XIIevidosol/Resumos

De Wiki do texto Livre

XII Encontro Virtual de Documentação em Software Livre (EVIDOSOL) e IX Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia online (CILTEC-online), 01 a 03 de junho de 2015 - http://evidosol.textolivre.org/


Índice

Resumos

A AQUISIÇÃO DO ESPANHOL INSTRUMENTAL NA PLATAFORMA MOODLE

Trilha: Ensino na Internet

Valéria Jane Siqueira Loureiro


Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CEI (Curso de Espanhol Instrumental) para a comunidade interna da Universidade Federal de Sergipe. O CEI se trata de um curso para apreender a língua por meio da leitura de textos direcionados as diversas áreas de conhecimento apresentando subsídios para a compreensão da Língua Espanhola que se realiza na modalidade à distância pela plataforma Moodle promovido pelo Departamento de Letras Estrangeiras com o Centro de Educação Superior a Distancia da UFS. A oferta do curso é para os estudantes de qualquer área de conhecimento com a finalidade de desenvolver estratégias de leitura que ajudem na compreensão de textos escritos ampliando o conhecimento do vocabulário específico e de estruturas sintáticas do espanhol e levando os alunos a também familiarizar-se com as diferentes variedades da língua espanhola no mundo. Neste curso, além de oferecer o ensino de espanhol instrumental, também se objetiva a formação inicial dos estudantes do curso de Licenciatura em Letras (espanhol e português/espanhol) em analise e elaboração de material didático. Assim, nosso objetivo principal é propor e analisar a criação de materiais didáticos para as aulas de idioma instrumental, para tal objetivo baseamo-nos nas teorias pedagógicas propostas por Guimarães (2003), Xavier (2005), Oliveira (2003, 2006). Baseamo-nos no conceito de cibercultura de P. Levy (1999) e Kensi (2003) e no Grupo REA (Recursos Educativos Abertos) do Brasil com propostas e temas relevantes como, por exemplo, as que nos expõe o professor Nelson Pretto (2008) entre outros.


A COMUNICAÇÃO NA REDE SOCIAL FACEBOOK E A PRODUTIVIDADE LEXICAL EM LÍNGUA PORTUGUESA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Lenise Ribeiro Dutra
MARCOS ANTONIO PEREIRA COELHO


A criatividade lexical tem se tornado uma ferramenta de comunicação sem precedentes na linguagem virtual, em especial nas redes sociais digitais, em virtude das exigências de tais ambientes, pela rapidez comunicativa entre os interlocutores. Neste artigo, para isso, pretende-se abordar o recurso da criatividade lexical em língua portuguesa, observando as ocorrências na rede social digital facebook. Ainda tem por objetivo definir neologia e neologismo e verificar a exploração do campo lexical e da criação neológica como peça importante nas atividades comunicativas na rede social digital; diferenciar os conceitos de rede social e rede social digital, para, ao final, analisar a produtividade lexical presente nesta ferramenta de comunicação.


A COMUNICAÇÃO NO MST: O JORNALISMO ONLINE X O IMPRESSO

Trilha: Jornalismo na Internet

Bruna Toso Tavares
Eduardo Luis Mathias Medeiros


Iremos discutir a utilização do espaço digital pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), observando como os movimentos sociais se aproveitaram das vantagens trazidas pela Internet para levar informação sobre suas demandas, difundir seus valores, visões de mundo e experiências, sem necessitar da mediação das mídias tradicionais, que, em geral, são geridas por interesses opostos aos dos movimentos. No caso do MST, o movimento desde sua fase embrionária já desenvolveu sua comunicação independente por meio de veículos próprios e contra hegemônicos, contando, atualmente, com uma revista, um jornal e um site. Neste veículo, a comunicação do movimento com seus membros e com a sociedade como um todo é muito mais livre do que, por exemplo, no jornal impresso do próprio movimento. Assim, neste trabalho faremos uma breve análise comparativa entre duas notícias sobre o mesmo evento e que trazem as mesmas informações publicadas no site e no jornal do MST, observando que elas tomam configurações e características distintas.


A EDUCAÇÃO E A INCLUSÃO DIGITAL: dilemas e descompassos

Trilha: Inclusão digital

OSMAR HÉLIO ALVES ARAÚJO


Percebe-se que o atual contexto social, vaticinada como a sociedade do conhecimento, estar imbuído pelos múltiplos reflexos da tecnologia, mormente, o cenário educacional. Fazendo desencadear desafios, possibilidades de construção do conhecimento, influenciado a interatividade no meio social e, como consequência, a necessidade da inclusão do homem no mundo tecnológico. Nesse contexto, pretendemos discutir a respeito da educação e inclusão digital, objetivando enfatizar seu papel no processo de inclusão do homem na sociedade contemporânea. Buscamos embasamento teórico nos estudos de Sibilia (2014), Silva (2015), entre outros, almejando salientar a importância das condições de acesso, de forma equânime, ao mundo tecnológico para, assim, cercear a exclusão digital e o atraso no que tange ao uso das tecnologias no cenário educacional brasileiro. A inserção da tecnologia na educação e o processo de alfabetização digital são tempestivos para dirimirem-se os desafios, dilemas e descompassos, na concretização da inclusão digital na sociedade contemporânea.


A Escola e a Produção de Subjetividades numa Sociedade Tecnológica.

Trilha: Inclusão digital

Carlos Alexandre Holanda Pereira
OSMAR HÉLIO ALVES ARAÚJO
Emmanuel Alves Carneiro


O trabalho tem o intuito de fazer uma análise sobre a constituição das novas subjetividades e dos valores construídos socialmente, que vem surgindo na instituição escolar no contexto de uma sociedade tecnológica, consumista e competitiva. Para tanto, fizemos uma pesquisa bibliográfica, utilizando como referencial teórico a obra, Redes ou Paredes: a escola em tempos de dispersão, de autoria da Paula Sibilia. A análise se centrou como a escola vem se transformando diante do surgimento das novas tecnologias, os acessos e redes incidem nos estilos de vida, sua repercussão na escola e na constituição de novas subjetividades. Diante do exposto, podemos entender que os autores consultados contribuíram para uma reflexão necessária sobre o papel da escola na constituição da subjetivação dos alunos.


A Formação Continuada a distância como suporte para a prática do docente da modalidade de ensino de jovens e adultos

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Joyce Vieira Fettermann
Geucineia Pencinato


Este artigo, que é fruto de uma pesquisa em andamento, tem como objetivos investigar se a formação continuada dos professores de jovens e adultos na modalidade Educação a Distância (EaD) e o uso das novas tecnologias da informação e da comunicação (NTICs) intervêm para melhor desempenho dos alunos na modalidade de ensino de jovens e adultos (EJA) e de que maneira essa intervenção pode acontecer. Utiliza-se a pesquisa de campo, além da observação e o questionário como instrumentos de coleta de dados. Como aporte teórico, buscam-se contribuições de autores como Libâneo, Moran, Gadotti, Pierre Lévy e Paulo Freire, dentre outros.


A HIPERMÍDIA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES DIDÁTICO-METODOLÓGICAS

Trilha: Ensino na Internet

Benedito de Jesus Serrão Rodrigues


Neste artigo compreende-se que com o advento da globalização é impossível não falar nas novas formas de ensino-aprendizagem. Nesse contexto, a “sociedade em rede” (LÉVY, 1998) deixa de ser um campo fechado em si e torna-se um novo espaço de interações - passando à condição de produzir sentidos sociais, que transbordam os paradigmas mecanizados pela didática tradicional e conteúdos suficientemente positivistas ministrados nas aulas de língua portuguesa, por exemplo. Assim, em uma primeira instância, considera-se a globalização como eixo norteador das novas configurações sociais, cujo alicerce dar-se-á com o uso de novos instrumentos tecnológicos (celular, computador, Iphone) que em tempo real quebram as fronteiras espaço-temporais. Para tanto, abordarei a internet como o espaço que estimula à participação produtiva e social para, enfim, articular a hipermídia - ramificação tecnicamente projetada pela internet não apenas como convergência de mídias – vídeo, som, imagem...; mas como um ambiente que transforma as informações na própria experiência (SANTAELLA, 2008), a fim de discutir possíveis perspectivas para elaboração coordenada de métodos didáticos-metodológicos.


A Importância da tecnologia para o ensino democrático

Trilha: Ensino na Internet

Esivaldo Idalino da Silva


Este trabalho descreverá de forma breve a história da educação à distância no Brasil, no Piauí e no curso de pedagogia de Canto do Buriti, pois serão de fundamental importância para o entendimento deste trabalho. Os processos mediadores na educação à distância ocorrem de diversas formas, tais como através de computadores, aplicativos, conexão com a internet e profissionais qualificados. Utilizou-se uma metodologia consubstanciada em referenciais bibliográficos e entrevistas, com o objetivo de descrever a importância da tecnologia para o ensino democrático, em especial na modalidade de Educação à Distância que utiliza 80% dos recursos informáticos e tecnológicos em sua metodologia de ensino. Assim, cabe dialogarmos sobre os processos tecnológicos insuficientes em algumas regiões do país, os quais são geradores de desestímulos e desigualdades sociais, culturais, econômicas e educativas. Diante disto, defenderemos a importância da utilização de processos tecnológicos para democratização do ensino, apontando limitações técnicas e possíveis soluções. Focando problemas como as dificuldades de adaptação na utilização de equipamentos digitais, as dificuldades em acessar a internet, a falta de condições financeiras para aquisição de computadores pessoais, por serem essas as principais reclamações dos alunos do pólo de apoio presencial de Canto do Buriti.


A INCLUSÃO DIGITAL COMO PROPONENTE DO DESENVOLVIMENTO HUMANO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Trilha: Inclusão digital

Tania Regina Dantas


Um desafio decorrente da contemporaneidade é incluir as pessoas e organizações digitalmente. Este artigo tem como objetivo geral: discutir a inclusão digital de docentes na Educação básica, através das TIC. Como objetivos específicos, pretende-se: apresentar o processo educativo através de nuanças da globalização, contextualizando a formação dos professores no aspecto da transdisciplinaridade. A opção metodológica foi a da pesquisa bibliográfica e documental. Constatamos que a globalização trouxe novos desafios à sociedade e que o uso das TIC poderá promover a inclusão social através da ação educativa. Concluímos que se torna necessária uma formação docente que promova o acesso as TIC ultrapassando os limites da técnica.


A INTERAÇÃO ENTRE OS PROCESSOS METAFÓRICO E METONÍMICO NA CONSTRUÇÃO DE SENTIDO DA CHARGE ANIMADA OS LULASTONES.

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Natália Elvira Sperandio


este trabalho tem a finalidade de discutir a interação dos processos metafórico e metonímico na construção de sentido de um texto multimodal. Nossa proposta não se limita apenas a demonstrar a forma pela qual esses processos articulam-se na construção do sentido desse texto, mas também verificar o papel dos diferentes modos semióticos na construção dessa interação. Para isso, utilizamos como corpus as denominadas charges animadas, nessa pesquisa em específico, a charge intitulada “Os lulastones”. Como resultado, observamos que a interação metafórica e metonímica ocorre de forma simultânea, sendo a metáfora resultante da interação de um conjunto complexo de metonímias. Por outro lado, verificamos que, ao serem produzidas em um texto multimodal, essa interação torna-se mais complexa, pois há a introdução de novos elementos na produção dessas metáforas e metonímias.


A morfogénese da metropolização do mundo

Trilha: Linguagem e Tecnologia

ISABEL MARCOS BOURHIS


a enviar


A PRATICA AUTOBIOGRAFICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: TESSITURA DE UMA PESQUISA-AÇÃO ATRAVÉS DO ACERVO DIGITAL COMOPROMOTORA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO

Trilha: Inclusão digital

Marinalva Batista


As Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC) estão inseridas no dia-a-dia da sala de aula de forma coletivizada e heterogênea. Destarte, o objetivo geral do artigo é analisar aspectos da oficina Aprendendo a Aprender através das TIC – Oficina sobre acervo digital, elencadas pelos docentes de uma unidade da rede pública de educação básica, de Salvador, como fundamentais para a qualidade do ensino-aprendizagem. Como objetivos específicos, pretende-se: avaliar a oficina Aprendendo a Aprender através das TIC – Oficina sobre acervo digital como mediadora no processo de aprendizagem diante das multiplicidade de ferramentas tecnológicas existentes, assim como considerar a autobiografia como possibilidade metodológica. Como opção metodológica utilizou-se a pesquisa-ação, a pesquisa bibliográfica e documental, para coleta de dados e informações foi utilizada a observação participante; entrevista semi-estruturada. Os sujeitos da pesquisa estão representados por uma amostra de 11 docentes/alunos da unidade selecionada. Constata-se que a admissão das TIC na práxis docente exige mudanças paradigmáticas por parte dos sujeitos. Conclui-se que a oficina Aprendendo a Aprender através das TIC – Oficina sobre acervo digital posssibilitou a potencialização de conhecimento de modo transformador, por meio da ação/reflexão/ação, proporcionando condições para a resolução de problemas por meio da interatividade entre os sujeitos nos portais acadêmicos públicos de conteúdos digitais. A oficina organizou-se, desta forma, como elemento de colaborativo na prática docente.


A PRESENÇA DE MARCADORES CONVERSACIONAIS EM E-MAILS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Edneia Aparecida Bernardineli Bernini


Este artigo tem como objetivo geral evidenciar, a partir das análises do corpus selecionado – e-mails produzidos por alunos, a presença de marcadores conversacionais em textos escritos. Por meio de pesquisa quantitativo-qualitativa de cunho interpretativo, levantaremos os marcadores de maior ocorrência; verificaremos como esses marcadores atuam na construção do texto e na sua organização, bem como analisaremos a função dos marcadores no corpus eleito. Para subsidiar esta análise, recorremos a leituras e a conceitos desenvolvidos, a partir da perspectiva da Teoria da Análise da Conversação, principalmente por Castilho (1989, 1998), Marcuschi (1989, 2001, 2010), Urbano (1993) e Galembeck e Carvalho (1997). Pela análise pudemos perceber que os marcadores conversacionais típicos da língua falada, aparecem em textos escritos e atuam como organizadores de construções textuais e mantenedores da interação discursiva, estabelecendo uma relação entre ambos.


A PROPÓSITO DA VALÊNCIA GENÉRICA NA WEB: DEBATE POLÍTICO TELEVISIVO, GÊNEROS AVATARES E IRRADIAÇÃO

Trilha: Jornalismo na Internet

Andre William Alves de Assis


Apresentamos e problematizamos neste trabalho o conceito de valência genérica, desenvolvido por Maingueneau (2010, 2014). Ancoramo-nos conceitualmente em trabalhos atuais da Análise do Discurso de linha francesa, a partir do objetivo maior de analisar a produção e reprodução de gêneros discursivos, assim como seu percurso no interdiscurso, sua circulação social. Selecionamos como material de análise um debate político televisivo, discurso oral considerado como núcleo irradiador de outros gêneros, e gêneros que são (re)produzidos a partir desse núcleo, como tuites e notícias online. Nossa análise problematiza esse percurso em duas perspectivas: uma interna, a partir da produção de avatares diversos; outra externa, em relação ao poder de irradiação na criação de novos gêneros. Os resultados preliminares permitem-nos questionar sobre a hibridização das modalidades escrita e oral em gêneros eminentemente orais, manifesta em uma sequencialidade de produção discursiva de gêneros avatares, normalmente prescritos ou previsíveis, que afetam a prática da oralidade dos atores políticos no debate político televisivo.


A TEORIA DA AUTODETERMINAÇÃO E A COMUNICAÇÃO ENTRE PROFESSORES E ALUNOS EM UM CURSO DE INGLÊS ON-LINE

Trilha: Ensino na Internet

Márcia Magarinos de Souza Leão


Esse artigo relata uma pesquisa sobre a intensificação da comunicação de uma professora com alunos de um curso de inglês on-line baseado em interação aluno-conteúdo. As mensagens enviadas aos alunos buscaram apoiá-los em termos de gerenciamento do curso, de aproveitamento dos estudos, de utilização efetiva da mídia, de planejamento e de autoavaliação, por exemplo. Com base na teoria da autodeterminação (RYAN e DECI, 2000a; 2000b), as mensagens tinham as funções de reforçar o sentimento de competência dos alunos, estimular sua autonomia ou autoregulação e desenvolver a noção de vínculo com o curso. Assim, busquei estimular a autodeterminação dos indivíduos, levando-os a um maior interesse no retorno aos estudos e na realização das tarefas.


A UTILIZAÇÃO DA LOUSA DIGITAL COMO ESTÍMULO NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM

Trilha: Inclusão digital

Patricia Silva Rocha


O objetivo deste trabalho é enaltecer a utilização da lousa digital, como um instrumento tecnológico interativo, que possibilita a elaboração de atividades pedagógicas, associadas à Teoria dos Estilos de Aprendizagem. A lousa digital incorpora todos os recursos que o computador oferece, mas com o diferencial de permitir a interação entre o professor e os alunos, favorecendo a construção coletiva do conhecimento. Os referenciais de Estilos de Aprendizagem e da inserção da lousa digital como instrumento de aprendizagem utilizado, se baseiam nas investigações desenvolvidas pelos pesquisadores como, José Luis Garcia Cué, Daniela Melaré Vieira Barros e Sergio Ferreira do Amaral entre outros, que defendem que Estilos de Aprendizagem são os traços cognitivos, afetivos e fisiológicos, que servem como indicadores relativamente estáveis, de como os alunos percebem, interagem e respondem aos seus ambientes de aprendizagem.


A UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA SALA DE AULA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Morgana Silveira Lacerda
Maria Conceição Lima Santos


A utilização das Novas tecnologias em sala de aula vem se tornando imprescindíveis, uma vez que os alunos estão mais conectados nas linguagens digitais. E para alcançá-los, os professores devem buscar se familiarizar com essas novas ferramentas e fazer uso das mesmas criando-se assim uma conexão com os alunos. Seguindo esse contexto, esta pesquisa buscará abordar a tecnologia em seu contexto geral, assim como as TIC, exemplificando estas vêm sendo utilizadas na educação presencial e como os professores estão agindo diante delas. A metodologia desta pesquisa baseou-se foi qualitativa e usou como descritores, as palavras: TIC, Educação, Tecnologia, Sala de Aula, Utilização das TIC, Novas Tecnologias, Audiovisual e EAD. Diante disso, percebeu-se que a utilização das TIC é importante para gerar um maior interesse dentro da sala de aula, e isso poderá proporcionar aos alunos uma nova forma de aprendizagem.


A UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO MÉDIO: POSSIBILIDADES DE PROMOÇÃO DOS LETRAMENTOS CRÍTICO-PROTAGONISTAS

Trilha: Ensino na Internet

Viviane Raposo Pimenta


Sabemos que os nossos jovens alunos do Ensino Médio já se encontram inseridos na cultura digital. Queiramos ou não, muitos dos nossos alunos já possuem seus próprios dispositivos móveis digitais e têm acesso aos mais variados textos que circulam na Internet. Muito mais que isso, com a cultura digital, para além de consumidores de textos, nos tornamos produtores e difusores de discursos. Assim, objetiva-se, neste estudo, refletir sobre algumas possibilidades de trabalho com a leitura/produção de textos, tanto textos tradicionais escritos, que também apresentam características multissemióticas, quanto textos multimodais digitais. Nesta perspectiva, apresentamos a proposta do Grupo de Nova Londres (GNL) de uma pedagogia dos multiletramentos, entendida como uma pedagogia da diversidade cultural e da diversidade de linguagens e mídias que constituem os discursos multiculturais, que tem como objetivo atender à necessidade de transformação dos alunos de receptores a criadores de sentidos, analistas críticos, capazes de transformar os discursos e significações. Acredita-se que com a pedagogia dos multiletramentos podemos substituir “o paradigma de aprendizagem curricular que assume que alguém decidirá o que você precisa saber e planejará para que você aprenda tudo em uma ordem fixa e em um cronograma fixo, e assim constituir o paradigma da aprendizagem interativa” (LEMKE, 1994, s/p). Com base neste paradigma de aprendizagem, pode-se propor uma formação que objetive ir além da escrita, imagem, som, movimentos etc. uma formação que vá ao encontro dos Letramentos Crítico Protagonistas para o exercício da cidadania.


A UTILIZAÇÃO DO CELULAR POR ALUNOS DO ENSINO NOTURNO PARA O ENSINO DE FÍSICA: UM ESTUDO DE CASO DE UM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Trilha: Ensino na Internet

ADRIANA OLIVEIRA BERNARDES


Muitas são as dificuldades no Ensino de Física no Ensino Médio, os resultados de avaliações externas mostram que a maioria dos alunos não chegam ao nível considerado intermediário, e se considerarmos os resultados do Ensino regular noturno, no qual a maioria dos alunos trabalham durante o dia, verificamos que as dificuldades são muito maiores. Tradicionalmente, o recurso principal utilizado pelo professor é o livro didático, aliado a aulas expositivas, por isso sabemos da importância de inovação nos recursos utilizados para uma melhoria nos resultados obtidos. Como o celular é utilizado no Brasil, por praticamente 100% dos alunos, este recurso, chamado recurso móvel, pode ser utilizado com fins didáticos, motivando o aprendizado do mesmo. O projeto foi desenvolvido junto à turma do 3o ano, no qual o conteúdo de Física segundo o currículo seguido no Rio de Janeiro é o Eletromagnetismo. Realizando um trabalho com a chamada tecnologia móvel, o celular, vem sendo obtidos bons resultados junto aos alunos, principalmente em relação a motivação do mesmo para o estudo e realização de trabalhos.


A WEB E A VEICULAÇÃO DE CONHECIMENTOS: UMA PORTA ABERTA À TRANSDISCIPLINARIDADE

Trilha: Ensino na Internet

ROBERIO PEREIRA BARRETO


Este ensaio objetiva apresentar a web como espaço privilegiado onde as ocorrências de justaposições de linguagens e de bens culturais e simbólicos têm suas áreas de abrangências ampliadas e, portanto, novos significados são atribuídos às práticas transdisciplinares que orientam a produção, a socialização e o intercambio entre as áreas de conhecimentos disponíveis na contemporaneidade. A metodologia adotada para este texto está associada ao dialogismo e à interação entre ciências, visto que por se tratar de um tema tão complexo se viu que este seria o caminho a percorrer devido ao entendimento de que as transdisciplinares são por si mesmas dialógicas e tem na web seu postulado maior. Por se tratar de um texto mediador, decidiu-se por não fazer uso demasiado de citações, claro que algumas são indispensáveis.


ANÁLISE COMPARATIVA DOS PERFIS INSTITUCIONAIS DAS EMPRESAS VIAJAR BARATO E HOTEL URBANO NAS REDES SOCIAIS

Trilha: Comunidades Virtuais

Irley David Fabrício da Silva
Nelio de Araujo Oliveira


Este trabalho propõe analisar comparativamente os perfis institucionais de duas empresas de grande porte, a Viajar Barato e o Hotel Urbano, nas redes sociais, especialmente no Twitter, Blog corporativo e Facebook. Para isso, foram adotados três critérios, tais quais: (1) interação entre empresa e consumidor; (2) atualização da página; (3) e elogios e críticas. Metodologicamente, a pesquisa foi realizada num espaço de tempo de 15, do dia 01 a 15 de novembro de 2014. Reconhecemos que é importante à pesquisa em questão, tendo em vista que as tecnologias de comunicação modificou significativamente a sociedade, e isso é válido, sobretudo, nas relações entre empresa e consumidor, pois estes estão cada vez mais críticos, seja para devolver a ordem pública através das manifestações em rede, seja para reivindicar posições de empresas que relegam e violam os direitos do consumidor, bem como os direitos sociais. No fim, notou-se que o HU, em alguns aspectos se sobressai em relação à empresa Viajar Barato, no entanto, observou-se que as ambas as empresas necessitam se atentar as exigências atuais, do contrário a possibilidade de sucumbirem é grande.


APLICAÇÕES DA REALIDADE AUMENTADA (RA) COMO RECURSO PEDAGÓGICO NO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Larissa Cristina Cruz Brum


Este trabalho apresenta uma proposta de ensino de língua inglesa apoiada por objetos de aprendizagem desenvolvidos em ambiente de Realidade Aumentada (RA). Essa nova tecnologia permite a expansão do ambiente real através da sobreposição de objetos virtuais. Para isso, foi realizado um experimento em livro didático de inglês direcionado para a educação infantil utilizando a plataforma “Aurasma” que permite ao usuário criar e publicar seus próprios objetos de interação virtual. Sob o aporte teórico construtivista de Jean Piaget (1994) e a discussão sobre o uso de RA para fins educativos (AZUMA, 2001; DUNLEAVY, M., & DEDE, 2014), os primeiros resultados obtidos contribuíram para minimizar as dificuldades de entendimento dos alunos da língua alvo e tornar mais dinâmico e interativo o processo de aprendizagem de uma nova língua.


AS CULTURAS EMERGENTES DO EVIDOSOL/CILTEC ONLINE

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Carlos Henrique Silva de Castro


Este artigo apresenta uma breve leitura das culturas dos eventos científicos Encontro Virtual de Documentação em Software Livre (EVIDOSOL) e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia (CILTEC) online. O termo cultura, aqui, é entendido como leitura de práticas (AGAR, 2006). A teoria que guia essa leitura é a dos sistemas adaptativos complexos (SACs), que são abertos, não-lineares, particulares, auto-organizáveis e, portanto, sujeitos às emergências. A emergência refere-se, dessa forma, a uma ordem estabelecida a partir de um momento de desordem (MORIN, 2005; PALAZZO, 2004). O trabalho constrói dados a partir de alguns textos sobre o website dos eventos e uma entrevista. Como conclusão, vemos um sistema adaptativo complexo rico em emergências, como se espera de um.


AS EGO-HISTÓRIAS E O ESCRITOR DE HOJE

Trilha: Hipertexto

Everton Vinicius de Santa


Esta discussão se refere à figura do escritor-autor que agora se trasladou ao meio digital, ou seja, a um espaço onde ele pode ser observado por todos de forma permanente. Esse traslado impõe uma série de mudanças na elaboração de uma entidade autoral por parte do escritor, entendido como sendo a pessoa física, o indivíduo que escreve. Então, esse passo ao meio digital consolidou a deslegitimação da figura do autor dos nosso dias. A consequência dessa imersão hipertextual por parte do escritor está sendo sua espetacularização. Assim, nesta sucinta reflexão, trago à tona essas problemáticas sobre o escritor a partir das ego-histórias, entendidas aqui como experiências pessoais presentes no texto em primeira pessoa e tendo como exemplos duas narrativas: "La parte inventada" (2014), de Rodrigo Fresán, e "O espírito da prosa" (2012), de Cristóvão Tezza. Procuro mostrar como os meios digitais e a cultura midiática favorecem uma reflexão metaliterária sobre a invenção de um "eu-autor" que satisfaz a necessidade de um exibicionismo proporcionado pelos meios digitais com o objetivo de consolidar a imagem do escritor e do autor ao mesmo tempo.


AS MÍDIAS MÓVEIS E O INSTAGRAM NA COLABORAÇÃO DAS CAUSAS SOCIAIS. UM ESTUDO DE DOIS CASOS.

Trilha: Comunidades Virtuais

Irley David Fabrício da Silva


Este trabalho resulta da observação do Instagram como plataforma que contribui na disseminação das fotos e vídeos das causas populares. Focalizamos, tendo em vista a complexidade do objeto de pesquisa, na análise de dois casos repercutidos no Instagram, tais quais: os protestos ocorridos na Ucrânia; e o caso de apoio popular a repórter que foi atingida por uma bala de borracha nos movimentos sociais ocorridos em Junho de 2013, no Brasil. Reconhecemos que é preciso compreender as propagações das causas populares e movimentos sociais ocorridos em rede como modalidades que situa novas experiências democráticas no século XXI. Buscamos as formulações de autores como: Recuero (2005, 2007, 2011); Brunet (2009); Antoun (2004) dentre outros, para compreender os novos modos de participação popular por meio das redes digitais. Após a análise, conclui-se que o Instagram, de fato, colabora na disseminação das causas populares, embora nem todos os usuários sejam compromissados com as causas sociais.


ASPECTOS NEGATIVOS DAS INTERAÇÕES POR MEIO DA ESCRITA NA VISÃO DOS PARTICIPANTES DE UM CURSO A DISTÂNCIA

Trilha: Ensino na Internet

Doris de Almeida Soares


Este trabalho tem por objetivo discutir algumas questões ligadas a experiência de aprender on-line e como nesta, através do discurso escrito, os alunos se inserem. Para tanto, foi realizado um estudo empírico junto a 20 professores de línguas, participantes de um curso virtual de 10 semanas, ministrado na plataforma TelEduc, para capacitá-los para desenvolver materiais digitais. Para o estudo, os participantes responderam a um questionário no meio do curso e a algumas questões por e-mail, ao término do mesmo. O questionário enfocava os comportamentos dos participantes nas ferramentas do curso (fórum, perfil e portfólio) e as perguntas por e-mails solicitavam uma avaliação da experiência de aprender on-line. Apesar de os dados indicarem que a experiência de aprendizado foi avaliada de modo bastante positivo, alguns depoimentos e comentários apontam aspectos negativos da aprendizagem on-line relacionados à interação por meio da linguagem escrita no ambiente virtual. São eles a insegurança, a sensação de não pertencer ao grupo e a preocupação com a preservação de face. Este trabalho discute estas questões, as quais podem impactar negativamente o processo de aprendizagem, à luz das práticas discursivas que encontramos na sala de aula presencial. Sugere, também, que busquemos estar atentos e adequar nossas práticas discursivas para atender as demandas da aprendizagem colaborativa mediada pelo computador.


AUTONOMIA: PERSPECTIVA HEUTAGÓGICA PARA O DESIGNER INSTRUCIONAL

Trilha: Ensino na Internet

MARCOS ANTONIO PEREIRA COELHO
Lenise Ribeiro Dutra


Em tempo de grande disseminação da informação, deparamo-nos com ambientes educacionais motivadores que fazem uso das Novas Tecnologias da Informação, mas que utilizam como modelo a pedagogia tradicional para seu embasamento e que não preconiza o uso dessas tecnologias. Neste contexto surge o aluno autônomo e conectado em redes de comunicação, cada vez mais faminto de novas práticas e novas ferramentas. Este artigo que tem como objetivo realizar um pequeno estudo sobre as novas práticas educacionais emergentes da era da informação. Para tanto, Faremos uma breve análise da prática heutagógica aplicada à modalidade online, levando em conta a utilização das tecnologias da informação e da comunicação, ferramentas disponíveis na produção do material didático, servindo assim como sustentação para o Designer Instrucional de curso nessa modalidade. Esse conceito surge em um momento em que as informações disponíveis necessitam ser tratadas e selecionadas, transformando-as em conhecimento. A heutagogia contempla o fato de o aluno administrar sua própria aprendizagem, definindo o quê, como e quando aprender. A metodologia eleita foi a pesquisa bibliográfica em livros, revistas e jornais. Vimos que todas as modalidades de ensino se tornam ainda mais atraentes quando são facilitadas pelas tecnologias da informação e comunicação bem embasadas em teorias educacionais recentes.


“BAGUNÇA INFORMACIONAL” NA WEB: FOLKSONOMIA COMO ALTERNATIVA AOS MÉTODOS TRADICIONAIS DE ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Vânia Lúcia Coelho


A Ciência da Informação caracteriza-se por se preocupar não com o documento em si, mas com a informação nele contida. Foi diante desta peculiaridade que o processo de indexação tornou-se essencial, possibilitando, por meio de técnicas e instrumentos próprios, o controle do vocabulário das palavras que poderiam ou não descrever e resumir o conteúdo de um documento. Anos mais tarde, entretanto, com a criação da segunda geração da web, colaborativa, permitiu-se que leitores se tornassem também produtores de conteúdo nos mais diversos meios, em especial nas redes sociais. Os tesauros e vocabulários controlados já não poderiam abarcar as necessidades de gerenciamento dos milhares de bytes de informação criados diariamente e a folksonomia surge como o meio mais dinâmico, democrático e plural de organizar e recuperar informações por meio da livre inserção de palavras-chave. O presente trabalho busca analisar de que forma o método bibliotecário tradicional de organização da informação se viu afetado pela folksonomia e como esta tem se mostrado uma estratégia interessante de organização da informação na web


“In Brazilian Portuguese”, memes e fenômenos: reconhecendo e investigando EVENTOS digitais via estudos de base linguística

Trilha: Linguagem e Tecnologia

JAIME DE SOUZA JÚNIOR


Neste trabalho, orientados por uma perspectiva da linguagem (HALLIDAY, 1987; KRESS; VAN LEEUWEN, 2000; SOUZA JÚNIOR, 2014), apresentamos aos leitores menos familiarizados (sejam estes estudiosos da linguagem, profissionais de áreas correlatas ou professores dos diversos estágios educacionais), de maneira sucinta, alguns aspectos teórico-metodológicos e termos-chave relevantes para pesquisas de base linguística, no sentido de que, a partir de investigações da referida natureza, como já se faz em estudos de orientação comunicacional (RECUERO, 2006) ou memética (TYLER, 2011, 2013), se possa proceder ao reconhecimento e à investigação da propagação de eventos digitais, tais como o fenômeno de memes “In Brazilian Portuguese” – difundido majoritariamente através da rede social Twitter.com, em fevereiro de 2015.


BASES TEÓRICAS PARA PENSAR O HIPERTEXTO - PERCURSO ENTRE A AUTOPOISE E A COMPLEXIDADE

Trilha: Hipertexto

Acássia Araújo Barreto
Lilian Cristina Monteiro França


A escritura na forma de hipertexto não é exclusividade dos ambientes digitais, entretanto, tendo o computador como suporte e a internet como recurso para a escritura/leitura, ganha uma série de recursos não disponíveis, por exemplo, no papel. As bases teóricas para pensar o hipertexto têm utilizado diferentes referenciais, tais como a comunicação, a sociologia, a teoria do texto, entre outros. Espera-se, no âmbito deste paper, aproximar a estrutura organizadora do hipertexto do referencial da teoria da complexidade, como a entende Edgar Morin, e da autopoiese, na ótica de Humberto Maturana e Francisco Varela. Para tanto, foi realizada uma pesquisa exploratória, baseada na análise bibliográfica, que procura identificar como a estrutura hipertextual se aproxima de tais abordagens. Como resultado, é possível perceber que as principais premissas do pensamento complexo e da autopoiese oferecem recursos interessantes para pensar o hipertexto.


Blog como ambiente de aprendizagem: algumas considerações conceituais

Trilha: Blogs e Wikis

Mariana Dutra de Carvalho Lopes


Este trabalho apresenta algumas considerações conceituais sobre o uso de blogs na educação. Como referencial teórico, foram selecionados Richardson (2009), Amaral, Recuero e Montardo (2008) e Ribeiro (2012). A partir das propostas destes autores, foram apresentadas as principais características dos blogs e discutidas as suas possíveis consequências quando aplicadas em contextos educacionais. Paralelamente à discussão, foram feitas considerações sobre o blog do Universidade, Educação a Distância e Software Livre – UEADSL, evento promovido como atividade final em uma disciplina de graduação. Como conclusão, foi apontado que a forma de organização do evento no blog, enquanto espaço para socialização de trabalhos finais de uma disciplina, contempla as principais características e potenciais dessa ferramenta na educação. Dessa forma, este trabalho pode contribuir com a reflexão sobre metodologias de uso de blogs e sobre práticas adotadas pelos professores no emprego de tecnologias.


Como se constrói uma cultura livre? Implementação e uso de Software Livre na RME de Porto Alegre

Trilha: Inclusão digital

Jacqueline Gomes de Aguiar


O objetivo deste texto será analisar como a implementação de software livre na escola pública municipal pode produzir novas posturas frente a tecnologia por toda a comunidade escolar, especialmente por parte de professores e alunos. Situada no campo dos Estudos Culturais, esta análise apresenta relevância e justifica-se pela centralidade que tal campo atribui a conformação de identidades. Entende-se e presume-se que as identidades dos professores e dos alunos que se constituem a partir da implementação de uma política pública baseada na ideologia livre de software são peculiares em sua relação com as tecnologias, atribuindo-lhes aspectos autorais, participativos e convergentes que em outras relações proprietárias não acontecem. Levando em consideração o acompanhamento e observação da implementação desta política pública em 28 escolas na rede Municipal de Ensino de Porto Alegre se pôde perceber o surgimento de uma cultura livre que leva em conta o compartilhamento de conhecimentos frente ao uso e a apropriação das tecnologias, e sobretudo frente a fluência adquirida a partir destas vivências, por parte dos professores e alunos.


COMUNIDADES DE LEITORES: COLABORATIVISMO EM REDE

Trilha: Comunidades Virtuais

Ludmila Ferrarezi


Este trabalho, que apresenta alguns resultados de uma pesquisa de doutorado, defendida em 2014 na Faculdade Filosofia, Ciências e Letras da USP, visa a discutir algumas das novas práticas de leitura e escrita mediadas pela Internet, que têm como elemento principal o traço coletivo e colaborativo que permite tecer relações entre sujeitos-leitores no entremeio do espaço físico e do virtual, através da formação de comunidades de leitores/escritores. Enfoca as redes sociais Facebook e SKOOB, bem como duas iniciativas ainda pouco conhecidas no país, o Crowdwriting, por meio da plataforma colaborativa Widbook, e o Bookcrossing, perpassando algumas questões relativas aos e-books.


CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE O USO DAS TECNOLOGIAS COMO FERRAMENTA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Claudia de Faria Barbeta


O trabalho propõe-se a apresentar dados preliminares coletados por meio de questionário semiaberto de uma pesquisa que busca conhecer o grau de conhecimento que os professores de língua portuguesa têm sobre o uso das TIC em sua prática pedagógica. Participaram do estudo docentes de língua portuguesa que atuam nas escolas públicas estaduais da cidade de Londrina (PR). Após apreciação dos dados apresentados, infere-se que as iniciativas dos programas oficiais são válidas, no que diz respeito ao desenvolvimento de programas e ações para a qualidade da educação. No entanto, pelas respostas dos professores que participaram dessa pesquisa, há uma enorme lacuna entre o que é proposto e o que é efetivamente desenvolvido nas escolas.


CONSTRUINDO O ESTADO DA ARTE DA GAMIFICAÇÃO

Trilha: Ensino na Internet

Gerson Bruno Forgiarini de Quadros


A gamificação é o uso de elementos de games em contextos de não-jogo. Esse conceito nasce, inicialmente, com o propósito de resolver um problema de produção profissional decadente no mercado empresarial na década de 70, onde, por outro lado se via o estímulo das pessoas pelos jogos/esportes crescer. Desse modo, pensar em estratégias e recursos que estimulem as pessoas a fazerem algo de maneira divertida é um dos objetivos que tem despertado, na academia, o interesse científico. Neste trabalho, fomentado pela FAPERGS e pela CAPES, busco apresentar uma breve trajetória ou história da gamificação, destacando os precursores e o modo como esse conceito que está se tornando viral, não somente no marketing digital e empresarial, mas também no cenário da educação a distância. O presente estudo faz parte de um projeto de pesquisa à nível de doutoramento no campo de estudos da Linguística Aplicada abordando a gamificação, em especial, no ensino de línguas online. A trajetória da gamificação mostra que estamos mais dispostos a mudar a postura de trabalho para um formato mais lúdico em que a resolução de problemas e o aumento de produtividade são os principais fatores de desenvolvimento, tanto educacional como profissional.


DA TRAJETÓRIA DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA AO SURGIMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA – PNAP: APONTAMENTOS HISTÓRICOS

Trilha: Ensino na Internet

Alex Bizarria Bezerra
FABIANA PINTO DE ALMEIDA BIZARRIA


O artigo objetiva apresentar o suporte conceitual da trajetória histórica da Educação a Distância (EaD), com foco no surgimento da Universidade Aberta do Brasil (UAB) e do Programa Nacional de Administração Pública (PNAP). A abordagem metodológica utilizada foi o estudo bibliográfico, com suporte em dados obtidos por meio de consultas a documentos organizacionais, legislações e literatura sobre o tema. No que tange à EaD, o panorama brasileiro aponta que seu escopo de atuação e suas possibilidades cada vez mais difundidas na sociedade despertam o aumento do interesse de adesão por parte das IES e o crescimento da oferta de cursos.


DIÁRIOS DE BORDO E A AVALIAÇÃO FORMATIVA EM EAD

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Christiane Heemann
Elisa Correa dos Santos


A avaliação integra o processo de ensino e aprendizagem e sempre possui espaço para discussão nos processos de ensino, exigindo preparo técnico e capacidade de observação por parte dos envolvidos. Os métodos de avaliação ocupam um espaço bastante importante no conjunto de práticas pedagógicas, pois avaliar não pode ser um ato que expresse somente um conceito formal e quantitativo. Na Educação a Distância (EAD), a avaliação formativa também precisa ser priorizada e assim fugir da avaliação tradicional realizada por meio de testes de múltipla escolha e com autocorreção. A utilização de diários de bordo na EAD mantém como foco de avaliação o processo e não somente o produto, configurando-se como uma orientação permanente de aprendizagem, tanto para o professor como para o aluno, que assumem, solidariamente, compromissos recíprocos. O presente trabalho relata um estudo com a utilização de diários de bordo realizado em um curso de graduação a distância pela Universidade Aberta do Brasil como forma de avaliação formativa em EAD.


E-COMMERCE vs COMERCIO FÍSICO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Henrique Santos PInheiro
Marcio


Esse texto tem como objetivo realizar uma análise sobre a diferença entre varejo físico e e-commerce ou comercio eletrônico. O termo físico remete a ideia de contato direto que se tem com o cliente, sendo esta a forma usada pelo varejo tradicional. Paralelamente está o contato eletrônico que no século XXI se encontra em constante crescimento exponencial, não só na área do comercio como em diversas outras. Além disso, procura observar as diferenças na forma tradicional de comércio e a forma eletrônica emergente na sociedade moderna e que a cada dia está crescendo e se tornando efetivo na vida da sociedade. Procura ainda mostrar as facilidades que essa recente modalidade de varejo oferece e os desafios enfrentados pelo varejo tradicional.


E-COMMERCE: UM FENÔMENO NA REDE DE COMPUTADORES

Trilha: Cultura Livre

RAQUEL VEGGI MOREIRA
LUCIANO DIAS DE SOUSA
HILDELIZA LACERDA TINOCO BOECHAT CABRAL
Ieda Tinoco Boechat


Nas últimas décadas, a inovação tecnológica tornou-se cada vez mais rápida. A expansão foi um fenômeno, largamente, utilizada em diversas áreas e setores da sociedade, mudando a maneira com que as pessoas se relacionam e, assim, transformando e criando novos hábitos e, até mesmo, estilos de vida, seja no campo profissional, acadêmico e/ou pessoal, inclusive produzindo mudanças nas relações jurídicas. Nesse cenário, tornou-se inevitável que o Direito acompanhasse tais mudanças com intuito de regular as relações jurídicas envolvidas nesses processos tecnológicos. Em meio a todas essas mudanças e inovações, surge o contrato eletrônico, como reflexo da constante busca pela aceleração de transações e de encurtamento de distâncias, operacionalizadas por meio da informática. O objetivo deste artigo foi abordar o e-commerce como uma nova forma de negociação de produtos e/ou serviços por meio eletrônico.


EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: AFETIVIDADE, PROXIMIDADE E COLABORAÇÃO NO DISCURSO DO ALUNO/CURSISTA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Raquel Tiemi Masuda Mareco
Rosana da Silva Araujo


Tendo em vista o crescimento da Educação a Distância (EaD) e as diferentes abordagens sobre o ensino e a aprendizagem nessa modalidade, temos por objetivo promover uma reflexão sobre a relação professor/tutor-aluno/cursista, apresentando sequências discursivas coletadas em um contexto empírico de um curso semipresencial, e considerando a atuação do professor/tutor no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) na interação com o aluno/cursista. Com base em estudos sobre os benefícios da presença de um contexto afetivo no ambiente virtual e na abordagem “Estar junto Virtual” postulada por Valente, procuramos demonstrar a importância da afetividade, proximidade e colaboração para motivação, permanência e bons resultados no desempenho pessoal do aluno/cursista, durante a realização do curso na modalidade a distância. Por meio das discussões aqui realizadas, pudemos compreender que há um estereótipo (imagem socialmente construída e cristalizada) de que na EaD a relação professor/tutor-aluno/cursista é “fria” ou “distante”. No discurso dos discentes, pudemos acompanhar como esse estereótipo é desconstruído quando se tem uma relação afetiva entre professor/tutor-aluno/cursista.


ENTRE O PUBLICITÁRIO E O SUBLIMINAR: UM ESTUDO SOBRE OS PUBLIEDITORIAIS EM BLOGS DE MODA

Trilha: Blogs e Wikis

Tânia Maria de Oliveira Gomes


Este trabalho tem como propósito construir, à luz de um caminho convergente entre a Linguagem e a Tecnologia online, um estudo de caso cujos objetivos visam a examinar: (1) como são construídos os publieditoriais, dentro dos blogs de Moda e (2) de que modo a veiculação desses “publis” se articula entre o anúncio publicitário e o texto subliminar. Para tanto, esta investigação selecionou duas publicações virtuais, propagadas, em março deste ano, no blog “Chata de Galocha”, com o intuito de responder a tais proposições. Grosso modo, na esteira dos estudos de Ferrés (1998), Bakhtin (2003), Resende (2004), Komesu (2005), Almada (2011) e Siegel (2012), norteados por uma metodologia de base qualitativa, constatou-se uma relação tensionada, por questões éticas, no corpus examinado, que se divide entre o campo mercadológico e o campo deôntico das relações humanas.


ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Marilia Costa Machado
Graciano Leal dos Santos


Devido à competitividade de mercado e à necessidade de controle interno, as empresas investem cada vez mais em softwares que ofereçam ferramentas que lhes deem informações precisas, que são necessárias para a tomada de decisão, fornecendo também o conhecimento necessário para a administração do negócio como um todo. Antes do surgimento dos sistemas de informação as empresas ficavam com seu crescimento limitado em função da impossibilidade de controlar todos os processos na medida em que o empreendimento crescia, com o surgimento das ferramentas ERP (Enterprise Resource Planning) e BI (Busines Inteligence) isso se tornou possível e atualmente essas ferramentas vem tomando conta do mercado, e com a evolução da tecnologia vem se tornando cada vez mais indispensável para o empreendedor o uso dessas tecnologias, e aqueles que não aderem aos avanços tecnológicos tendem a ficar ultrapassados e a perder a credibilidade diante dos seus clientes.


ESCRITA FORMAL E ESCRITA VIRTUAL: orgulho e preconceito

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Lenise Ribeiro Dutra
MARCOS ANTONIO PEREIRA COELHO


As transformações no modo de comunicar-se, na contemporaneidade, em consequência das tecnologias de comunicação e de informação, ocasionam a formação de novos estilos de vida e de utilização da língua. O uso destas tecnologias instituiu, portanto, uma inovação na forma comunicativa: a escrita virtual. A proposta deste trabalho é analisar como a escrita virtual se estabelece como esta nova maneira de comunicação, suas implicações e interferências na linguagem formal, e os diferentes olhares que ambas observam. Para isso, faz-se um breve passeio pelos conceitos de linguagem formal e de linguagem virtual; verifica-se a origem do chamado internetês, e observam-se, ainda, as ocorrências diárias da escrita utilizada na internet, em especial, nas redes sociais digitais e de que maneira esta escrita pode gerar preconceito.


ESTRATÉGIAS DE LEITURA: A PREDIÇÃO ATRAVÉS DE TEXTOS ONLINE

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Juliano Paines Martins


O presente texto aborda uma prática docente em que foi utilizada Predição, uma estratégia de leitura que permite ao leitor antecipar informações pressupostas ou subentendidas no texto. Os sujeitos da pesquisa foram os alunos de uma turma do primeiro ano do ensino médio de uma escola pública do meio rural, do interior do Rio Grande do Sul, durante as aulas da disciplina de Língua Portuguesa. Como metodologia, foram utilizados fragmentos textuais relacionados às realidades dos alunos anexadas a um questionário cujas respostas foram registradas para verificar o aprendizado em leitura através da estratégia predição.Na sequência, e por último, aplicamos a Predição como estratégia para capacitar o leitor a buscar informações através de pistas, ou fragmentos, tematizados em assuntos do seu cotidiano. Após a promoção da estratégia, analisamos os dados obtidos pela prática proposta aos alunos cujo resultado sugere a disposição ao aprendizado em leitura.


Facebook, identidade e segurança

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Vanda Sousa


a enviar.


FILTROS NA REDE: IDEOLOGIA E DISCURSO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Daiana de Oliveira Faria


Interessa-nos considerar a contemporaneidade como constitutivo do funcionamento da linguagem, usando como referencial teórico-metodológico a Análise do Discurso de linha francesa, sobretudo a partir dos trabalhos de Michel Pêcheux. Isso implica dizer que tomamos a conjuntura social, política, histórica e ideológica de maneira imbricada enquanto condições de produção no/do discurso, o que mostra o caráter intrinsecamente histórico da língua. Tendo em vista a conjuntura contemporânea, suas condições de produção e as materialidades discursivas que lhes são peculiares, chamamos atenção para o funcionamento das tecnologias de Internet, delimitando a observação do funcionamento dos recursos de personalização e filtragem de conteúdos no mecanismo de busca do Google.


GEOMETRIA ANALÍTICA COM USO DO SOFTWARE GEOGEBRA: EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO CONTEXTO ESCOLAR

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Jeovane Nascimento
Neiva Gomes
Eliziane Rocha Castro


O presente trabalho expõe de que forma a modelagem em educação matemática, através do uso de softwares, pode contribuir no atrelamento entre o conhecimento teórico e sua exemplificação prática no âmbito do ensino da Geometria Analítica. Compreende-se que em uma sociedade marcada pelos constantes avanços científicos e tecnológicos, as tecnologias da informação e comunicação (TIC’s) podem se constituir em um importante elemento para o trabalho do professor na perspectiva do conhecimento curricular qualificado, fator relevante na busca pela inclusão e promoção social. Os resultados obtidos reforçam que a Matemática é uma ciência dinâmica, atuante e presente em nosso cotidiano, remetendo a importância do conhecimento qualificado como fator relevante na busca pela efetivação da aprendizagem. Portanto, é necessária a superação de paradigmas antiquados que permeiam as práticas docentes, não refletindo as necessidades do contexto contemporâneo.


HIBRIDIZAÇÃO DE LINGUAGEM E HIPERMÍDIA NAS OBRAS DE MANOEL DE BARROS

Trilha: Hipertexto

Lusilene Mariano de Sá
Joama Silva Diniz


O presente trabalho visa discutir o processo de hibridização de linguagens na animação e desenhos dos poemas de Manoel de Barros, vídeo dirigido por Evandro Salles e Márcia Roth em Histórias da unha do dedão do pé do fim do mundo. Tem-se como elemento para análise traços que caracterizam a linguagem hipermidiática na contemporaneidade e a evolução dos meios de comunicação relacionados à literatura, favorecendo para a compreensão do processo de comunicação que tem a linguagem como principal suporte ordenador de conteúdo, responsável por materializar as necessidades de representação de pensamentos e trocas de informações, apresentando a relevância acerca das possibilidades hipermidiáticas nas interlocuções entre meios de comunicação e literatura, na linguagem dos diferentes conteúdos que mobilizam temas de interesses dos jovens, mitos e símbolos nacionais.


Homem + Ferramenta: o papel da tecnologia na hiperficção

Trilha: Produção Textual no Computador

CLÁUDIO AUGUSTO CARVALHO MOURA


A presente comunicação parte das relações estabelecidas entre o homem e a tecnologia para investigar o papel da ferramenta nas obras de hiperficção, propondo uma reconfiguração da tríade literária com a inserção da mídia. Toma-se como objeto a obra Grammatron (1997) de Mark Amerika para a comprovação de que a participação da mídia no processo de construção da obra parece se dar em níveis mais profundos quando comparadas a outras ferramentas. Sugere-se, portanto, que a autoria em tais obras dever-se-ia não mais apenas ao autor empírico, humano, mas se encontraria no entremeio da relação homem x máquina, que pede tanto à Teoria da Literatura quanto às Teorias da Arte em geral uma revisão de suas posturas e conceitos, a fim de melhor compreender as especificidades das obras que surgem nessa conjuntura.


IMPACTOS DA TECNOLOGIA NA AGROPECUÁRIA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Antonio Wilson Nogueira Filgueiras
Harlen Pereira
Felipe Silva Vieira


Diante do grande crescimento populacional que vem ocorrendo, a necessidade de aumentos na produção se fazem necessários para atender a demanda de fornecimentos de gêneros alimentícios a sociedade. Com o fenômeno geográfico conhecido como Êxodo Rural (migração da população rural para áreas urbanas) tem ocasionado a escassez de mão de obra no campo. Assim, criar equipamentos e mecanizar o trabalho rural tem sido uma alternativa necessária para garantir que não haja diminuição na produtividade dos campos e consequentemente, impedindo grandes impactos na sociedade. Para isso a Tecnologia da Informação (TI) é uma importante aliada para auxiliar a criação de equipamentos e participar na solução de problemas provenientes na agropecuária que venham a prejudicar a produção. Com este trabalho, procura-se observar algumas das influências das tecnologias no meio rural através de pesquisa bibliográfica.


INCLUSÃO ESCOLAR COM A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES LIVRES

Trilha: Divulgação de Software Livre

THIAGO MARQUES ZANON JACOMINO
ANDRESSA TEIXEIRA PEDROSA ZANON


A inclusão de alunos com deficiência na escola tem sido um desafio constante para os profissionais que atuam nessas instituições. Pensando nisto, a presente pesquisa teve como objetivo estudar o uso de tecnologias como ferramentas de acessibilidade, especificamente o sistema DOSVOX, como forma a diminuir barreiras e propiciar a educação eficaz para alunos com deficiência visual. O DOSVOX é um sistema para computadores que se comunica com o usuário através de síntese de voz, utilizando-se padrões internacionais de computação. Possui grande impacto social para deficientes visuais, abrindo perspectiva em se tratando de trabalho e comunicação. Para atingir o objetivo proposto, verificamos a legislação que rege a inclusão desses alunos na escola e percebemos que muitas vezes a inclusão se dá apenas na inserção física destes educandos na escola regular, deixando a desejar ainda no seu efetivo aprendizado. Na sequência, observamos as potencialidades do DOSVOX para facilitar a interação dos alunos com deficiência visual e o ambiente escolar, nas mais variadas disciplinas. Percebemos que o uso do sistema no ambiente escolar pode ser um diferencial na comunicação e interação dos discentes com a referida necessidade especial. O estudo trata-se de uma pesquisa bibliográfica e utiliza, principalmente, os preceitos de Borges (2009).


INFOGRAFIA MULTIMÍDIA COMO OBJETO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Trilha: Jornalismo na Internet

Ruana da Silva Maciel


O presente trabalho tem como objeto de estudo a infografia multimídia, que agrega em um único suporte imagens em movimento, fotografias e vídeos, frente a divulgação científica. Entende-se por infografia a apresentação do binômio imagem + texto (conciso) para transmitir mensagens. Tal recurso é utilizado para passar informações complexas e/ou técnicas, como as de ciência e outras. A ciência possui papel de destaque na sociedade atual. No entanto, a divulgação da ciência fica dividia entre a percepção do cientista, de que todo o processo científico é de interesse público, e do jornalista que tende a priorizar assuntos que tenham valor notícia e que vão de encontro aos gostos e interesses da massa.


INTERFACE E FERRAMENTAS DO MOODLE: A EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO EM PRÁTICAS COLABORATIVAS GAMIFICADAS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Fabrícia Faleiros Pimenta


Este texto apresenta os caminhos percorridos até o momento acerca da pesquisa em trâmite que tem por objetivo a construção de uma interface “Gamificada” e colaborativa do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) “Moodle”. Ao propor a possível utilização de elementos, princípios e dinâmicas de jogos atrelados a sistemas colaborativos na seara da Educação a Distância, busca-se tornar a experiência dos estudantes mais engajante e motivadora, de modo que as ações dos discentes dentro do Ambiente Virtual de Aprendizagem tenham resultados positivos no processo de ensino-aprendizagem. É importante também informar que a interface deve apresentar-se intuitiva, de tal forma que o ambiente possa ser utilizado como forma de inclusão digital. Espera-se que a “Gamificação do Moodle” promova a vivência de um processo educacional que privilegie a exploração, a experimentação, a interação, a colaboração, a autonomia e a autoria criativa, provocando nos cursistas a tomada de consciência sobre o próprio processo de aprendizagem e promovendo a democratização da aprendizagem e do uso de novas tecnologias.


LAB.ESCRIBA@ - LABORATÓRIO VIRTUAL DE ESCRITA ACADÊMICA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

LAYANE CAMPOS
Maressa Carneiro de Melo
Vivian Bernardes Margutti


O Lab.escrib@ é um laboratório virtual de escrita acadêmica, destinado aos alunos de graduação da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM. A origem do laboratório está entrelaçada à execução de um projeto de ensino na área de linguística aplicada. O Lab.escrib@ tem a função de auxiliar os acadêmicos no desenvolvimento de habilidades e competências para a escrita de gêneros acadêmicos tanto em Língua Materna como em Língua Inglesa. Este trabalho tem o intuito de relatar a criação desse espaço, bem como as discussões teóricas que foram realizadas acerca das temáticas que envolvem o processo de ensino.


LAB.ESCRIBA@: LETRAMENTO DIGITAL NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Maressa Carneiro de Melo
LAYANE CAMPOS
Vivian Bernardes Margutti


O presente artigo argumenta a favor do uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) na educação superior, como ferramenta de ensino, partindo do conceito de letramento digital e da necessidade dos multiletramentos na contemporaneidade. Entendemos a importância da inserção dessas práticas no ambiente educacional acadêmico, visto que as novas tecnologias compõe o dia a dia da sociedade contemporânea, sendo necessário o ensino das novas formas de construção de sentido proporcionadas pelos textos multimodais digitais. Defendemos e demonstramos a aplicabilidade desses conceitos no ambiente acadêmico através do laboratório virtual de escrita acadêmica em língua portuguesa e língua inglesa, o Lab.Escrib@.


LETRAMENTO, PRODUÇÃO TEXTUAL, E TIC'S: NOVOS OLHARES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA COM OS RECURSOS DIGITAIS

Trilha: Produção Textual no Computador

Silvio Nunes da Silva Júnior


Este trabalho objetiva em linhas gerias discutir sobre os letramentos e ensino de produção de textos em língua portuguesa. Os letramentos são as habilidades de língua escrita dos indivíduos. Diferente do alfabetismo, os letramentos não abordam em seu escopo práticas as quais envolvam o estímulo=resposta assim como são vistas no processo de alfabetização, os letramentos constituem-se através da alfabetização, a partir das capacidades construídas a partir do processo de alfabetização, o indivíduo vai adaptá-las como habilidades, para então ser – letrado. Nesse sentido, apontam-se os recursos digitais por meio das ferramentas audiovisuais como aliados aos docentes no que tange as habilidades de escrita dos alunos. No aparato metodológico é descrita uma experiência obtida através de uma análise textual em produções escritas por 25 alunos de uma turma de 3º ano do ensino fundamental em uma escola de esfera pública, sendo feita em duas etapas, uma antes e outra depois de uma experiência audiovisual. Nesse sentido, objetivo em linhas gerais apontar os recursos audiovisuais como auxilio no trabalho docente, facilitando a função do professor, e aprimorando o conhecimento dos alunos não só em produção de textos, mas, também, mostrar as utilidades da capacidade de adaptação proposta pelo letramento, em outras disciplinas. Foi possível constatar que as ocorrências pertinentes a erros de pontuação, acentuação e coerência textual foram menores após a experiência audiovisual.


LINGUAGEM E TECNOLOGIA DA COMUNICAÇÃO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

KATIA REGINA FRANCO


Este artigo fundamenta-se na concepção de gênero como reflexo do dialogismo da linguagem defendido por Bakhtin. Leva-se em conta a importância do sujeito nas esferas de comunicação e nos contextos históricos, sociais, culturais e ideológicos nas situações efetivas de emprego da linguagem. Busca-se refletir sobre as tecnologias utilizadas ao longo da história da comunicação humana até os dias atuais ressaltando-se o papel do sujeito no uso da técnica de cada época: oral, papiro, códex, impresso e digital. A oralidade é a nossa primeira via de acesso à linguagem. Entretanto, é a escrita que coloca a linguagem na ordem do visual e revela que a relação do sujeito com a linguagem sempre foi mediada pela técnica.


Linguagem e tecnologia online: O uso internetês

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Raphael Silberman Dereczynski
Eloiza Oliveira
Caio Abitbol Carvalho
Fabiana Triani Barbosa da Silva
Gabriel Miranda


A linguagem, sistema simbólico dos grupos humanos, representa um salto qualitativo na evolução da espécie. É ela que fornece os conceitos, as formas de organização do real, torna-se instrumento da mediação entre o sujeito e o objeto do conhecimento. Através dela as funções mentais superiores são socialmente formadas e culturalmente transmitidas. Através de uma pesquisa realizada com 500 pessoas entre 17 e 32 anos optamos na pesquisa pela aplicação de um questionário. A escolha da metodologia foi precedida de estudos e reflexões sobre o assunto, pois entendemos que deve haver harmoniosa adequação entre o problema definido, o objeto escolhido, os objetivos formulados e a metodologia empregada em uma pesquisa.


LINGUAGEM, TECNOLOGIA E DANÇA: O CORPOMIDIA EM CENA

Trilha: Cultura Livre

Isabel Cristina Vieira Coimbra Diniz


O corpo humano é o primeiro e o mais natural instrumento do homem em que as técnicas são construídas culturalmente em um processo histórico dinâmico no qual os diversos fenômenos culturais são passados de geração a geração, revestindo de signos e sentidos específicos dada sociedade. Diante da complexidade com relação ao uso que se faz do corpo em uma sociedade contemporânea amplamente tecnologizada e digitalizada, as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) entraram em cena e passaram a exercer um papel de grande relevância nas mais diversas esferas do cotidiano humano onde a mediação digital vem modificando, inclusive, aspectos de meios de vida, de comunicação, de entretenimento, de arte etc. No âmbito do espetáculo de dança exposto no ciberespaço, o argumento da linguagem e da tecnologia aponta para possibilidades de uma correlação por meio de interfaces, softwares e equipamentos de filmagem e vídeo que possibilitam a percepção de distintas espacialidades e temporalidades imagéticas. Diante disso, objetivo desse artigo é abordar a presença da dança na cultura livre como uma dramaturgia que traz consigo um percurso de transformação do conhecimento marcado pelas influências das “novas tecnologias”, da colaboratividade e das linguagens ali inseridas. Para esse fim o caminho escolhido foi trabalhar a conexão entre os termos linguagem, tecnologia e dança tendo como ponto articulador o conceito de corpomídia.

LITERATURA E HIPERMÍDIA NA OBRA DE SARAMAGO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Joama Silva Diniz
Lusilene Mariano de Sá


Aventa-se por meio deste texto discutir o processo de hibridização de linguagens em José Saramago, considerado um dos mais importantes autores da língua portuguesa de todos os tempos, através de considerações sobre a adaptação da obra A Maior Flor do Mundo ao cinema. Tem-se como elemento para análise traços que caracterizam a linguagem hipermidiática na contemporaneidade e como os novos meios de comunicação impactam na relação com a literatura no Brasil, especialmente a literatura infantil em uma sociedade totalmente voltada ao consumo das novas tecnologias, corroboradas pelo fortalecimento da internet. Dessa forma pretende-se discorrer sobre a contribuição que as novas mídias aplicadas a literatura e aos os novos meios de comunicação podem fomentar o interesse pela leitura e como essas adaptações são construídas.


LOS JUEGOS DIGITALES Y SU APLICACIÓN EN LA ENSEÑANZA ACTUAL

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Elaine Teixeira da Silva


Los juegos digitales se convirtieron en los días actuales una herramienta de gran ayuda en la enseñanza, por su característica atractiva permite que haya mayor interés de los alumnos por los contenidos, y contribuye en la construcción del conocimiento, este método de enseñar está inserido en la modalidad de enseñanza a la distancia ya que adopta rasgos de los ambientes híbridos o distribuidos de aprendizaje. Para abordar el uso de los juegos digitales, apuntaremos el sitio de la web www.FazGame.com.br , que es un generador de software para la creación de games educacionales en un ambiente lúdico e intuitivo. En consecuencia, hay que se pensar en la formación docente de la actualidad, una vez que los alumnos son nativos digitales y los profesores inmigrantes digitales.


MAIS NOTÍCIAS, MELHORES NOTÍCIAS? UMA REFLEXÃO SOBRE AS PECULIARIDADES DO JORNALISMO ON-LINE

Trilha: Jornalismo na Internet

Milena Ferreira Hygino Nunes


O rápido avanço das tecnologias tem provocado mudanças bruscas no setor das comunicações. Esse cenário dominado pela internet, com inúmeros recursos tecnológicos e redes sociais, alterou, de forma significativa, as rotinas de produção e veiculação jornalísticas. Os processos passaram a ser mais flexíveis, rápidos e dinâmicos, o que resultou em maiores possibilidades de apuração, processamento e publicação em um período de tempo bem menor. Mas que notícia é essa que vem sendo produzida no meio on-line? O presente trabalho tem como objetivo refletir criticamente sobre as peculiaridades do jornalismo on-line, geralmente vistas sem ressalvas. Ao final, conclui-se que o avanço tecnológico e os benefícios trazidos por ele, como a facilidade de acesso às notícias, a personalização do conteúdo e a superação dos limites de espaço e tempo proporcionadas pela internet, possibilitam uma maior produção de notícias, mas não garantem uma melhor qualidade do produto jornalístico.


Mídias impressas e virtuais na aprendizagem dos estudantes.

Trilha: Linguagem e Tecnologia

KARLA ANDREA CÂNDIDO RÊGO SOARES
LARISSA GOTTI PISSINATI


Este estudo tem com objetivo central analisar como as mídias - informática e material impresso - vem sendo trabalhada na aprendizagem dos estudantes. O estudo foi desenvolvido em 2014 no município de Ji-Paraná em uma escola pública da rede estadual. Os procedimentos metodológicos envolveram as técnicas de aplicação de questionário e observação em sala de aula e no laboratório de informática da escola. Os resultados apontam que no âmbito da escola, os estudantes e docentes utilizam com mais frequência a TV a partir do uso do vídeo com fins didáticos para introduzir ou aprofundar conteúdos. Em relação à informática, os dados coletados permitem afirmar que metade dos estudantes, participantes evidenciam que o uso desta ferramenta é direcionado apenas para pesquisar temas solicitados pelos professores e professoras e a outra metade informou que utiliza de forma aleatória. Assim, foi possível verificar que as mídias - informática e material impresso – efetivamente têm ocupado um espaço importante na sala de aula, contribuindo para a aprendizagem dos estudantes.


Mobile First: O resultado da interação entre internet, dispositivos de acesso e interface

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Vinícius da Silva Barbosa


A internet das coisas surgiu como conceito que conecta tudo a todos, em paralelo, os meios de acesso se tornaram móveis e vêm ultrapassando os computadores em número de vendas e conexões. Novos dispositivos exigiram uma nova forma de se organizar o conteúdo disponível na rede. O planejamento, antes feito para desktops, passou a sugerir a criação pensando inicialmente em smartphones. Mediante ao contexto, o presente artigo visa apresentar o Mobile First como parte das atuais tendências da arquitetura da informação para o desenvolvimento web. Evidencia-se a influência que os dispositivos móveis tiveram na evolução da internet e como o conceito de mobilidade transformou a maneira de se pensar e acessar informações no ciberespaço.


O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MY ENGLISH ONLINE SOB A ÓTICA DA DISCURSIVIDADE

Trilha: Ensino na Internet

Maria Aparecida Viegas de Melo


Este projeto de pesquisa, ainda em andamento, tem como proposta estudar a discursividade no ambiente virtual de aprendizagem My English Online, onde nos propomos analisar o material didático e o design do curso. Objetivamos examinar de que maneira e se o curso proporciona autonomia aos alunos que dele participam, quais discursos e práticas de aprendizagem acontecem nesse e por esse espaço, e como o processo ensino aprendizagem da língua inglesa vai sendo construída pelos usuários, seja através do design pedagógico adotado ou do sistema de navegação, interação e interatividade, e se estes promovem a autonomia dos sujeitos alunos, sendo estes fatores relevantes para o aprendizado eficaz de um curso de línguas a distância. Buscamos compreender em nossas análises, se há regularidades enunciativas que indiquem a autonomia e se sim como ela está funcionando neste curso, em relação ao material didático disponibilizado neste ambiente, por seu design e enunciados das instruções e atividades nele propostos. Sendo assim, defendemos a ideia de que a análise de cursos de línguas online podem trazer contribuições relevantes para o trabalho de elaboração de cursos a distância e de materiais educacionais digitais, visando torná-los mais eficientes e adequados às necessidades dos aprendizes de línguas estrangeiras em nosso país.


O CINEMA E A DIVERSIDADE CULTURAL NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA: IMAGEM, LINGUAGEM E LETRAMENTO CRÍTICO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Marina Morena dos Santos e Silva


A Linguística Aplicada vem sofrendo nos últimos anos importantes transformações através das quais a aprendizagem de uma Língua Estrangeira (LE) deixou de ser entendida apenas como uma instrumentação linguística e começou a ser conceituada a partir de uma visão muito mais ampla e crítica da linguagem na vida social. Essa nova demanda decorre não apenas do advento das novas tecnologias, mas também da globalização e das novas imposições que intervêm nas relações sociais e exigem a formação de sujeitos mais conscientes de seu papel no mundo. O presente trabalho pretende suscitar reflexões acerca da importância do Letramento Crítico e do Letramento Visual para o ensino de inglês como língua estrangeira. A partir da análise do filme Babel, que tem como temas centrais a diversidade cultural e a discriminação social, busca-se demonstrar a relevância do uso do cinema para a discussão de crenças compartilhadas pelos membros de uma comunidade e para uma investigação crítica da imagem, da sociedade, das ideologias e de seus poderes.


O DISCURSO NO JORNALISMO ON-LINE: UM OLHAR SOBRE AS MANIFESTAÇÕES DE 2013

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Márcio Torres Gotierre Lopes


Resumo: O nosso estudo, busca compreender como a mídia jornalística on-line, especialmente a notícia veiculada pelo Portal G1, constrói discursivamente os corpos e as identidades. Para tanto, será utilizada a proposta de Bauman (2007) e Hall (2005) para compreender as formações identidárias e as teorias sobre as cenas da enunciação de Maingueneau (2008). Neste sentido, é relevante compreender ainda o papel da cenografia como um elemento fundamental de construção da imagem do manifestante no enunciado. Os resultados parciais demonstram que, a partir da rede de sentidos e corporeidade constituída no interior da enunciação, a identidade discursiva do manifestante é formada de maneira multifacetada, polarizada e fragmentada como um recurso intencional para atribuir a ele um corpo negativado, desqualificado e ilegítimo. Assim, identificamos que a condição de imparcialidade defendida e assumida pelos veículos jornalísticos é negligenciada, pois não se instituem imagens equânimes quando se observam as construções no interior da enunciação.


O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES BASEADO EM JOGOS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Cristiano da Silveira Colombo


As dificuldades encontradas por alunos no processo de ensino-aprendizagem de algoritmos e programação de computadores estão relacionadas a diversos fatores, sendo objeto de estudo de inúmeros trabalhos. De acordo com Smith (1981), existem dificuldades que os acadêmicos encontram em relacionar os significados das informações recebidas e as suas dependências com outros conteúdos. Já Falkembach et al. (2003) relatam a existência de dificuldades no entendimento dos enunciados dos problemas, enquanto Olsen (2005) fala sobre a falta de habilidade na construção de solução para os problemas apresentados. Neste contexto, recorre-se aos conceitos de desenvolvimento de jogos digitais, inseridos no âmbito de disciplinas de programação, com o intuito de promover um aprendizado dinâmico, agradável e desafiador para o aluno. Para buscar este ambiente agradável para o ensino de algoritmos e programação de computadores recorre-se à gamificação. A gamificação consiste na integração, em situações do cotidiano, de princípios que pertencem ao mundo dos games. Estes princípios, segundo Kapp (2012), podem ser mecânicas de jogo tais como imposição de regras, challenge, interatividade, sistema de pontos e vidas, classificação, limite de tempo, competição, etc., e dariam maior motivação e engajamento às pessoas na execução de uma tarefa. A gamificação se apresenta como um fenômeno emergente com muitas potencialidades de aplicação em diversos campos da atividade humana, pois a linguagem e metodologia dos games são bastante populares, eficazes na resolução de problemas (pelo menos nos mundos virtuais) e aceitas naturalmente pelas atuais gerações que cresceram interagindo com esse tipo de entretenimento. Ou seja, a gamificação se justifica a partir de uma perspectiva sociocultural.


O Plano Nacional de Banda Larga e o Plano Banda larga nas escolas: caminhos para a inclusão digital

Trilha: Inclusão digital

Bárbara Tostes Machado


O trabalho examina o Plano Nacional de Banda Larga e o Plano Banda Larga nas escolas, observando suas contribuições e limites na promoção da inclusão digital, de forma interdisciplinar dialogando com a sociologia, a comunicação e a educação. A crescente presença de brasileiros conectados à internet, interagindo nas redes sociais, acessando virtualmente serviços públicos, demonstram a importância das políticas públicas voltadas para a inclusão digital, que por sua vez deve ser pensada além da mera disponibilização de equipamentos, ou acesso à internet de baixa velocidade. O indivíduo deve ter conhecimento sobre as possibilidades disponíveis para o exercício da cidadania. As novas formas de comunicação e sociabilidade são o caminho para a construção de uma democracia digital. Portanto é preciso estabelecer um diálogo entre as políticas de comunicação e as educacionais para examinar os caminhos para a promoção da inclusão digital e consequentemente para a construção de uma democracia digital.


O que dizem os links nas práticas letradas acadêmicas em contexto digital

Trilha: Linguagem e Tecnologia

RAQUEL WOHNRATH ARROYO


De uma perspectiva dialógica de linguagem e com base nos Novos Estudos dos Letramentos (New Literacies Studies), o presente trabalho tem como objetivo geral investigar a emergência dos links em práticas letradas acadêmicas e de que modo eles evidenciam relações entre práticas sociais de linguagem na retomada de dizeres de universitários a respeito de Educação, de uso de Novas Tecnologias de Informação e Comunicação para produção textual acadêmica. O conjunto do material é formado por textos produzidos por universitários regularmente matriculados em curso de licenciatura em Letras numa universidade pública do Estado de São Paulo, em rede social na internet, no ano de 2012.


O TEXTO NA ERA DIGITAL: O INTERNETÊS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

LUCIANO DIAS DE SOUSA
RAQUEL VEGGI MOREIRA


Atualmente, percebe-se o crescimento das redes sociais digitais e da utilização do ciberespaço pelos jovens. Para se comunicar nesse ambiente virtual, utiliza-se um tipo de escrita simplificada, por meio de abreviações que caracteriza o chamado internetês. O objetivo deste artigo é o de analisar como está sendo empregada a Língua Portuguesa na internet e se este uso influencia ou não no uso da nossa língua padrão; assim como o uso da linguagem, a partir dos conceitos de norma culta (padrão), no ambiente digital, especificamente, em diálogos nas referidas redes sociais, onde o uso do internetês é mais presente e constante.


O USO DE MÍDIAS PARA O ESTUDO DE GÊNEROS TEXTUAIS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

José dos Reis Santos


O presente trabalho tem por finalidade discutir formas de utilizar as TICs para ensinar o aluno a buscar as informações necessárias, de forma crítica, em gêneros textuais. Na visão do autor, a fotografia – o gênero estudado – possibilita o estudo da sequência textual descritiva. Somado a isso, ele propõe o estudo do referido gênero dentro do recorte crítico-reflexivo. Identificar o assunto, verificando os aspectos físicos e psicológicos que ele contém, analisar os elementos que compõem uma foto e fazer a descrição textual da imagem são os objetivos da presente proposta. Para tanto, o autor propõe a realização deste estudo em doze etapas: sondagem sobre o conhecimento dos alunos quanto ao uso das TICs; estudo das diferenças entre gêneros e tipos textuais; estudo do gênero “fotografia”; definição dos temas a serem fotografados; execução da tarefa de fotografar a temática definida; seleção das fotografias e elaboração de legendas; impressão das fotos em papel fotográfico; montagem de painéis para exposição na sala de aula; exposição dos trabalhos e debate em sala de aula; exposição dos trabalhos na escola; postagem do material no blog da escola e avaliação de todo o processo. Durante o estudo, os alunos farão uso de algumas TICs, como máquina digital, celular, “pen-drive” e computador, aprendendo a usá-las de forma pedagógica. A expectativa do autor é que o uso das TICs e dos recursos oferecidos por elas impulsione o ensino e facilite o aprendizado dos alunos, contribuindo para melhorar não só a interpretação textual, mas também a produção de textos.


ORIENTAÇÃO SEXUAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA EJA: USO DA INTERNET

Trilha: Ensino na Internet

Erica Pereira Neto
NAYARA FELIX BARRETO
Márcio Cabral da Silva
Emerson Saint'clair


Os docentes são constantemente desafiados a debater sobre problemas graves como abuso sexual e a gravidez indesejada (fator tão comum entre as alunas da EJA). O tema transversal Orientação Sexual aplicado na escola, não visa concorrer, nem substituir a função da família, mas sim, contribuir e complementar na promoção da saúde dos jovens e adultos. O objetivo deste estudo foi verificar se há presença da internet como ferramenta de auxílio na orientação sexual destes alunos. Assim como, analisar qual a disciplina que mais contribui com informações e esclarecimentos sobre este tema. Para este fim, foram entrevistados 08 docentes de educação física da rede estadual de ensino do município de Itaperuna que trabalham com turmas da EJA e 70 alunos matriculados no 3° ano do ensino médio da EJA na rede deste mesmo município. Para a coleta dos dados desta pesquisa foi utilizado como instrumento, dois questionário semiestruturados e adaptado de 10 perguntas fechadas para ambos os grupos. A análise e interpretação dos dados foram feitos através da estatística descritiva identificando o percentual da opinião dos alunos e docentes. Os resultados demonstraram que os alunos não fizeram uso da internet como fonte de pesquisa acerca da orientação sexual, assim como a disciplina Educação Física pouco contribuiu com informações sobre este tema. Os docentes de educação física acreditavam ser um desafio abordar este tema no ambiente escolar, necessitando assim, de novos olhares sobre esta temática.


PERCEPÇÃO E REFLEXÃO EM ENCONTROS DE FORMAÇÃO COM PROFESSORES EXTENSIONISTAS NA UFPI : UM CASO DE ADOÇÃO DE VÍDEOS E FILMES NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Ana Claudia Oliveira Silva
Francisco Wellington Borges Gomes


Há muitas contribuições de estudos que defendem o uso de tecnologias audiovisuais para promover o ensino e/ou a aprendizagem de modo mais significativo na escola (Baltova,1999; Spanos e Smith, 2003; Gomes, 2006 e 2010, dentre vários outros). Esses apontam para as vantagens do uso de filmes e vídeos no desenvolvimento de diversas habilidades linguísticas do aprendiz. Contudo, as dificuldades de inserção de tecnologias sugerem que a adoção de um determinado artefato tecnológico no contexto escolar deve partir, principalmente, da percepção pelo professor do artefato como uma ferramenta didática relevante para sua prática profissional. Assim, neste trabalho adotamos a ideia de que a pedagogia para uso de tecnologias no ensino, nesse caso da TV e do vídeo, não vem pré fabricada, mas é construída em função da conscientização das potencialidades inerentes aos artefatos tecnológicos pelo professor, cuja ação pode propiciar a aquisição de novas habilidades para seus alunos, assim como por outros membros da comunidade profissional da qual ele faz parte. No presente artigo, entretanto, focaremos nas analises das percepções de apenas um dos 18 professores que participaram de um estudo conduzido por Gomes (2010) com os professores do Curso de Extensão Continuada em Língua Inglesa da Universidade Federal do Piauí (CECLI/UFPI), caracterizando assim o estudo de caso. Pretendemos, desse modo, discutir sobre o modo como a percepção positiva ou negativa de mídias podem influenciar na adoção ou rejeição de tais tecnologias no contexto de ensino/aprendizagem pelo professor de línguas.


PORTUGUÊS LIVRE EM TRANSIÇÃO: ENSINO E APRENDIZAGEM NA REDE

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Daniervelin Renata Marques Pereira
Danilo Rodrigues César
Ana Cristina Fricke Matte


neste trabalho, apresentamos o blog Português Livre e sua transição para um ambiente mais amplo e aberto, destinado ao compartilhamento de recursos educacionais abertos para o ensino e a aprendizagem de língua portuguesa. Fazemos um relato dos projetos em vigor, que atualmente chamamos de Português Livre e Gramática Online, e apresentamos, em seguida, a proposta de atualização do espaço para atender objetivos de concentração das informações e atividades, e de maior compartilhamento de conhecimentos, mantendo a coerência com a filosofia da Cultura Livre, adotada pelo Grupo Texto Livre, que está à frente desses projetos. O objetivo deste trabalho é criar um espaço de reflexão e colaboração entre os envolvidos na proposta e outros interessados que poderão compor a equipe de desenvolvimento.


POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS DO MINECRAFT INCORPORANDO JOGOS COMERCIAIS NA EDUCAÇÃO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Claudia Rodrigues Murta
Marcus Guilherme Pinto de Faria Valadares
Waldenor Barros Moraes Filho


Os jogos eletrônicos ultrapassaram as barreiras do entretenimento, associando-se a outras esferas sociais, como a do trabalho, da educação, da cidadania, etc., especialmente devido à célere expansão das tecnologias de informação e de comunicação (Tics). Nesse contexto, surgem jogos eletrônicos comerciais de grande popularidade que precisam ser explorados no tocante a sua função / influência na formação educacional de crianças, de adolescentes e também de adultos. Propomos, portanto, a análise de um jogo comercial, Minecraft, à luz dos princípios de Gee (2005, 2009, 2014). O autor nos fala do potencial dos chamados serious games, que envolvem uma série de domínios, habilidades e conteúdos de diferentes âmbitos da vida.


PRECIOSA- UMA HISTÓRIA DE ESPERANÇA: PROPOSTA DE ATIVIDADE DIDÁTICA PARA UMA AULA DE LÍNGUA INGLESA

Trilha: Cultura Livre

Patrícia Mara de Carvalho Costa Leite


Neste trabalho, nosso objetivo é utilizar o filme “Preciosa- uma história de esperança” (2009) em uma aula de língua inglesa atentando para questões de racismo, violência e esperança. Nosso aporte teórico é a teoria dos Letramentos Visuais (FERRAZ, 2014a, 2014b; SILVINO, 2012; OLIVERA apud LEBEDEFF, 2010) que prima pela análise e interpretação de imagens de maneira aprofundada e crítica. Relacionaremos, também, os filmes, em geral, e seu lugar na educação como pedagogias públicas (GIROUX, 2001). Para tanto, após a descrição do filme “Preciosa”, proporemos uma atividade pedagógica, com foco na formação inicial de educadores do curso de Letras ou Pedagogia, baseada no mesmo.


PRODUÇÃO TEXTUAL ONLINE E OFFLINE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

Trilha: Produção Textual no Computador

LUCIANA PATRICIA SCHUMACHER EIDELWEIN


Este trabalho apresenta uma proposta de utilização do uso das Tecnologias Digitais da Informação e da Comunicação (TDIC), que tem por objetivo promover novas coreografias didáticas no cenário educacional contemporâneo, incorporando naturalmente os recursos disponibilizados pelas TDIC. Em que envolve a produção textual online e off-line nos laboratórios de informática, na qual os educadores podem conhecer essas novas ferramentas através do software disponível, como também um site da Proativa. A partir desses novos conhecimentos, podem utilizar e reproduzir em suas escolas e com seus alunos, aproximando-se da realidade em que os alunos convivem, e que pode contribuir para qualificação das práticas pedagógicas realizadas na Educação Básica.


PROJETO ONOMÁSTICA DO VALE DO CAÍ: DO ESCRITO AO VIRTUAL

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Odair José Silva dos Santos
Arthur Marques de Oliveira


Doutorando em Letras pela Universidade de Caxias do Sul - UCS - (Bolsista Capes - Prosup/Taxa), na linha de pesquisa Leitura e Processos de Linguagem, investigando as interfaces entre música, léxico e efeitos de sentidos. Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade pela UCS (2014), especialista em Língua Portuguesa pelo Centro Universitário Barão de Mauá (2012) e graduado em Letras - Língua Portuguesa, Espanhola e respectivas literaturas - pela Universidade da Região da Campanha - URCAMP (2010). Atualmente é membro convidado do GTLex da ANPOLL; é professor de Língua Portuguesa e Espanhola do Instituto Federal Rio Grande do Sul (IFRS) - Câmpus de Feliz (RS); tem investigações e interesse nas seguintes áreas: Lexicologia, Música Regional, Produção e Efeitos de Sentido.


PROPOSTA DE UTILIZAÇÃO PEDAGÓGICA DE HOMEPAGE COMO APOIO ÀS AULAS DE PLE PARA O PEC-G

Trilha: Ensino na Internet

Alexia Eloar Félix Cavalcante


Neste trabalho, buscamos demonstrar a importância do uso das ferramentas de Tecnologia e Informação da Comunicação (TIC) como instrumento pedagógico para o ensino-aprendizagem de Português como Língua Estrangeira (PLE) aos alunos participantes de convênio de intercâmbio. Propomos, neste trabalho, a utilização da homepage como ferramenta de apoio aos alunos intercambistas africanos, conveniados ao Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G). Na proposta, a ferramenta será utilizada pelos estudantes, em seu país de origem, desde sua seleção para participação do programa até sua chegada ao Brasil, auxiliando, posteriormente, nas aulas presenciais de PLE aos estudantes francófonos, ministrada pelo Programa Línguistico-Cultural para Estudantes Internacionais (PLEI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Na página, serão trabalhados aspectos básicos da língua portuguesa e será possível realizar a interação entre futuros alunos e professores brasileiros do curso de português ministrado pelo PLEI e entre os próprios alunos que comporão o grupo.


RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PRODUÇÃO DE CURSOS MASSIVOS ONLINE

Trilha: Ensino na Internet

MARCOS ANTONIO PEREIRA COELHO
Lenise Ribeiro Dutra


A modalidade de ensino a distância nas últimas décadas se embasa em teorias de aprendizagens, ferramentas de comunicação e principalmente em ambientes virtuais fechados, em sua maioria modular e em crescimento constante. Para agregar mais valor a esse contexto, surgem os Recursos Educacionais Abertos (REA), que proporcionam a seus usuários maior autonomia de escolha tanto do método quanto do conteúdo a ser estudado. Este artigo tem por objetivo realizar um breve estudo sobre os recursos educacionais abertos e dos Cursos Massivos Online (MOOCs), que os utilizam em sua maioria com base na teoria conectivista proposta por Siemens(2004). A pesquisa se justifica pela falta de estudos mais detalhados sobre os dois temas, procurando contribuir com pesquisadores e estudantes da área. A metodologia eleita foi a pesquisa bibliográfica em livros, artigos científicos e na Internet. Percebeu-se que os recursos educacionais abertos, estão em escala de ascensão e são utilizados nos Mooc.


RELACIONAMENTO PROFESSOR-ALUNO NA REDE SOCIAL FACEBOOK: COMPARTILHANDO INFORMAÇÕES

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Camila Féres Valinho
Gabrila Peres Chagas Gonçalves


Tendo em vista os avanços tecnológicos e os novos rumos na educação advindos da necessidade de se rever a relação professor-aluno construída a partir das tecnologias da informação e da comunicação, com a entrada das redes sociais digitais no âmbito educacional, o presente artigo tem como objetivo discutir as características da relação professor-aluno na internet, por meio da rede social Facebook - uma das redes sociais mais utilizadas no mundo; e no país, a maior parte dos usuários pertence a grupo com idade variando em média de 12 a 40 anos. Dentre esse público, muitos são estudantes, como também, professores. A intenção do artigo é apresentar elementos favoráveis e contrários ao contato do professor com os alunos por meio desta rede social digital.


SALA/AMBIENTE DE LEITURA: DISCURSOS SOBRE A ATUAÇÃO DO PROFESSOR NO “NOVO” ESPAÇO

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Denise Franciane Manfré Cordeiro Garcia


Nesta abordagem, a reflexão que propomos é a de compreender e refletir sobre o imaginário que atravessa os discursos sobre o sujeito-professor-responsável pelo Projeto Sala/Ambiente de Leitura, que vem sendo implantado desde 2009 nas escolas públicas da rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo. Com base em pressupostos teórico-metodológicos da Análise do Discurso de linha francesa, analisamos a Resolução SE 60, de 2013, que trata da atuação do professor responsável por esse “novo” espaço/ambiente. Recentemente, várias discussões a respeito do tema leitura vêm sendo abordadas no âmbito das escolas públicas. Desde 2009, com o Projeto Sala/Ambiente de Leitura1, instituído pelo Centro de Referência Mário Covas, do Governo do Estado de São Paulo, uma “nova” forma de se trabalhar e desenvolver atividades relacionadas à leitura vem sendo proposta, a fim de levar essa prática ou hábito a todos os alunos da rede estadual de ensino.


SENTIDOS SOBRE A LEITURA NA REDE SOCIAL SKOOB

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Hayanne Zahra


Com a potencialização das novas tecnologias de informação e comunicação na contemporaneidade, temos, também, o surgimento de “novos” espaços, meios digitais e/ou eletrônicos que colocam, cada vez mais, o tema da leitura em circulação. Diante deste contexto e, com base nos pressupostos teórico-metodológicos da Análise do Discurso de linha francesa, na interface com os Estudos de Letramento, apresentamos, neste artigo, uma abordagem sobre a leitura na rede social Skoob. Nosso objetivo é discutir a noção de leitura e investigar os sentidos (re)produzidos sobre essa prática no espaço digital da internet, mais especificamente a partir da análise de um recorte discursivo da rede social Skoob.


UMA REFLEXÃO TEÓRICA SOBRE A PRÁTICA DE LEITURA NO CONTEXTO DIGITAL

Trilha: Linguagem e Tecnologia

LUDMILA FERNANDA DOMINGUES PEREIRA


Na presente abordagem, desenvolvemos uma reflexão de cunho teórico sobre a noção de leitura na perspectiva discursiva e no contexto digital, pois entendemos ser esse o cerne de nossa pesquisa de mestrado, que tem como objetivo compreender questões relacionadas aos discursos sobre a prática da leitura no contexto tradicional, bem como no digital. Embora ainda estejamos em fase de definição, pretendemos desenvolver, ao longo do mestrado, uma investigação sobre o modo como professores em formação do curso de Letras de uma instituição privada de ensino superior do interior do Estado de São Paulo, na qual atuamos como docente, compreendem a leitura.


Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creativecommons88x31.png

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Based on a work at Texto Livre: XII EVIDOSOL/IX CILTEC-online.