XIevidosol/Resumos

De Wiki do texto Livre

Resumos

Índice

As redes sociais como auxílio na comunicação de alunos de graduação em Educação Física no município de Itaperuna- RJ

Trilha: Comunidades Virtuais

Érica Pereira Neto
Márcio Cabral da Silva


Este estudo visa investigar a formação dos estudantes do curso de licenciatura em Educação Física para a temática rede social, que é uma ferramenta para apoiar a aprendizagem. Os recursos oferecidos pelas redes sociais permitem uma maior comunicação e trocas de informação entre os usuários, auxiliando assim na educação. Para a coleta dos dados desta pesquisa foi utilizado como instrumento, um questionário semi-estruturado e adaptado de 10 perguntas fechadas. A amostra foi composta por 59 estudantes do curso de Licenciatura de Educação Física. A análise e interpretação dos dados foram feitos através da estatística descritiva identificando o percentual da opinião dos estudantes. Concluiu-se que, as redes sociais podem ser melhor utilizadas para a formação dos estudantes pesquisados, visto que apenas 29% participam de algum Grupo Virtual relacionado a sua formação acadêmica e destes apenas 33% em sites especializados da área. Com relação à comunicação entre a Instituição e os estudantes, os resultados mostraram de que ainda é precária sendo que apenas 55% da amostra percebem que existe e recebe algum tipo de informação da Instituição. 75% da amostra utilizam a Internet diariamente, sendo que o objetivo para 85% desta utilização é para ter acesso ao Facebook. O principal objetivo da utilização das Redes Sociais é “conversar com os amigos” para mais da metade dos estudantes e para ter contato com os professores é apenas 4%. Sugerindo-se a implantação de rotinas organizadas da Instituição e Professores para favorecer o processo de ensino-aprendizagem.


ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA EM CURSOS DE GRADUAÇÃO PRIVILEGIADOS PELA EaD

Trilha: Ensino na Internet

Lenise Dutra


O ensino de língua portuguesa em cursos de graduação, privilegiados pela modalidade EaD, tem exigido um olhar mais atento no que diz respeito às metodologias e aos mecanismos de ensino/aprendizagem. Uma proposta de nova metodologia se faz presente neste trabalho cujo objetivo é discutir e apresentar recursos outros no auxílio ao ensino da disciplina em questão, a fim de argumentar que, na contemporaneidade, os professores de língua materna devem estar preparados para entender as novas formas de interação social suscitadas pelas tecnologias digitais - novos espaços e metodologias diferenciadas no que diz respeito ao desenvolvimento de habilidades e competências precisam ser desenvolvidos. Por conseguinte, observamos a necessidade de mudanças na formação docente. Para tanto, a pesquisa traça um pequeno recorte na importância de novos recursos de aprendizagem na construção do conhecimento, em função das exigências que a informação e a comunicação têm exercido no contexto do ensino a distância; valhe-se dos conceitos de rede sociais e sua relevância no processo de aprendizagem na modalidade a distância. O objeto deste estudo é o resultado do envolvimento com a educação em diferentes momentos e contextos e, principalmente, de práticas educacionais enquanto formadora de professores de língua portuguesa em cursos de licenciatura. Objeto esse que emerge de preocupações acerca da formação desses profissionais frente aos inúmeros desafios colocados pela sociedade atual, no sentido de como lidar com o conhecimento num contexto de informação imediata.


A disciplina de Libras na EAD no curso de Pedagogia da UFJF: o moodle como recurso didático.

Trilha: Ensino na Internet

Camila Ribeiro Lisboa Ferreira


Neste trabalho, apresentamos como o Moodle enquanto recurso didático proporciona o aprendizado das noções básicas para a comunicação e a interação com Surdos falantes de Libras. Para identificar a organização da disciplina de Libras no Moodle, conhecer as diferentes atividades propostas, reconhecer como cada atividade proporciona o aprendizado da Libras e elencar as contribuições da disciplina de Libras no Moodle, utilizamos como referenciais teóricos: Bruno (2010), Teixeira (2010) e Mattos (2011), no que tange a Educação a Distância. E no que se refere à Libras, contamos com Brito (1995), Quadros, (2004; 2007) e Lacerda (2009). Tais referenciais teóricos nos possibilitaram desenvolver este trabalho na interface educação à distância/ Libras. Analisamos a disciplina de Libras no Moodle na turma do primeiro semestre de 2011 do pólo de Ilicínea (UAB 1). Apresentamos (i) a organização da disciplina; (ii) exemplos de atividades; (iii) o aprendizado da Libras a partir das atividades evidenciadas e (iv) as contribuições da disciplina na formação de professores. Concluímos que a disciplina de Libras oferecida em um ambiente virtual de ensino aprendizagem proporciona o aprendizado das noções básicas de uma língua gesto-visual, a Libras, potencializando estratégias e possibilidades de abordagem.


A ESCRITA EM SUPORTES DIFERENTES: FOLHA DE PAPEL E CELULAR

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Edneia Aparecida Bernardineli Bernini


Mesmo ouvindo-se um discurso de que os alunos não leem, nem escrevem, podemos observar que as leituras e escritas que fazem é que são diferentes daquelas esperadas, principalmente, por professores. Pensando nisso e motivada por algumas vozes de alunos sobre o uso do celular na escola, organizamos uma atividade com este equipamento eletrônico. Num primeiro momento foi proposto aos alunos que produzissem uma mensagem qualquer pelo celular e enviassem a um amigo; depois, produzissem uma mensagem seguindo um comando pela professora. Num segundo momento, foi proposto que eles reescrevessem a mesma mensagem, agora em outro suporte, folha de papel. Na sequência foi pedido para que os alunos analisassem a própria escrita, mediante conhecimentos linguísticos, e justificassem a diferença de escrita entre esses suportes. O objetivo foi que observassem as várias possibilidades da língua e a diferença de suas escritas conforme suportes diferentes, além de analisar o próprio domínio (ou não) da linguagem. Pudemos observar que o celular pode ser um recurso aproveitável em sala, tanto para comunicação entre os alunos – avisar de atividades desenvolvidas em sala para um aluno que tenha faltado, por exemplo; como para a produção escrita.


A FERRAMENTA WINK E O MODELO “SALA DE AULA INVERTIDA” APLICADOS AO ENSINO DE PROGRAMAÇÃO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Cristiano da Silveira Colombo
Nilson Sergio Peres Stahl
Sandra Schröetter
Camila Peixoto Fagundes Ramos Duncan


Neste trabalho utiliza-se de novas metodologias de ensino, apoiadas por ferramentas computacionais, para contribuir na melhoria do aprendizado dos alunos do Curso Técnico em Informática do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), Campus Cachoeiro. Com o objetivo de tornar as aulas atraentes, objetivas e com o foco no aluno, recorre-se ao modelo Flipped Classroom (sala de aula invertida). Este modelo promove uma organização curricular diferenciada, que permita ao aluno o papel de sujeito de sua própria aprendizagem e mantém o papel do professor como mediador entre o conhecimento elaborado e o aluno. Objetos de aprendizagem foram criados com o auxílio da ferramenta Wink, para contemplar o conteúdo da disciplina Técnicas de Programação. Espera-se neste trabalho, comprovar que a implementação do modelo do Flipped Classroom, com base na utilização de OAs, que o processo de ensino aprendizado dos alunos foi melhor que o processo tradicional, centralizado no professor.


A GRAMÁTICA E O GRAMÁTICO NA MÍDIA: CITAÇÕES E FÓRMULA DISCURSIVA EM TÍTULOS DE ENTREVISTAS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Agnaldo Almeida


O trabalho ora proposto tem como objetivo analisar os efeitos de sentidos entre locutores emergentes em títulos de entrevistas com o gramático Evanildo Bechara. Desse modo, averiguamos como a instituição midiática formula seus enunciados a fim de obter a adesão de um público leitor e instituir um determinado sentido (e não outros) ao que é enunciado, pois há uma necessidade de transparência dos sentidos e dos sujeitos. Porém, ambos não são transparentes, uma vez que são determinados historicamente: são opacos e possuem uma materialidade constitutiva. Respaldamo-nos, assim, nos pressupostos teóricos da Análise do discurso de linha francesa. Portanto, podemos constatar que nos títulos, por meio de citações e fórmulas, há uma materialização de sentidos que retoma formulações cristalizadas no que concerne à significação do gramático e da gramática em nossa sociedade.


A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS NOS PROTESTOS URBANOS, DA REDE ÀS RUAS

Trilha: Cultura Livre

Irley David Fabricio da Silva


O trabalho tem como objetivo compreender a articulação dos protestos sociais viabilizados pelas redes sociais digitais e presenciais, observando esse fenômeno como extensão da experiência democrática, exercício da cidadania, dos direitos e garantias fundamentais. Tudo isso é muito recente e os seus desdobramentos e consequências sociais, econômicas e políticas vão depender da maneira como os indivíduos, atores em rede, eleitores, cidadãos, consumidores farão uso das novas redes sociais colaborativas, participativas. Tal condição – evidentemente – apresenta novos desafios e exige novos sistemas de resposta que podem trazer elementos para enfrentarmos as complexidades do contexto sociopolítico, cultural e técnico-comunicacional contemporâneo. Apontamos os movimentos sociais ocorridos recentemente no Brasil como elemento evidente da sinergia entre tecnologia, sociedade e democracia.


A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOTÍCIA SATÍRICA

Trilha: Jornalismo na Internet

Emanoel Barbosa de Sousa
Maria Lourdilene Vieira Barbosa


Considerando os elementos responsáveis pela interpretação da ação realizada com um gênero, discutimos sobre a importância de analisarmos, além da forma e da substância do gênero, outros elementos contextualizadores, como a situação, o usuário e o suporte ou lugar onde se realiza a ação. Neste trabalho, analisamos mais especificamente a importância do suporte para a interpretação da ação social realizada pelo gênero notícia satírica, através da análise de uma notícia satírica, que teve grande repercussão nas redes sociais, publicada no blog Joselito Müller - Jornalismo destemido. Tomamos por base, principalmente, a definição tipos relativamente estáveis de enunciados, de Bakhtin (1997 [1979]), de gênero como ação social, de Miller (2009 [1984]), e a definição de suporte, apresentada por Marcuschi (2003). Concluímos que a mudança de suporte pode gerar transtornos na interpretação da ação realizada por meio da notícia satírica, o que nos permite afirmar que o suporte também significa, nesse caso, é relevante para a definição do caráter realista ou satírico de uma notícia.


A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS, A PARTIR DA ESCOLA

Trilha: Inclusão digital

Julio Cezar Matos Pereira


Este artigo que apresento ao XI Encontro Virtual de Documentação em Software Livre (EVIDOSOL) e VIII Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia online (CILTEC-online) é um recorte de minha dissertação de Mestrado “Os impactos na vida dos educandos da Educação de Jovens e Adultos a partir do acesso à informática na escola ” (PEREIRA, 2011), realizada através da Faculdade de Educação (FaE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), defendida em agosto de 2011. A pesquisa foi realizada com educandos da Educação de Jovens e Adultos de uma escola da Rede Municipal de Belo Horizonte e teve como principal objetivo investigar se houve impactos positivos e negativos à vida deles depois que passaram a ter acesso às Tecnologias da Informação e Comunicação, por meio da prática pedagógica na instituição escolar. Os educandos foram observados e entrevistados para se tentar saber se as aulas de Informática na escola trazem alguma mudança em relação ao seu convívio social, às amizades, à família, à cultura, às questões profissionais ou educacionais etc. Os procedimentos metodológicos utilizados foram de cunho qualitativo. O artigo que apresento a este congresso traz um recorte da minha pesquisa, no eixo temático da inclusão digital, em que faço uma discussão sobre o tema e trago trechos de entrevistas e algumas das conclusões da dissertação. PALAVRAS-CHAVE: Inclusão digital; EJA; Tecnologias da Informação e Comunicação.


A LINGUAGEM HÍBRIDA NO BALÉ GISELLE

Trilha: Cultura Livre

Caroline Konzen Castro


Este trabalho propõe uma análise da linguagem híbrida presente em duas cenas do balé Giselle,publicadas no youtube: a cena da loucura da protagonista Giselle, no primeiro ato, e a cena em que Giselle protege Albert da perseguição das Willis, no segundo ato. Ambas são encenadas pela companhia de balé inglesa The Royal Ballet. Para a análise será traçado um dialogo entre as Matrizes da Linguagem e Pensamento e o conceito de Hibridismo, propostos por Lucia Santaella, tendo em vista que a hibridez de linguagens presentes nas cenas proporciona uma expressividade dramática muito intensa que causa efeitos de sentidos significativos no espectador.


A REDE SOCIAL FACEBOOK COMO EXTENSÃO DA SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA

Trilha: Ensino na Internet

Joyce Vieira Fettermann


A vida na sociedade contemporânea requer mudança de pensamento, de comportamento social, dos modos de ensinar e também de aprender. Vive-se em uma época em que as informações estão disponíveis em qualquer lugar, a qualquer hora, bastando ter acesso à Internet e às diversas ferramentas que facilitam a conexão com ela. Por consequência disso, torna-se cada vez maior e mais frequente o número de estudantes imersos no mundo do acesso coletivo nas redes sociais virtuais, ampliando sua comunicação com grupos de variados interesses, como jogos, música, viagens, aprendizado de línguas, trabalho, entre outros. Nesse sentido, busca-se com esta pesquisa demonstrar que é possível tornar essas redes, espaço digital tão utilizado atualidade, uma extensão da sala de aula. O aporte teórico em que se baseia este estudo, portanto, compreende leituras de pesquisadores como Krashen (1982), Larsen-Freeman (1986), Almeida Filho (1998), Kenski (2007), Leffa (2008) e outros, tão relevantes para o contexto estudado.


Análise sobre o ensino de línguas em ambientes virtuais gamificados

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Gerson Bruno Forgiarini de Quadros


A aprendizagem baseada em games se consolida cada vez mais no cenário educacional brasileiro. Ainda com certas limitações, o ensino de idiomas vem ocupando novos espaços além das salas de aulas das escolas e cursos especializados de idiomas. Os tablets e smatphones vêm se tornando campo fértil para quem deseja estudar uma língua estrangeira. Nesse sentido, o presente estudo apresenta uma análise de um ambiente virtual de ensino de inglês baseado no conceito de gamificação conhecido por Duolingo. Segundo a literatura dessa área os elementos de games envolvidos nesse processo de construção do conhecimento linguístico estão fundamentados numa mudança de comportamento dos estudantes. Os jogos provocam no aprendiz uma sensação de diversão, propiciando um ambiente agradável para a aprendizagem. A partir desse sistema gamificado, três elementos são considerados: motivação, habilidade e a aprendizagem. Uma análise preliminar atesta que os recursos disponíveis no referido ambiente virtual são fáceis de serem acessados pelos estudantes e os elementos de jogos como os pontos, medalhas e rankings os mantêm envolvidos por mais tempo nas atividades de aprendizagem, como num jogo de videogame onde o desejo de ser o melhoro está engendrado nos desafios do jogo.


ANOTAÇÃO SEMÂNTICO-DISCURSIVA DE VERBOS PARA O PROCESSAMENTO DE LINGUAGEM NATURAL: TRAÇOS ASPECTUAIS E MODAIS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Flávia Regina de Santana Evangelista
REBECA RODRIGUES DE SANTANA
RAQUEL MEISTER KO FREITAG


Atualmente, na área do processamento da linguagem,embora a anotação morfossintática tenha taxa de produtividade alta, ainda há categorias gramaticais, como os verbos, que necessitam de uma anotação linguística mais detalhada, dada a complexidade de valores semântico-discursivos envolvidos. Dando continuidade ao processo de anotação de verbos do português (FREITAG; CUNHA; EVANGELISTA; SANTANA, 2013), neste trabalho apresentamos os procedimentos de elaboração de uma árvore de decisão para a anotação das categorias de tempo, aspecto e modalidade dos verbais. Tal árvore possibilitará a anotação de corpus com etiquetas semânticas para verbos, contribuindo com o aprimoramento do processamento automático do português em ferramenta eletrônica.


Aplicativos Educacionais Livres para Mobile Learning

Trilha: Divulgação de Software Livre

Rafaela Melo


Este artigo consiste na discussão sobre as possibilidades e os desafios que os dispositivos móveis apresentam para aprendizagem móvel a partir do no levantamento e identificação dos aplicativos educacionais livres para uso em dispositivos móveis disponíveis no repositório FOSS Apps para Android (F-Droid), como proposta de apoio e promoção da aprendizagem móvel mediada por tecnologias livres. Os dados referentes aos aplicativos coletados foram sistematizados, categorizados, catalogados e apresentados a partir dos níveis de ensino aos quais os aplicativos são indicados, as áreas de conhecimento que contemplam e as possibilidades didáticas que estes oferecem. Esperamos que este trabalho inicial venha a contribuir para fomentar discussões e construção de mais propostas didáticas para aprendizagem móvel com tecnologias livres, visando maior democratização do acesso à educação e ampliação de espaços e possibilidades de aprendizagem.


APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: PERSPECTIVAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA

Trilha: Ensino na Internet

Fabiana Pinto de Almeida Bizarria


Este artigo objetiva analisar a Educação a Distância (EaD) como estratégica de educação continuada em processos de aprendizagem organizacional. Para tanto, busca-se fundamentos nos seguintes marcos referencias: EAD, aprendizagem organizacional e competência organizacional de forma a identificar as interseções nestes processos e abordagens, no sentido de produzir um diálogo relevante para a introdução da EaD nos processos formativos. Portanto, caracteriza-se como um ensaio teórico na busca de aprofundamento sobre a Educação a Distância (EaD) e aprendizagem organizacional. Como principais considerações finais, aponta para o crescente uso da EAD na educação continuada de profissionais em organizações, bem como ressalta a pertinência da modalidade de EAD para o desenvolvimento de competências sociais e pessoais específicas e fundamentais para o profissional inserido numa sociedade em constante mudança.


APROXIMAÇÕES DO ENSINO A DISTÂNCIA COM O ENSINO PRESENCIAL: UMA NECESSIDADE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Cibele Hechel Colares da Costa


O presente trabalho busca demonstrar como alguns projetos de extensão desenvolvidos na Universidade Federal do Rio Grande – FURG, vêm contribuindo para a prática dos docentes dessa universidade, os quais formam novos docentes, visto que o foco dos projetos aqui discutidos é para professores de cursos de licenciaturas. Nessas formações o objetivo principal é mostrar a esses professores como as ferramentas, em geral, utilizadas no ensino a distância apenas, podem ser utilizadas também no ensino presencial a fim de contribuir para que suas aulas sejam mais dinâmicas e despertem a atenção dos alunos em formação docente. As ações dos projetos se dão em formato de oficinas que possibilitam ao corpo docente das licenciaturas da FURG conhecer as TDICs e realizar práticas com as mesmas, para que venham a replicar os conhecimentos adquiridos em suas salas de aula. Bem como também referem-se a produção de material digital para os professores utilizarem em suas aulas.


As Contribuições das TDICs para o Ensino de Línguas Estrangeiras

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Layanna Martha Pires de Araujo
Silvania Capua Carvalho


O presente artigo visa mostrar como as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação, as TDICs, podem contribuir para a prática docente no ensino de línguas estrangeiras. Para isso buscou-se mostrar a relevância das TDICs na Educação a partir de uma pesquisa bibliográfica apoiada nos seguintes teóricos: Moran (2006), Feital (2006), dentre outros. Em seguida, foi feita uma coleta de dados acerca de algumas ferramentas digitais que podem ser utilizadas nas aulas de língua estrangeiras. Logo após, testamos as ferramentas selecionadas e, algumas delas, descrevemos e sugerimos como podem ser utilizadas a favor do ensino de línguas na e fora da sala de aula.


As novas tecnologias no cotidiano dos professores de português: um relato sobre os desafios do projeto PIBID na região do baixo Tocantins paraense

Trilha: Ensino na Internet

Cristiane Dominiqui Vieira Burlamaqui
Benedito de Jesus Serrão Rodrigues
Rosilda Acedo Balieiro


Nesta comunicação os bolsistas do Programa Institucional de Bolsa a Iniciação a Docência pela Universidade do Estado do Pará relatarão os desafios de fomentar nas escolas o subprojeto “A tecnologia da informação e comunicação no ensino básico: o ensino de português mediado pelo computador”. Este propõe uma análise crítica reflexiva sobre a relação entre sujeito, linguagem e contexto social problematizando a inclusão das novas tecnologias da informação e comunicação no ensino e aprendizagem da língua portuguesa na educação básica. Entre os vários desafios enfrentados, está a formação teórica, a qual pretende dar suporte para as reflexões, de um lado, acerca das complexas relações de poder e, de outro, das representações simbólicas presentes no espaço em que o projeto será desenvolvido. Para dar conta de tal problemática, os bolsistas apresentarão de que maneira a linguística aplicada e seus contingenciais diálogos com as ciências humanas, a sociologia e a teoria do discurso (CASTELLS, 2005; MAGALHÃES & STOER, 2003; RAJAGOPALAN, 2003; ROJO, 2013) vem propondo “criar inteligibilidade sobre problemas sociais em que a linguagem tem um papel central” (MOITA LOPES, 2008, p. 14) e, no contexto do projeto, como tais teorizações estão sendo utilizadas na construção dos paradigmas que orientam as ações ao decorrer do projeto e visam romper com o modelo de intervenção didática e formação escolar cristalizados pela escola tradicional e positivista.


AS REDES SOCIAIS E AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM COLABORATIVA

Trilha: Ensino na Internet

Jefferson de Oliveira Balduino
Karine Lôbo Castelano
Jame de Oliveira Balduino


Este estudo trata-se de um projeto de pesquisa em andamento que busca garantir um espaço de reflexão e ação com base nas principais características das redes sociais: interação, colaboração e conhecimento, quando observadas no processo de ensino/aprendizagem. Nosso objetivo é aplicar os métodos de aprendizagem, integrando a tecnologia, a ciência e o conhecimento teórico com a prática dos alunos dos Cursos Técnicos do Instituto Federal Fluminense (IFF) – Campus Itaperuna. Para atingir os objetivos desta pesquisa, além de se estudar as tecnologias de informação e comunicação (TICs), também será necessário pesquisar as várias redes sociais voltadas para a educação a fim de saber qual poderia se enquadrar melhor no que diz respeito aos seguintes quesitos: ensino, aprendizagem, conectividade e conhecimento. A partir do levantamento bibliográfico realizado e da prática dos educandos, acreditamos que estes poderão conhecer, além do conteúdo técnico, conceitos relacionados à gestão de equipe, liderança, responsabilidade, ética, criando habilidades e capacidades importantes para o aprendizado do aluno, com o intuito de colaborar com o processo de construção do conhecimento.


Big Data e segurança

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Antonio Wilson Nogueira Filgueiras
Daniela Martins Sampaio
Jadison Leite Brandao
Harlen Pereira
Nilson Ned Corrêa


Esse artigo tem como objetivo realizar um estudo sobre o Big Data, fenômeno premente do mundo moderno causado pelo excesso de dados da sociedade da informação. Sabe-se que na sociedade atual e com os grandes avanços da tecnologia houve uma crescente quantidade de dados digitais, segundo a IBM, em 2008 foram produzidos cerca de 2,5 quintilhões de bytes todos os dias,surpreendentemente 90% dos dados do mundo foram criados nos últimos dois anos decorrente a adesão das grandes empresas a internet, como exemplo as redes sociais, dados de GPS, dispositivos embutidos e móveis. Uma das barreiras encontradas na expansão de dados é a falta de armazenamento, sendo assim necessário a criação de Data Center específico para o armazenamento em massa de dados, sendo que o Big Data vem para suprir, de certa forma, essa necessidade com o conceito de oferecer, agregar e tirar conclusões de dados até então espaços.


BITCOIN: O DINHEIRO COM TECNOLOGIA DE FONTE ABERTA EM REDE PONTO-A-PONTO

Trilha: Divulgação de Software Livre

FABIO MACHADO DE OLIVEIRA


Esse trabalho apresenta uma tecnologia de rede ponto-a-ponto que está em crescente consolidação, um sistema eletrônico de pagamento que usa um protocolo de criptografia aberto para validar suas transações, denominado Bitcoin, tendo este uma proposta de virtualização completa da moeda excluindo a participação de instituições certificadoras como governos e órgãos financeiros nas garantias de operações virtuais com dinheiro real. Em seguida são apresentados os artefatos tecnológicos que sustentam a eliminação do intermediário confiável e suas taxas de cobrança na mediação de pagamentos online. Apoiado em teóricos como: Satoshi Nakamoto, Jack Weatherford e outros, iremos abordar questionamentos a respeito da aceitação e adesão ao Bitcoin nas diversas perspectivas impactadas com essa nova tecnologia, principalmente em países que enfrentam inflação e crises financeiras. Observar o fenômeno de flutuação sempre crescente da cotação do Bitcoin, bem como, os agentes externos que influenciam nessas oscilações. Contribuir para a formação de uma consciência holística dessa nova tecnologia, que encontra fomento na sociedade em rede e que a cada dia está mais conectada foi o principal sentido desse trabalho, contribuindo para o avanço da fronteira do conhecimento no ciberespaço e a constante conquista de consciência e cidadania na internet.


CATEGORIZAÇÃO DAS EDIÇÕES COLABORATIVAS EM PÁGINAS WIKI

Trilha: Blogs e Wikis

Francis Arthuso Paiva
Léa Dutra Costa


Neste artigo apresentamos a pesquisa realizada ao longo do ano de 2013 com a finalidade de categorizar as contribuições feitas em páginas do servidor www.wikia.com. Os artigos selecionados foram retirados de wikis provenientes de projeto de ensino desenvolvido no COLTEC, encontrado em Paiva (2012), que consiste no ensino de produção de texto colaborativa pelos alunos do primeiro ano do ensino médio do Colégio Técnico da UFMG. A Wiki é uma ferramenta digital que permite a produção de textos on-line de forma cumulativa, ou seja, diferentes pessoas estão envolvidas no processo e as edições podem ser alteradas pelos usuários. Sendo assim, o produto final é resultado de um trabalho em grupo distinto dos demais: contribuições de diversas pessoas ou várias contribuições de uma mesma pessoa, feitas em horários diferentes. Nosso objetivo era categorizar as contribuições feitas nas páginas wiki, utilizadas em atividade no COLTEC, a partir da análise das contribuições e de categorias propostas por Wolfe (2005).


CIBERESPAÇO, CULTURA LIVRE E DANÇA

Trilha: Cultura Livre

Isabel Cristina Vieira Coimbra Diniz


Historicamente os efeitos da internet sobre a cultura de modo geral são substanciais e nessa perspectiva o termo “cultura livre” traz o debate sobre as batalhas atuais da vida on-line que têm afetado a vida cotidiana das pessoas. Da mesma maneira, refletir a respeito da presença da dança nesse cenário nos leva a problematizar como esta tem nos afetado a partir da relação estabelecida na e pela tela do computador. As reflexões geradas nos possibilitaram perceber que a dança, com suas várias nuances e abordagens, está presente no dilúvio informacional das multimídias e da internet, o que favorece deparar com suas escritas e dramaturgias. Inclusive, tudo o que o cerca um espetáculo de dança no ciberespaço, parece ser mais do que podemos prever ou imaginar e traz consigo todo um “contexto” cuja produção de sentido tem na interatividade com as interfaces um percurso instigante ainda a ser percorrido e desvendado.


CONECTIVISMO: UMA TEORIA EDUCACIONAL PARA UM NOVO MODELO DE APRENDIZAGEM

Trilha: Linguagem e Tecnologia

MARCOS ANTONIO PEREIRA COELHO
Lenise Dutra
Jadison Leite Brandao


O avanço das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) vem provocando mudanças na educação, principalmente na forma de planejar e usar recursos tecnológicos na promoção da aprendizagem. O Conectivismo surge nessa perspectiva como uma nova abordagem educacional. Esta teoria proposta por George Siemens e Steven Downes (2004) aponta que o conhecimento está distribuído numa rede de conexões e que, desse modo, a aprendizagem consiste na capacidade de edificar essas redes e circular nelas, desenvolvendo assim a capacidade de refletir, decidir e partilhar. O objetivo deste trabalho é realizar estudo sobre a teoria da aprendizagem conectivista, e para concretização deste trabalho, propõe-se a realização de pesquisa bibliográfica em livros, artigos científicos e na internet. Como resultados obtidos verificou-se que essa teoria, definida como teoria alternativa da era digital, pressupõe que a aprendizagem está internalizada no indivíduo e é necessário ser acionada por uma fonte de conhecimento que pode residir tanto em outros indivíduos quando em dispositivos não humanos. Daí, a necessidade de se fazer e criar conexões para acionar o conhecimento internalizado.


Conferência: Online Reading

Trilha: Ensino na Internet

Julie Coiro
Carla Coscarelli (Mediadora)


Abertura:

Boas-vindas do Grupo Texto Livre.

Coreografia: Labirinto.

Coreógrafa: Caroline Konzen Castro (carolkonzencastro@gmail.com)

Bailarinos: Islander Rodrigues da Silva, Flavio Andrade, Kéren Paiva, Marianne Christine, Marcela Souza, Flavia Cardoso, Elaine Santos, Leilane Vertelo, Angélica Aparecida de P. da S. de F. Lopes, Michelle Alves, Naara Alves, Caroline Konzen Castro

Resumo: Há no tempo e no espaço um caminho a ser encontrado, onde um corpo se move, se expressa e se compõe de uma forma tão singela que o tempo, sem perder seu movimento, parece estacionar. Não há uma precisão, e até mesmo o caminho do pensamento viaja se movendo ao som de uma melodia... E o corpo dança... E se desprende desse labirinto de barreiras a serem rompidas. Resumo da conferência:


Construindo Objetos digitais de ensino-aprendizagem sob uma abordagem transversal

Trilha: Ensino na Internet

Julia Cristina Granetto


A proposta de trabalho tem como objetivo principal apresentar considerações sobre os objetos digitais de ensino-aprendizagem, buscando sua melhor compreensão na Era digital, assim como sua importância para o ensino. Consideramos que para construirmos objetos digitais de ensino-aprendizagem que ultrapassem a mera reprodução de conhecimento se faz necessário pensar e repensar em sua elaboração sob o aspecto da transversalidade, o qual será discutido tendo como base os estudos de Morin (2008). A proposta reflete ainda, sobre o que se elabora e se retoma no sentido de novo modo do fazer pedagógico, com o intuito de aprimorar com os objetos digitais de ensino-aprendizagem sobremaneira o repertório do conhecimento.


Contribuições do projeto UCA na educação

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Jenyffer Renata Ribeiro dos Santos
Gerson Bruno Forgiarini de Quadros


O presente estudo busca investigar o modo como o projeto UCA (Um computador por aluno) é aplicado em uma escola de Ensino Fundamental, no Rio Grande do Sul. A preocupação inicial é que mesmo as escolas estando mais bem instrumentalizadas com recursos tecnológicos, os projetos com o uso de Tecnologias de Informação e Comunicação, doravante TICs, tais como o netbook, o processo educacional ainda carece de capacitação. Esta pesquisa, de cunho qualitativo, apresenta uma análise descritiva das práticas pedagógicas mediadas por computador no contexto escolar, baseada num estudo de caso com estudante do 5º ano do Ensino Fundamental em uma escola na cidade de Bagé-RS. Os dados mostram que poucos professores usam efetivamente os netbooks, estando as pesquisas na internet como um dos poucos recursos utilizados para a construção de conhecimento dos alunos. A escola investigada tem um profissional especializado em informática e um laboratório bem equipado e ainda sim os professores não exploram os recursos disponíveis no equipamento.


CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS APLICADA A UM PROGRAMA DE APRENDIZAGEM DE INGLÊS/ESPANHOL PARA GARÇONS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Eliane Nascimento Pereira


No contexto do turismo internacional é necessário que os profissionais que prestam serviços se comuniquem em, no mínimo, uma língua estrangeira, não sendo obrigatória a proficiência em todas as habilidades linguísticas (ouvir, falar, escrever e ler). A compreensão oral e a fala são as habilidades desejadas, um vocabulário contextualizado às necessidades profissionais e à região turística deve ser dominado. A pesquisa apresentada neste artigo tem como objetivo elaborar um programa de aprendizagem de inglês/espanhol para fins específicos com conteúdo baseado na análise de necessidades, considerando as tarefas executadas pelos garçons diariamente ao interagirem com o turista internacional, a necessidade de vocabulário para expressar características socioculturais da região turística as quais estão inseridos e a utilização de diferentes plataformas (material impresso, dispositivos móveis, entre outros) para mediar o processo de aprendizagem, permitindo que os profissionais escolham aquela que se sente mais confortável e lhe pareça mais amigável. O piloto deste programa será implantado na cidade de Foz do Iguaçu/PR, reconhecida mundialmente pelas Cataratas do Iguaçu e a Usina Hidroelétrica de Itaipu, sendo o segundo destino turístico internacional do Brasil de acordo com dados do Ministério do Turismo. O design participativo com uma equipe interdisciplinar são as estratégias utilizadas para a elaboração deste programa, promovendo um debate com olhares diferenciados sob o mesmo. Espera-se que este programa possa ser reutilizado em outras cidades turísticas do Brasil, alterando-se apenas o vocabulário relacionado especificamente com a realidade turística da região a ser aplicado.


CoP e AVA: uma proposta para a construção coletiva de conhecimento e intercâmbio de saberes

Trilha: Comunidades Virtuais

ALINE DE ABREU CURUNZI CHANAN


O artigo discorre sobre a Teoria das Comunidades de Prática (CoP) (Wenger; Lave 1991) e Teoria da Aprendizagem Social (Wenger, 1998), com a concepção de construção coletiva de conhecimento e intercâmbio de saberes. emocionais, de lazer, educacionais, etc.A Comunidade de Prática (CoP), o termo criado por Etienne Wenger em conjunto com Jean Lave em 1991, designa um grupo de pessoas que se unem em torno de um mesmo tópico ou interesse. Essas pessoas trabalham juntas para encontrar meios de melhorar o que fazem, ou seja, na resolução de um problema ou no aprendizado diário, através da interação regular. Propõe uma possibilidade de utilização do ambiente MOODLE de maneira pedagógica, a fim de potencializar as relações presenciais entre os integrantes de comunidades de prática em cursos de graduação. Esperamos que as comunidades virtuais possam contribuir para a comunicação e interação de pessoas em comunidades de prática.


CUSTOMIZAÇÃO DE INTERFACES DO PUBLIC KNOWLEDGE PROJECT

Trilha: Documentação em Software Livre

Paulo Henrique Souto Maior Serrano


O Public Knowledge Project (PKP) é uma iniciativa de código aberto que busca a melhoria na qualidade, alcance e indexação de publicações acadêmicas. É hoje o sistema mais utilizado no Brasil para a gestão e publicação de revistas científicas. Todas as etapas de editoração e publicação são realizadas dentro do próprio sistema, de modo seguro e automatizado. A padronização dos meios de publicação trouxe vantagens técnicas para a indexação dos artigos e mudou o processo de personalização dos sites. Este trabalho trata dos mecanismos nativos de customização das interfaces dos sistemas PKP: Open Monograph Press, Open Journal System, Open Conference System.


DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE GRÁFICA ACESSÍVEL PARA DEFICIENTES VISUAIS NO AVEA MOODLE

Trilha: Inclusão digital

Eduardo Dalcin


RESUMO: Esse texto tem o objetivo de realizar uma análise sobre o desenvolvimento de uma interface gráfica acessível para deficientes visuais, utilizando como objeto de aplicação o AVEA Moodle, onde o público alvo serão os alunos com limitações visuais do curso superior de licenciatura em computação do Instituto Federal Farroupilha – Campus Santo Augusto-RS. Os estudos iniciarão a partir do seguinte problema: Quais os critérios que devemos levar em conta para o desenvolvimento de uma interface gráfica acessível para o deficiente visual, utilizando o AVEA Moodle? Será realizada uma pesquisa qualitativa através da geração de conhecimentos para aplicações práticas sobre questões referentes ao desenvolvimento e uso de interfaces gráficas acessíveis. A partir dos estudos realizados nessa pesquisa, pretende-se desenvolver uma interface gráfica acessível para deficientes visuais, utilizando o ambiente moodle como avea.


Divulgação de Projetos Escolares em Blogs: uma avaliação de sua utilização na disciplina Física e Biologia

Trilha: Blogs e Wikis

Adriana Oliveira Bernardes


A elaboração de projetos escolares por professores no Ensino Médio é algo que se requer do mesmo nos dias de hoje. Motivar o aluno para disciplina, fazer com que conheça o método científico e que aprofunde a matéria são alguns dos benefícios de sua participação em projetos. Porém, como poderá ser feita a divulgação desses trabalhos na comunidade escolar? Seriam os blogs um bom recurso para este fim? Respondemos a essa pergunta com este trabalho, no qual, discutimos as vantagens de sua utilização para divulgação de projetos pelo professor, discutindo os resultados obtidos na interação com os alunos em quatro blogs relacionados a projetos desenvolvidos em escola pública do Rio de Janeiro.


ESTUDO SOBRE A EVOLUÇÃO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO, SUAS FORMAS DE PAGAMENTOS DIGITAIS E SUAS PREOCUPAÇÕES QUANTO À SEGURANÇA E A PRIVACIDADE

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Marcos Paulo Odone
Cristiano Oliveira de Azevedo


O artigo, apresenta um estudo sobre o comércio eletrônico, onde traz diversas informações que pode ser usado para auxiliar tanto ao proprietários de lojas físicas que pretendem estender suas vendas para internet, assim como consumidores que ainda tenham duvidas e medo de realizarem suas compras na internet, pois o artigo traz um desenvolvimento sobre os principais assuntos, como meio de pagamento, e uma breve descrição sobre sua história. Vendo que muito se discute quando o assunto é comércio eletrônico surgem muitas dúvidas sobre fator segurança, em um dos tópicos propostos procuramos tentar esclarecer algumas dúvidas comuns se tratando de ecommerce. O artigo foi desenvolvido por dois acadêmicos do Curso de Sistema de Informações da Faculdade Redentor de Itaperuna em conjunto com um Professor da disciplina de comércio eletrônico, cujo qual foi de extrema importância no desenvolvimento do artigo.


EVASÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA EAD: PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

Trilha: Ensino na Internet

Fabiana Pinto de Almeida Bizarria


O estudo objetiva analisar percepções sobre evasão escolar por parte de profissionais de uma instituição de ensino superior do Ceará. Para o estudo de campo, a abordagem metodológica utilizada foi o estudo de caso, com suporte em dados obtidos por meio de nove entrevistas semiestruturadas, pesquisa e consultas a documentos organizacionais. A interpretação dos dados foi efetuada com base na elaboração das seguintes categorias: Concepções sobre evasão; Justificativas para a evasão; Levantamento sobre evasão. O tutor emerge como o profissional de maior impacto para a garantia de permanência do aluno, em virtude da sua posição no sistema de EaD que garante maior contato direto com o estudante. Como contribuição o estudo pode discussões em torno de processos decisórios relativos ao enfrentamento da evasão na EaD.


Evento online: a experiência do EVIDOSOL/CILTEC-online

Trilha: Divulgação de Software Livre

Hugo Leonardo Canalli
Daniervelin Pereira


O objetivo desse texto é apresentar a experiência de organização e realização de um evento online, o EVIDOSOL/CILTEC-online, em seus sete anos de existência. Apresenta-se, aqui, o seu perfil, incluindo o público-alvo, as estatísticas dos inscritos e propostas apresentadas, os softwares usados no evento e sua filiação à filosofia da Cultura Livre, a importância do apoio dos colaboradores e voluntários ao evento e outros detalhes. Pretende-se, assim, difundir a proposta do evento, seja para participação no EVIDOSOL/CILTEC-online, seja para dar suporte ao desenvolvimento de novas iniciativas semelhantes, que propiciem o compartilhamento das ideias sem os limites geográficos de um evento presencial.


Evolução e Perspectivas para os Sistemas de Gerenciamento de Aprendizagem

Trilha: Ensino na Internet

Luciana Nunes Viter


O presente trabalho, recorte da revisão de literatura da dissertação de mestrado da autora (VITER, 2013), apresenta breve histórico da evolução dos sistemas de gerenciamento de aprendizagem (SGA), que consistem basicamente em conjuntos de softwares utilizados para a construção de ambientes virtuais de aprendizagem (AVA), analisando os limites terminológicos relacionados ao termo e apontando características positivas e negativas desses aplicativos. A pesquisa bibliográfica delineia ainda presentes e futuras perspectivas para o uso desses programas e identifica possíveis tendências para o desenvolvimento dos SGA, onde se destacam o surgimento dos sistemas sociais de gerenciamento de aprendizagem (SSGA) e dos ambientes pessoais de aprendizagem (APA) e a adaptação do uso dos SGA aos dispositivos móveis.


Gamificación en la clase

Trilha: Linguagem e Tecnologia

ELAINE DA SILVA MOURA


Considerada la necesidad de buscar nuevas metodologías que den prioridad a las diferentes formas de didáctica en la enseñanza, he percibido que no hay mucha utilización de los juegos educacionales. Por eso, he buscado comprender su historia dentro de la educación, también cuál es la importancia del uso de los juegos para el enseño, así como la contribución de estos medios para el desarrollo de la enseñanza y el aprendizaje de los estudiantes. Así, a través de la observación y pesquisa bibliográfica, fue hecho el análisis de los juegos como una herramienta para el desarrollo del enseño-aprendizaje. He creído que de esta manera fuera posible discutir y construir subjetividades diferentes de los que histiricamente nos ha enseñado la docencia tradicional. El uso de los juegos educacionales mostró el valor de la utilización de estos recursos en la clase.


Hashtags: rompimentos com dizeres sedimentados

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Vânia Coelho


Há muito que áreas como a Biblioteconomia e a Documentação buscam empreender mecanismos que facilitem os processos de organização e recuperação de conteúdos. Ao longo do tempo, porém, com o advento da internet e, especialmente, com a modalidade “2.0” da web, foi que o processo de organização e recuperação de informação passou a distanciar-se cada vez mais de ambientes institucionalizados, como as bibliotecas, e de profissionais habilitados no tratamento informacional, como os bibliotecários, para pousar nas mãos dos antes tão passivos usuários da informação. O presente artigo busca apontar de que forma o Twitter, com suas hashtags, tornou-se um bom exemplo desta transição.


INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO BÁSICA: DIVERSIDADE E PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE

Trilha: Inclusão digital

Nivea Fraga Rocha


Um desafio decorrente da contemporaneidade é incluir as pessoas e organizações digitalmente. Este artigo tem como objetivo geral: discutir a inclusão digital docentes na Educação básica, através das TIC. Como objetivos específicos, pretende-se: apresentar o processo educativo através de nuanças da globalização, contextualizando a formação dos professores no aspecto da transdisciplinaridade. A opção metodológica foi a da pesquisa bibliográfica e documental. Constatamos que a globalização trouxe novos desafios à sociedade e que o uso das TIC poderá promover a inclusão social através da ação educativa. Concluímos que se torna necessária uma formação docente que promova o acesso as TIC ultrapassando os limites da técnica.


Infográficos e ensino de línguas adicionais. Algunas considerações iniciais

Trilha: Ensino na Internet

Gonzalo Abio


Os infográficos são um gênero multimodal que facilita a compreensão de informações complexas. Infográficos nasceram acompanhando as notícias dos jornais e posteriormente passaram também para a internet. Hoje, além da esfera jornalística, também é comum encontrar infográficos que podem ser criados por pessoas não necessariamente profissionais, graças à existência de serviços na web 2.0 especializados para a criação de infográficos que são produzidos “nas redes e para as redes”. Existem sites que reúnem e classificam infográficos por temas e muitos professores também possuem listas de infográficos classificados, em sites de catalogação visual como Pinterest. Neste trabalho pretendemos apresentar brevemente algumas das vantagens que entendemos que pode ter o trabalho com infográficos como apoio no ensino de línguas adicionais, assim como chamar a atenção sobre a necessidades de brindar uma maior atenção para essas possibilidades de trabalho com textos multimodais e multiletramentos em geral, desde uma perspectiva não apenas de leitores consumidores, como também de produtores de significados por meio de conteúdos multimodais.


INTEGRAÇÃO DAS TIC COMO RECURSO NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE E/LE: REALIDADES, POSSIBILIDADES E BARREIRAS

Trilha: Ensino na Internet

SILVANA SUELEN MENDONÇA MESQUITA


RESUMO Nas últimas décadas, muito se fala de globalização e acesso a internet e como as TIC podem facilitar o ensino-aprendizagem de Línguas Estrangeiras e várias áreas do conhecimento. Diante desse contexto, cabe apontar a importância da utilização de alguns recursos tecnológicos na educação e sua integração nesse processo levando aos aprendizes uma motivação, tida como ferramenta para dinamizar as aulas e potencializar a aprendizagem. Este artigo pretende discutir como as TIC posibilitam a integração no processo de ensino-aprendizagem de E/LE, as realidades, possibilidades e barreiras encontradas ao longo do percurso. Considerando que os alunos e professores são adeptos ao uso das novas tecnologias e mídias sociais, entendemos que o professor precisa adequar suas práticas à nova realidade. Para isso, como objetivo geral iremos investigar as barreiras encontradas por professores para a integração das novas tecnologias no contexto escolar tecnológico. Como objetivos específicos, verificar as realidades e práticas de professores de E/LE, além de traçar um panorama sobre as possiblidades encontradas para a inclusão das TIC em sala de aula. Para tanto, fazemos um breve levantamento bibliográfico e histórico com base nos aportes teóricos de Kenski (2003, 2006, 2007), Lévy (2004), Teixeira (2010), PCN (1999) e OCEM (2001). O trabalho segue em curso; dessa forma, ainda não há dados conclusivos. Palavras-chave: TIC e ensino, Recursos tecnológicos no ensino-aprendizagem de E/LE, Integração e tecnologia na educação. Pós-graduanda do Mestrado Profissional em Ensino Tecnológico pelo Instituto Federal do Amazonas – IFAM. silsmesquita@yahoo.com.br professor Doutor de Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM). *XI EVIDOSOL e VIII CILTEC-Online - junho/2014 - http://evidosol.textolivre.org .


JORNALISMO ONLINE: RUPTURAS E PROBLEMÁTICAS NA ORDEM DO DISCURSO

Trilha: Jornalismo na Internet

André William Alves de Assis
Raquel Tiemi Masuda Mareco


O jornalismo tem se apropriado, cada vez mais, das ferramentas e dos processos de publicização disponíveis na internet, o que nos permite hoje falar em jornalismo online. No percurso que propomos neste trabalho, a fim de discutir especificamente acerca de algumas características da escrita digital, observamos que esse campo revela algumas rupturas em relação ao material impresso, a mais visível talvez seja a superabundância da produção de textos que afetam a ordem do discurso, a ordem da razão e a ordem da propriedade. Mesmo com essas rupturas, a notícia online, produto do jornalismo online, parece ser um gênero que se apropria de algumas características do jornal impresso, ao mesmo tempo em que as expande com o uso da internet. Há, hoje, uma nova conjuntura do texto apresentado na tela do computador, que nos permite observar algumas problemáticas específicas desse gênero, no tocante à circulação, argumentação e escolhas dos enunciados destacados.


LA ENSEÑANZA DE IDIOMAS MEDIADO POR EL CIBERESPACIO: EL USO DE LAS REDES SOCIALES COMO APORTE DE LA ENSEÑANZA

Trilha: Ensino na Internet

Elaine Teixeira da Silva


Estamos viviendo en la era tecnológica, donde todo acontece de modo rápido y espontáneo, y por consecuencia los modos de enseñar y aprender también sufren cambios considerables, principalmente con respecto a la adquisición de lengua extranjera. Como aporte para la enseñanza de leguas, surgen a través de la internet el ciberespacio que introduce el aprendiz en las redes sociales. Así este medio social permite que el estudiante interaccione con los demás y adquiera conocimiento. En este estudio, a través de una encuesta realizada por medio del Google Drive y compartida en la red social Facebook, se pretende verificar la contribución de las redes sociales como aporte en la enseñanza y aprendizaje de idiomas, no rechazando los otros medios, sino notar que las Nuevas Tecnologías de la Información y Comunicación (NTICs) son rentables para la educación en tiempos tecnológicos.


LAB.ESCRIBA@: LABORATÓRIO VIRTUAL DE ESCRITA ACADÊMICA EM LÍNGUA INGLESA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Layane Campos Soares
Vivian Bernardes Margutti


O Lab.Escrib@ é um laboratório virtual de escrita acadêmica. Seu objetivo principal é promover o desenvolvimento de habilidades e competências para a escrita de gêneros acadêmicos em Língua Portuguesa e em Língua Inglesa (LI). Neste trabalho o foco será a LI. O projeto tem como ferramenta básica o Wikispaces, uma plataforma educacional gratuita voltada para o desenvolvimento da escrita colaborativa. O espaço online do Lab.Escrib@ contém instruções, exemplos e atividades, com o intuito de auxiliar o aluno a compreender que a escrita se dá de forma processual e em associação com a leitura. Além disso, demonstra-se a importância da conscientização dos aspectos de gêneros acadêmicos específicos de modo gradual, ou seja, dos mais simples aos mais complexos. Primeiramente, foi feito um levantamento dos gêneros acadêmicos em LI que são essenciais ao estudante universitário. Atualmente, estão sendo elaborados o conteúdo e o layout das páginas que formam este espaço virtual. Concomitantemente, são feitos estudos direcionados para o aprofundamento das questões teóricas e do letramento digital. Posteriormente, iniciaremos uma tutoria virtual direcionada à produção textual dos alunos da graduação. Os resultados obtidos no projeto ainda são parciais e se relacionam com a experiência de cada participante tanto com a escrita dos gêneros acadêmicos estudados, como com o uso de determinadas ferramentas digitais. Vale ressaltar que a utilização das TICs nas práticas de ensino está se tornando imprescindível no âmbito educacional, sendo como um elo que une a produção textual e os processos de multiletramentos.


Mesa redonda: Educação Inclusiva

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Heloísa Andreia de Matos Lins
Deise Aparecida de Araujo Fernandes
Guilherme Silva de Oliveira
Ellen Cristina C. T. de Oliveira (intérprete)


Os debatedores propõem nesta mesa a apresentação de suas experiências no que se refere à inclusão social e escolar, através de suas histórias de vida, assim como de sua atuação profissional e acadêmica. O principal eixo para tais discussões será balizado pela questão da inclusão na relação com a exclusão e também com as novas tecnologias, onde as diferentes perspectivas serão enfocadas a partir da surdez e da cegueira.


Mesa redonda: Games em Educação

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Eucidio Pimenta Arruda
Tiago de Souza Lima Gomes


Mesa redonda: O Conhecimento Popular X Conhecimento Científico no Campo da Interdisciplinaridade

Trilha: Cultura Livre

Elizabeth Uber Bucek

Título: Plantas Medicinais X Fitoterápicos

No âmbito da saúde, os tratamentos a partir dos vegetais na maioria das vezes são praticados de forma conflituosas entre a população e os profissionais da saúde, onde o saber popular do uso das plantas medicinais no tratamento de doenças nem sempre tem a comprovação científica e aceitação dos profissionais da saúde. Este fato é confirmado pelos poucos fitoterápicos elaborados e disponibilizados nas farmácias e drogarias em relação ao elevado número de plantas nativas e exóticas (vindas de outros países) que a população brasileira utiliza no seu dia a dia e o baixo número plantas com efeito farmacológico reconhecidos pela legislação brasileira (apenas 36 plantas medicinais, sendo 2 genuinamente brasileiras), que são dispensadas do estudo de comprovação farmacológica para elaboração e registro do respectivo fitoterápico (Instrução Normativa 05/2008: Lista Registro Simplificado/ANVISA). Na tentativa de aumentar o número de uso de plantas a ANVISA (Ministério da Saúde), divulgou uma lista com 71 plantas medicinais que poderão ser usadas como medicamentos fitoterápicos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em fevereiro de 2009. E quantas plantas sua família utiliza ou utilizou, ao longo da vida, no tratamento de doenças primárias e/ou na prevenção de doenças? Nas farmácias verdes mantidas pela população vinculadas às prefeituras, centros espíritas, associações católicas, são facilmente cultivadas 300 espécies consumidas em uma região brasileira. Para auxiliar na preservação do saber popular, foi aprovado a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (Decreto 5.813/2006) que valoriza os remédios caseiros à partir de plantas medicinais de acordo com a cultura popular, confirmando a existência do embate conhecimento popular X científico. Porque a maioria das plantas são comercializadas como chás e complemento alimentar (suplemento) ao invés de fitoterápico? A ciência não comprova o efeito de uma planta que a população utiliza, e nem por isto a população deixa de usar. Será que a planta não tem efeito ou a ciência não tem a tecnologia suficientemente evoluída, capaz de comprovar o efeito das plantas. Porque que apesar da ciência não confirmar o efeito farmacológico da planta e/ou comprovar o efeito tóxico, a população não abandona o tratamento e/ou prevenção de doenças com estas plantas? Qual prática é a mais antiga? O uso das plantas medicinais ou dos fitoterápicos? Quem sustenta o conhecimento das plantas medicinais: a população ou a ciência?

Valeska Guimarães Rezende da Cunha

Título: O cotidiano do professor num contexto interdisciplinar: do senso-comum ao conhecimento científico

A escola deve ser pensada como um espaço de possibilidades e norteada por princípios democráticos, inclusivos e transformadores que não deve ser fragmentado nem caracterizado pela transmissão de informações. A escola lida diariamente com desafios externos de ordem social, econômica-cultural, científica e tecnológica e com desafios internos relacionados ao desenvolvimento do conhecimento no processo de ensino e aprendizagem. O professor, inserido neste contexto, necessita conceber a educação voltada para projetos interdisciplinares: políticos, filosóficos, sociológicos, linguísticos, econômicos e diversos outros. Os projetos interdisciplinares fazem parte do cotidiano do professor que é determinante e determinado pela conjuntura social e cultural em que se desenvolve. O professor, movido por inquietações e motivações estabelece as relações, articulações e mobilizações de conceitos e metodologias entre diversas temáticas, ou seja, realiza práticas interdisciplinares.

Mesa redonda: Recursos Educacionais Abertos

Trilha: Cultura Livre

Débora Cristina da Silva Sebriam
Adriana Rocha Bruno
Daniel Silva Pinheiro


REA: Potencialidades para a educação formal Daniel Pinheiro Resumo: Uma das principais indagações que nos tem instigado é: considerando o atual contexto da cibercultura, quais as potencialidades dos REA para a educação formal comprometida em cumprir sua função social? As pesquisas que temos realizado nos dão elementos para perceber na emergência de "novas educações" baseadas na filosofia do software livre e na ética hacker, alternativas viáveis no âmbito desta discussão. A partir desta, pretende-se compreender de quais maneiras os processos desencadeados pela criação/utilização de REA nos espaços formais de ensino aprendizagem, podem instaurar dinâmicas capazes de contribuir para que a escola, principal representante desta educação formal, possa realizar sua função social na contemporaneidade. Palavras-chave: Recursos Educacionais Abertos, Cibercultura, Educação Formal.


Mesa redonda: Software Livre Educacional

Trilha: Divulgação de Software Livre

Frederico Gonçalves Guimarães
Liduina Vidal de Almeida
Luciana Campos


NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NA BAHIA COMO FOMENTADOR DE INCLUSÃO DIGITAL ENTRE OS DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA : RELATO DE EXPERIÊNCIA EM FORMAÇÃO CONTINUADA

Trilha: Inclusão digital

Marinalva Batista Dos Santos Neves
Nivea Fraga Rocha


Incluir s Tecnologias de Comunicação e Informação como elemento proponente de modificações no binômio ensino-aprendizagem é um desafio. Este  artigo tem como objetivo geral avaliar a oficina Aprendendo a Aprender através das Teoria da Informação e Comunicação(TIC) – Oficina sobre acervo digital, desenvolvida com docentes de uma unidade da rede pública de ensino básico, em Salvador, Bahia. Como objetivos específicos, pretende-se: avaliar a Oficina a partir da hipertextualidade visando uma educação transdisciplinar. Como opção metodológica realizou-se pesquisa-ação, bibliográfica e documental. Como instrumentos de coleta de dados e informações utilizou-se questionário, entrevista semiestruturada e observação participante. Os sujeitos da pesquisa foram representados por uma amostra de 11 professores/alunos. Constatou-se, que os mesmos não obtiveram formação em informática educativa nas licenciaturas, que a Oficina facilitou a construção de novos conhecimentos, promovendo, principalmente, a interatividade nos portais educativos. Conclui-se que, é indispensável a busca por opções metodológicas que valorizem o potencial criativo e afetivo entre alunos e docentes. A oficina possibilitou formação continuada, desenvolvimento humano e profissional de professores por meio das TIC, constituindo-se num elemento imprescindível para a qualidade da educação básica.  


O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE COMO ESPAÇO FORMATIVO DE MÚLTIPLAS LINGUAGENS - PARTICULARIDADES DE UM HIPERGÊNERO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Nicéia Maria de Figueiredo Souza Melo


Neste estudo apresentamos o ambiente virtual de aprendizagem Moodle, como espaço formativo de múltiplas linguagens, destacando os gêneros digitais e as interfaces comunicacionais hipertextuais nele presentes, caracterizando-o como um hipergênero segundo (BONINI 2003, MARCUSCHI 2004). Os gêneros textuais cumprem um papel de mediadores da comunicação através da utilização da linguagem. São utilizados como meios de intermediar um discurso, uma opinião, um comentário de alguém sobre determinado assunto. Os ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) apresentam características semelhantes às de um ambiente presencial. Neles podemos interagir, conversar online ou offline, de forma síncrona e assíncrona, com a utilização dos gêneros textuais discursivos digitais utilizados para este propósito. Podemos escrever nossas opiniões, ler as opiniões de outros, ouvir ou simplesmente visualizar uma imagem, publicar, curtir, comentar e compartilhar nossos pensamentos e percurso na rede virtual.


O CULTO À ATUALIDADE: UMA ANÁLISE DO DISCURSO JORNALÍSTICO NOS VEÍCULOS IMPRESSO E ON-LINE

Trilha: Jornalismo na Internet

Milena Ferreira Hygino Nunes


As tecnologias, cada vez mais, estão presentes na vida das pessoas e em todos os setores da sociedade, alterando o estilo de vida, o modo de trabalhar e a forma de relacionamento. No jornalismo, não é diferente. As rotinas de produção e publicação jornalísticas de um veículo on-line tornaram-se muito mais dinâmicas e rápidas, oferecendo ao leitor alguns atrativos, como o rápido acesso às matérias, a interatividade e, principalmente, a atualização constante das notícias, medida em minutos. Mas quais são os reflexos dessa aceleração? O presente trabalho tem como objetivo analisar a qualidade do discurso jornalístico, por meio de uma análise comparativa de algumas matérias do jornal impresso O Globo e do portal de notícias G1 sobre o incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), ocorrido em 27 de janeiro de 2013. Ao final, verifica-se que a necessidade de atualização constante no veículo on-line prejudica a qualidade das matérias e, consequentemente, a credibilidade do discurso jornalístico.


O FACEBOOK COMO AMBIENTE DE INTERAÇÃO HIPERTEXTUAL PARA LEITURA BÍBLICA

Trilha: Hipertexto

PAULA ALICE DODO MULLER
Kamila Muller Beazussi


O presente trabalho propõe uma reflexão sobre o Facebook como um ambiente de interação hipertextual para leitura bíblica. Desta forma, esse ensaio se propõe analisar como ocorre a interação para leitura bíblia nesse novo ambiente – o Facebook –, sob a hipótese da hipertextualidade. A análise será feita utilizando-se como corpus o perfil Bíblia Fácil – da Igreja Adventista. A partir desse contexto, percorrem-se definições fundamentais para considerar Facebook como ambiente, fazendo-se ponderações a respeito de termos como virtualização, hipertexto, entre outros. Objetivando contribuir para o desenvolvimento de novas possibilidades que agucem e facilitem o processo de leitura do texto bíblico, deixando-o mais atrativo. Tendo como principais bases teóricas Maria Augusta Babo e Pierre Lévy.


O PROGRAMA REDE E-TEC BRASIL EM SERGIPE: EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA NA EAD

Trilha: Ensino na Internet

Morgana Silveira Lacerda


O presente artigo tem como objetivo apresentar e compreender através da Educação a Distância (EAD), o Programa do Governo Federal chamado Escola Técnica Aberta do Brasil (e-Tec Brasil). Como objetivos específicos, buscar-se-á esclarecer o e-Tec Brasil no estado de Sergipe por meio do conhecimento adquirido como Tutora Online neste mesmo Programa. Este artigo, apresenta o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do e-Tec Sergipe, o Projeto de Aprendizagem Interdisciplinar (PAI) do curso de Atividades Comerciais assim como identifica as funções do professor-orientador. Ainda, colabora para o estudo e incentivo na utilização da Educação a Distância no ensino Profissional e Tecnológico. Através desta pesquisa, foi possível compreender não só o Programa e-Tec Brasil bem como o e-Tec Sergipe em maior profundidade.


O TWITTER E PRÁTICAS TEXTUAIS NO CIBERESPAÇO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Odair José Silva dos Santos


O presente artigo pretende abordar twitter como um suporte na produção de textos, assim o objetivo é apresentar algumas reflexões percebendo que o encadeamento de ideias nos posts do twitter propicia a edificação de um texto. Nesta perspectiva, salienta-se que a escrita exerce um papel fundamental na construção do ser humano enquanto cidadão, tendo em vista que cada vez mais o processo de ler e escrever vêm sendo requisitado em diversos âmbitos. Com base nestas ideias, dentro da questão textual trabalhar-se-á com duas concepções: a questão textual na perspectiva de Luiz Antônio Marcuschi e Jean-Michel Adam, e o hipertexto, abordado por Pierre Lévy. Observa-se, nesse sentido, que é por meio da escrita que se abrem os horizontes para o mundo cultural, tecnológico e social.


O USO DE FÓRUNS DE DISCUSSÃO PARA A CO-CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Doris de Almeida Soares


Partindo de uma visão Sistêmico-Funcional da linguagem (Halliday e Hasan, 1989), esta comunicação enfoca o uso de fóruns de discussão como espaço para a co-construção de conhecimento. Para tanto, analisamos 238 postagens de treze participantes em um curso para professores de idiomas, mapeando a natureza das ações sociais (variável Campo) nelas realizadas. Os dados indicam que apenas uma minoria das postagens (35%) tem como propósito fazer algum tipo de reflexão e/ ou discussão sobre as leituras teóricas do curso, ação identificada neste estudo como Campo 3. As demais realizam outras ações tais como a preservação de face e a manutenção do tecido social (Campo 5), ajuda aos colegas (Campo 4), ou compartilhamento de impressões sobre o curso (Campo 2). Notamos, também, que 63% das ocorrências de Campo 3 estão em postagens que realizam mais de uma ação social ao mesmo tempo, o que pode dividir a atenção do participante na hora de dar continuidade a discussão. Além disso, funções discursivas que convidam o interlocutor a se engajar nas conversas nos fóruns, tais como perguntar (requerer informação) e questionar (levantar questões para discussão), estão presentes em apenas 10% das postagens no referido Campo. Essas evidências apontam para uma possível necessidade de revisão da prática docente no que tange a condução de tarefas de reflexão nos fóruns de discussão, muito comuns em cursos on-line.


O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO DE ELE (ESPANHOL/ LÍNGUA ESTRANGEIRA) NO ENSINO TÉCNICO

Trilha: Ensino na Internet

ELIANE SANTOS LEITE DA SILVA


Propõe-se, com o presente texto, apresentar uma proposta de ensino do Espanhol como língua estrangeira no âmbito do Ensino Técnico, mais especificamente no Instituto Federal Baiano, Campus Governador Mangabeira-BA (BRASIL), além de proporcionar uma reflexão a respeito dos limites, desafios e possibilidades que a prática de ensino da língua espanhola neste nível de ensino (geralmente por assumir um caráter instrumental) impõe ao docente. Nesse sentido, será compartilhado o planejamento de atividades de ensino a serem implementadas no referido campus, enquanto atividades extensionistas, no formato de curso de língua de curta duração, tendo por público alvo, inicialmente, os alunos matriculados no Curso Técnico Subsequente em Manutenção e Suporte em Informática. A proposta está fundamentada a partir da abordagem teórica de Marcuschi (2008), segundo o qual o gênero textual é a materialização dos discursos e que o trabalho com os mesmos em sala é um caminho para a aprendizagem significativa. Assim, as atividades didáticas centrar-se-ão no ensino e aprendizado da língua considerando a proposta comunicativa, percebendo as limitações externas e/ou internas de tempo, espaço, materiais, etc, como possibilidades de inovação das estratégias e não necessariamente como entraves a um trabalho de qualidade. Como subsídio teórico serão consideradas ainda as reflexões de Alonso (1994), Fernández (2003), Martinez (2009) e Santa Cecília (1995).


OFICINAS DE ESCRITA COLABORATIVA: Desafios e perspectivas do ensino da escrita acadêmica

Trilha: Produção Textual no Computador

CARLEY RODRIGUES ALVES
Cárlisson Borges Tenório Galdino


Este artigo pretende realizar uma breve reflexão sobre os desafios e perspectivas do ensino da escrita para jovens universitários, focando a análise nos resultados preliminares obtidos por meio do Projeto Oficinas de Escrita Colaborativa, que vem sendo realizando nos últimos quatro anos na Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Campus Arapiraca, com estudantes do I período letivo dos cursos de Administração, Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Biológicas, Ciência da Computação, Educação Física Licenciatura, Enfermagem, Física, Letras/Língua Portuguesa, Matemática, Pedagogia e Química Licenciatura. Os resultados preliminares são muito animadores e tem permitido avaliar o grande potencial da escrita colaborativa acadêmica, seja do ponto de vista curricular, (sobretudo em função de sua evidente transversalidade), seja enquanto forma de expressão artístico-literária e técnica, no desenvolvimento de habilidades e competências relacionados com a escrita, entre estudantes universitários, abarcando as dimensões epistemológica, cognitiva e social. Por se tratar de um Projeto em andamento, o quadro geral das ações e metas previstas objetivam delinear estratégias de pensamento em esquemas teóricos propositivos, fundamentados em metodologias reflexivas e criativas orientadas ao ensino da escrita na universidade.


Presencia digital de instituciones públicas venezolanas

Trilha: Inclusão digital

Hector Colina


La visión del gobierno electrónico en Venezuela es de vieja data pues en la década de los 60' se funda el Consejo Venezolano de Investigaciones Científicas, propiciando un espacio que abre la investigación científica al gobierno electrónico en el país auspiciada desde el Estado venezolano; Sin embargo, será en el 2010 cuando se de plena forma al proyecto de un Estado electrónico, utilizando recursos informáticos para dar una mejor gestión a los ciudadanos, publicándose la “Agenda de Gobierno Electrónico (Marco Conceptual y Plan estratégico)” en la cual se expone la visión estratégica que será llevada a cabo en el país. Esta estrategia ha dado excelentes frutos: marcos legales, proyectos de envergadura nacional (Canaimitas), modernización de procesos de la ciudadanía e interconexión entre organismos públicos, no obstante, aun se presentan debilidades como la no existencia de directorios de gobierno electrónico actualizados, datos técnicos de servicios prestados. Desde esta perspectiva, la presente investigación realiza un estudio documental para socializar información de la infraestructura tecnológica de gran parte de las instituciones gubernamentales que tienen presencia en Internet Para ello, se utilizan una serie de indicadores definidos por los autores que se contrastarán con los datos obtenidos mediante el uso de herramienta propias y de acceso público.


PROJETO LATEX PARA TODOS: PROMOVENDO A QUALIDADE NA PRODUÇÃO TEXTUAL DAS PESQUISAS CIENTÍFICAS

Trilha: Produção Textual no Computador

Elton Sarmanho Siqueira


Este projeto de extensão tem por objetivo trabalhar a elaboração de documentos eletrônicos, científicos e matemáticos com alta qualidade tipográfica usando o sistema/linguagem de marcação LaTex. Seu grande desempenho na construção de documentos fez com que institutos com grandes renomes como MIT (Massachusetts Institute Technology), Universidade de Tokyo, Universidade de Sidney, ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), ACM (Association for Computing Machinery) e entre outros, adotarem este editor de documentos eletrônicos como padrão para elaboração de monografias, dissertações, artigos, teses e livros. De modo a transmitir os conhecimentos sobre a linguagem de marcação LaTex por meio de oficinas presenciais e auxilio das redes do sociais. No curso são ensinados os conceitos teóricos desde básico até avançando, que permitiram aos discentes criar diversos documentos eletrônicos (monografia, dissertação, tese e livro), além de possibilitar a criação de modelos próprios ou modelos para uma determinada instituição. Todo repertório teórico sobre LaTex será auxiliado pelo software livre KILE.


QUE LITERATURA CONTEMPORÂNEA É ESSA?

Trilha: Hipertexto

Everton Vinicius de Santa


O debate entre alguns críticos, escritores e professores é de que a literatura brasileira contemporânea tem poucos escritores dispostos a contar uma boa história e que eles não se preocupam em produzir ou gerar experimentalismos e jogos de linguagem que garantiriam a fruição do texto. A literatura está no entremeio de um espaço midiatizado e que desloca, autor e leitor, por experimentalismos fluidos em função de uma interatividade e cotidiano contagiado pelos meios digitais. Este ensaio propõe, em função do espaço, discutir sobre alguns aspectos da atual literatura no Brasil à luz das obras Um Erro Emocional (2010) e Beatriz (2011), ambas de Cristovão Tezza. Por meio delas, exemplifico o papel do escritor em tempos onde há uma superexposição de sua figura, seja em eventos acadêmicos, seja nos meios virtuais, o que acaba interferindo no processo criativo de suas obras e no modo como ela é recebida por um leitor cada vez mais ávido por esse contato com o autor já desmitificado.


QUESTÕES PARA UM ESTUDO ETNOGRÁFICO DO GRUPO TEXTO LIVRE

Trilha: Cultura Livre

Carlos Henrique Silva de Castro


O presente texto objetiva construir questões de pesquisa ligadas à produção de conhecimento coletivo. Para tanto, conto com um embasamento epistemológico de duas naturezas: (1) na tradição etnográfica (2) e no entendimento construcionista de conhecimento como uma construção possibilitada pela interação e disponível para os membros que dela participam. Entendendo conhecimento dessa forma, as comunidades de interação para a realização das práticas são vistas como sistemas únicos de signos, com conhecimento a ser descoberto, como objetiva a etnografia. Uma vez apresentadas as bases de um possível estudo, faço uma apresentação do grupo e suas comunidades com bases nos parâmetros de uma pesquisa etnográfica. À guisa de conclusão, problematizo as práticas do grupo e apresento possíveis questões de pesquisa. Finalizo o trabalho com considerações a respeito da relevância social de pesquisas dessa ordem.


Redes de comunicação e a globalização

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Gabriel Aguiar Tinti de Souza
Diêgo Pereira Lozi
Willian Louze Fonseca


A Globalização é um cenário que vem se tornando a cada dia mais real nos tempos atuais e um dos fatores que influencia essa maior integração e interação das mais diversas partes do globo sem duvidas é a evolução das redes de comunicação, sobretudo a internet, que permite os mais diversos tipos de interação entre as pessoas que vão desde simples conversas a bilionárias transações bancarias. O objetivo deste trabalho se encontra em enfocar o papel das redes de comunicação, em destaque a internet, no processo da globalização destacando sua função de conector de pessoas e corporações em todo o mundo. Como resultados obtidos apurou-se que as redes de comunicação têm influencia direta no processo de globalização e que na ausência delas não seria possível a interação de pessoas á longas distancias e que as mesmas são as responsáveis pela “queda de barreiras” que impedia a partilha de dados e informações, interação e partilhas essas que são a essência do “mundo globalizado”.


RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO EM EAD: PRÉ-CONSTRUÍDOS EM DISCURSOS DE FORMADORES DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Raquel Tiemi Masuda Mareco
André William Alves de Assis


Tendo em vista o aumento da procura por cursos na modalidade a distância e, consequentemente, da demanda por professores com qualificação para atuar nessa modalidade, temos por objetivo observar as identidades que se materializam no discurso de professores do curso de Especialização em Língua Inglesa oferecido pela Rede São Paulo de Formação de Docente (REDEFOR), ao falarem sobre a relação professor-aluno na educação a distância. Com base nos discursos produzidos, utilizamos o conceito de pré-construído, postulado por Michel Pêcheux, para compreender e analisar como ocorre o processo de construção de identidades desses profissionais. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas gravadas em arquivo de áudio e, posteriormente, transcritos e analisados. Por meio das análises, pudemos observar que o pré-construído de que em EAD a relação professor-aluno é distante, fria, se materializou no discurso da maioria dos professores entrevistados, demonstrando uma expectativa, por parte dos professores, de se ter um relacionamento igual ou semelhante ao que ele tem com os alunos na modalidade presencial.


SECOND LIFE: AMBIENTE VIRTUAL 3D UTILIZADO COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

Trilha: Ensino na Internet

Jadison Leite Brandao


Este artigo pretende discutir o potencial educacional do Mundo Virtual 3D Second Life. Pensar no Second Life no campo atrativo ambiental no ambiente virtual de aprendizagem extravasa a centralidade da função espaço-temporal que hoje lhe é conferida, uma vez que é uma ferramenta capaz de possibilitar os estudantes a manipulação consciente do conhecimento em processo de construção. E, além disso, proporcionar interação ainda maior entre os educadores e os estudantes, através de modelos computacionais que possam dar suporte aos métodos educacionais, não somente de forma textual, mas gráfica, visual e tátil. Pensar no Second Life no campo atrativo ambiental no ambiente virtual de aprendizagem extravasa a centralidade da função espaço-temporal que hoje lhe é conferida, uma vez que é uma ferramenta capaz de possibilitar os estudantes a manipulação consciente do conhecimento em processo de construção. E, além disso, proporcionar interação ainda maior entre os educadores e os estudantes, através de modelos computacionais que possam dar suporte aos métodos educacionais, não somente de forma textual, mas gráfica, visual e tátil.


Sujeito da/na cibercultura: discursos na era do amor virtual

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Jonathan Raphael Bertassi da Silva


A partir do referencial teórico da Análise do Discurso (AD) de matriz francesa, tomando como central o trabalho de Michel Pêcheux, este projeto propõe investigar o imaginário sobre as relações amorosas vivenciadas pelo sujeito na contemporaneidade, marcada pela forte presença da cibercultura, tais como retratadas no discurso artístico evidenciado em cinco filmes. Os longas-metragens selecionados para compor a pesquisa, representando heterogeneidade de países e gêneros cinematográficos, são: Apaixonado Thomas (Thomas est Amoureux, 2000), de Pierre-Paul Renders; I’m a Cyborg, But That’s OK (Saibogujiman Kwenchana, 2006), de Chan-Wook Park; A Garota Ideal (Lars and the Real Girl, 2007), de Craig Gillespie; Catfish (2010) de Henry Joost e Ariel Schulman e, finalmente, Medianeras (2011), de Gustavo Taretto. Para analisar recortes dos filmes mencionados que instalam sentidos a partir das condições de produção da contemporaneidade, mobilizamos conceitos da AD sobre o processo discursivo não-verbal, além do suporte de autores como Bauman (2001, 2004), Lévy (1999) e Lemos (2010) para compreender como o sujeito discursiviza(-se) na era do amor virtual.


Tecnologia enquanto linguagem: desafios e perspectivas das novas linguagens em sala de aula

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Francielle Vargas


O objetivo deste artigo é analisar e compreender o advento do ciberespaço e da cibercultura na perspectiva das mudanças paradigmáticas sociais, linguísticas, no âmbito da escola. Optou-se pela pesquisa bibliográfica de natureza qualitativa, seguido do relato de experiência sobre o uso das tecnologias em projetos educacionais. A criação deste “novo” espaço que emerge a partir da Internet cria também novas linguagens que são constitutivas deste espaço virtual. O argumento deste artigo fundamenta-se na percepção em que os habitantes deste novo espaço virtual, sejam eles nativos, imigrantes, navegantes ou “atualizantes” passem pelo processo de apropriação destas novas e múltiplas linguagens tecnológica, num movimento de multiletramento digital. Este processo é fundamental para a formação de protagonistas, críticos e ativos neste espaço e que tenha capacidade de compreender o contexto econômico e político, as quais essas novas tecnológicas estão inseridas a fim de transpô-los do papel de meros “participantes passivos” do ciberespaço,convidando-os a construir colaborativamente redes de saberes. Entender as hipermodalidade das linguagens tecnológicas e a seu alcance as juventudes é outro argumento deste artigo.Pensar essas novas linguagens tecnológicas enquanto metodologia em sala de aula num processo de ensino e aprendizagem que é atrativa as juventudes e promove que estes/as jovens atribuam sentido a escola.


Tudo Bem Ser Diferente: troca de experiências nas redes sociais digitais

Trilha: Blogs e Wikis

Sônia Caldas Pessoa


O Blog Tudo Bem Ser Diferente (www.tudobemserdiferente.com) nasceu como um desabafo de mãe e se tornou uma rede de troca de informações de pais e educadores sobre educação inclusiva. A proposta do blog é tratar a deficiência e outras diferenças como diversidade e não como patologia; a diversidade é a essência do ser humano. Assim, o debate sobre a educação inclusiva busca o direito à igualdade quando a diferença inferioriza o ser humano (SANTOS, 2003). O blog conta com sete colaboradores voluntários e desperta uma outra reflexão sobre o discurso contemporâneo da deficiência contra o preconceito. Tudo isso deu origem ao meu projeto de doutoramento na UFMG sobre o discurso da diferença nas redes sociais.


UTILIZANDO AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM MATEMÁTICO: UMA EXPERIÊNCIA EM SOBRAL-CE

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Francisco Jeovane do Nascimento
Neiva Daiane Cordeiro Gomes


A qualificação do ensino é um fator importante que contribui na promoção da inserção social, nesse sentido faz-se necessária a busca de métodos didático-pedagógicos que relacionem o meio social com o meio escolar, atrelando o conhecimento teórico com a sua vinculação em nossa vida prática/cotidiana, desmistificando os saberes matemáticos como ciência estática e vazia de significados, mas, sim, dinâmica e atuante no desenvolvimento dos indivíduos e da sociedade. Neste trabalho de investigação científica optamos pelo suporte da pesquisa de natureza qualitativa, com um estudo de caso, mediante a realização de atividades que atrelavam o conhecimento teórico com a sua vinculação prática, tendo como ferramenta auxiliar o uso tecnológico. Objetivamos analisar de que forma as tecnologias da informação e comunicação podem, quando utilizadas de maneira planejada e gradual, contribuir na aprendizagem significativa do conhecimento matemático, corroborando na busca de um processo de ensino/aprendizagem qualificado e adequado às necessidades do mundo atual.


VÍDEO CONFESSIONAL DO YOUTUBE: ANÁLISE DE UM DISPOSITIVO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Marcus Guilherme Pinto de Faria Valadares


Os vídeos confessionais que se proliferam pelo site YouTube precisam ser pensados não como materiais simplesmente dispostos em uma mídia ou consequência de uma tecnologia, mas como processos que surgem a partir de uma demanda, da urgência de um dispositivo. O YouTube, dessa maneira, é tido como dispositivo, espaço dinâmico, aberto e em constante desterritorialização, que lança as suas linhas de estratificação e de fissura. Essas linhas, inspiradas na discussão de Deleuze (2001), materializam-se na análise do objeto para compor os 4 operadores analíticos. Estes servirão como base para pensar o YouTube como um dispositivo que surge historicamente para atender, entre outras, a demanda da confissão, sendo, por isso, um operador de poder, de governo e também de subjetivação. Os quatro operadores que servirão para a análise desses vídeos confessionais são justamente: linhas de força, linhas de visibilidade, linhas de enunciação e linhas de subjetivação.