não tem nenhum impacto na atividade do projeto?! Setembro 10, 2008, 20: UTC 31 (Talkback 2 [s]) (1043 lêem) (Outras histórias por Terry Hancock) " Uma das idéias fundamentais em círculos do software livre é essa exigência do copyleft-the que as melhorias ao software livre permanecem livres ao comunidade-estão essenciais (ou pelo menos muito importantes) para se assegurar de que os bens do público da produção do software livre não estejam cooptados e não estejam privatizados (pirataria da violação dos direitos de autor do “desvio de avião” eu gosto dos chamar, em resposta àqueles que dublam “"). Entretanto, quando este soar bom na teoria, é um desafio para prová-la quantitatively."

http://babelfish.yahoo.com/translate_txt

VERSAO REVISADA PARA PUBLICACAO

Copyleft não tem nenhum impacto na atividade do projeto?! 10 de Setembro , 2008, 20: UTC 31 (Talkback 2 [s]) (1043 lêem) (Outras histórias por Terry Hancock) " Uma das idéias fundamentais em círculos do software livre é que o copyleft - a exigência de que as melhorias para o software livre permanecer livre para a comunidade - é essencial (ou pelo menos muito importantes) para se assegurar de que os bens público do software livre não sejam cooptados e nem privatizados ( "Seqüestro", eu gosto de chamar isso, em resposta àqueles que driblam a infracção dos direitos autorais, "pirataria").Entretanto, apesar de soar bem na teoria, é um desafio para prová-la quantitivamente."

Negrito é dúvida!

Oswald

Acho que “sequestro” é como eu gusto de chamar, em resposta àqueles que infringem as leis autorais com “pirataria” seria mais adequado... (Fabiane)

Publicado: http://under-linux.org/9129-a-licenca-tem-impacto-na-atividade-do-projeto.html

Ferramentas pessoais
Textolivre