IXevidosol/Resumos

De Wiki do texto Livre

Índice

Resumos

A blogosfera escolar: explorando os blogs institucionais produzidos por escolas cearenses.

Trilha: Blogs e Wikis

Adriana Paula da Silva Amorim
adrianapaula18@gmail.com




O surgimento dos weblogs gerou intensas discursões acerca da escrita na internet, desde as afirmações de que eles seriam diários online até as mais recentes pesquisas sobre a blogosfera e a formação de redes virtuais de escritores/leitores. Nesse contexto, pretendemos averiguar como as instituições escolares têm se valido dessa importante ferramenta de fácil manipulação e circulação, observando as postagens de blogs de escolas públicas cearenses. Os blogs foram categorizados quanto aos seus objetivos, autoria, gêneros textuais e conteúdos temáticos publicados e interação entre autores e leitores. A partir dessa exploração inicial, foi possível identificar que em um único espaço de escrita ocorrem diversas formas de manifestação, variáveis de acordo com os interesses do(s) autor(es) e a interação com os leitores. Esperamos, com esse estudo, avançar na compreensão da dinâmica de utilização dos blogs na esfera educacional e suas implicações pedagógico-sociais.



A Case Study in Genre Pedagogy: Academic Writing for Undergraduate Students

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Vivian Bernardes Margutti
margutti.vivian@gmail.com




This is a case study based on genre pedagogy, which brings forth a different awareness of writing, resulting in innovations in L2 teaching methodologies. The basis of this pedagogy is the notion that writing is an inherently social practice, intended for a particular audience, being thus a situated and purposeful interaction. In addition, writing is seen as thinking processes, in opposition to the traditional view of writing as a final product. In terms of teaching L2 writing, the current theories of learning followed are mostly grounded on Vygotskian views, highlighting, therefore, the importance of collaboration (peer interaction) and scaffolding (teacher-supported feedback). This study considers the experience with the Academic Writing classes given to undergraduate students at the FALE/UFMG English major. In order to facilitate collaborative interaction amongst the participants, Web resources such as e-mail messages, Facebook groups and Wikispaces were used.



A construção de imagens dos usuários nos perfis do Orkut: um olhar discursivo

Trilha: Comunidades Virtuais

Agnaldo Almeida de Jesus
agnaldoal@hotmail.com

Nívea Merièlle Costa Silva
niveamerielle@hotmail.com

Paula Ferreira dos Santos
paula.avioes@hotmail.com




O presente trabalho tem como finalidade a análise da construção de imagens de si elaborada nos perfis disponibilizados na internet, mais especificamente no Orkut, um site de relacionamento. Para tanto, foram utilizados como embasamento teórico os pressupostos de Mikhail Bakhtin (1997), no que diz respeito aos gêneros do discurso; Luiz Antônio Marcuschi (2002) no que se refere aos gêneros textuais e as novas tecnologias; e dos analistas do discurso, Dominique Maingueneau (2008) e Ruth Amossy (2008) ao tratarem da constituição do ethos discursivo. Tais postulados foram utilizados a fim de observar que os perfis, do gênero Orkut, funcionam como uma estratégia para os usuários apresentarem os seus aspectos positivos, cujo intuito é transmitir a impressão desejada aos outros usuários, que, por sua vez, possuem a mesma intenção. Para comprovar os fatos citados acima, analisamos quais são os atributos, as qualidades e defeitos elencados na constituição do ethos discursivo no campo intitulado Quem sou eu. Nessa perspectiva, constatamos que o objetivo dos usuários do site Orkut é chamar a atenção de outros usuários, tornarem-se mais popular e, consequentemente, atrair mais amigos na rede, pois uns se interessam pela vida dos demais. Logo, concordamos que a imagem construída de si valida e legitima o próprio discurso.



A EAD e as leis de cerceamento da liberdade na internet

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Ana Cristina Fricke Matte
acris@textolivre.org

Carla Coscarelli
cvcosc@yahoo.com.br

Júnia Braga
juniabraga@taskmail.com.br

Reinildes Dias
reinildes@gmail.com

Ricardo de Souza
ricsouza.ufmg@gmail.com

Vera Menezes
vlmop@veramenezes.com




a enviar



A escrita cordelina como instrumento motivador da construção da autoria e reflexão da violência

Trilha: Produção Textual no Computador

Maria Aparecida Lage Rievers
cidarevista@bol.com.br

Adelma Lúcia de Oliveira Silva Araújo
adelmaa@yahoo.com.br

Alline Resende Pereira Marinho
alinerpm@yahoo.com.br
Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)




Este trabalho tem como objetivo instigar os alunos do ensino médio a refletirem sobre as ações verbais e não verbais de violência constatada nas escolas. A reflexão sobre este tema foi trabalhado tendo como elemento motivador a poesia presente na Literatura de Cordel. Por meio desta proposta, possibilitamos aos alunos tornarem-se sujeitos autores e ativos de suas próprias criações literárias. Promovemos o conhecimento do gênero escolhido através de pesquisa em diversas fontes: livros, vídeos veiculados pelo Youtube e sites de poetas cordelistas, os quais contam a história do Cordel. Após esta etapa fez-se a produção e a publicação dos textos autorais no site www.educarparacrescer.abril.com.br. Para fundamentar nossas discussões nos respaldamos nos trabalhos de Freire (1999), Cardoso (2007), Abaurre (2005), dentre outros. Além de se fazer o uso da convergência das mídias em sala de aula, observou-se mudança do comportamento dos alunos com relação ao aumento da frequência escolar, colaboratividade e comprometimento com as atividades propostas, conscientização sobre os direitos autorais e sobre os atos de violência presentes no seu cotidiano, dentro e fora dos muros escolares.



A importância do design educacional na EAD

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Charlene Oliveira Trindade
cha_letras@yahoo.com.br

Andriza Machado Becker
prof.andriza@hotmail.com
UFSM




O objetivo desta proposta é apresentar uma revisão bibliográfica acerca dos temas que envolvem a planificação de estratégias didático-pedagógicas nos Ambientes Virtuais de Ensino-Aprendizagem (AVEA), considerando as competências do professor que exerce a função de designer educacional, uma vez que, no atual cenário da Educação a Distância (EAD), os AVEA vêm criando cada vez mais oportunidades para o compartilhamento do acesso às informações e o trabalho de forma colaborativa. Os ambientes dos cursos podem ser modelados e planejados de acordo com as particularidades do público-alvo, avaliando os diversos estilos de aprendizagem, preferências e as diferenças sociais e culturais que permeiam o processo de ensino-aprendizagem. No AVEA o design educacional é, portanto, o elemento humano que conduz a construção de coreografias didáticas digitais.



A interface do software e as formas marcadas e não marcadas da presença de outrem

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Aguinaldo Gomes de Souza
gomes.aguinaldo@gmail.com




Neste trabalho analisamos as marcas da intersubjetividade deixadas em interfaces de softwares. O que entendemos por isso é que, tanto nos softwares quanto nas interfaces desses softwares, existem formas marcadas e não marcadas de presença do outro, deixadas por desenvolvedores, que perpassam desde o processo de fabricação, até o produto em uso por outros sujeitos historicamente situados. Para tanto, fazemos uma breve retomada sobre a origem e evolução das interfaces de software para, a partir deste ponto, estudarmos as interfaces pelo viés da Linguística. Conclui-se que as formas de enunciações, que se materializam em uma interface de software, constituem-se como material de base sobre o qual o usuário do software estabelecerá relação não só com o software, mas também outros sujeitos situados.



A opinião de membros do corpo editorial de periódicos científicos da Faculdade de Letras da UFMG quanto à operacionalidade do SEER

Trilha: Divulgação de Software Livre

Raquel Brandão Rodrigues Duarte
raquelbrandao.letras@gmail.com

Rafael José Puiati Bergamaschi
ramaschi@gmail.com
UFMG




Este trabalho é resultado de uma pesquisa feita com Administradores, Editores Gerentes e Editores de alguns periódicos científicos da Faculdade de Letras da UFMG quanto à operacionalidade do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER). As revistas pesquisadas foram: Aletria, Arquivo Maaravi: Revista de Estudos Judaicos, os Cadernos Benjaminianos, Caligrama: Revista de Estudos Românicos, Em Tese, Revista Brasileira de Linguística Aplicada e Texto Livre: Linguagem e Tecnologia. Serão citadas as funções editoriais que cada Editor Gerente exerce no corpo editorial, sendo que, alguns apresentam, concomitantemente, várias funções. O instrumento de pesquisa foi desenvolvido pelos autores com base nas funcionalidades existentes no SEER. A coleta de dados foi realizada via e-mail através de um formulário eletrônico e envolveu sete periódicos. Os resultados mais relevantes apontaram que a maior parte dos usuários entrevistados ainda não conhecem muito bem as funcionalidades do sistema.



A Quoi Ça Sert L'Amour? e a semiótica francesa para “A moça que existe em meus sonhos”

Trilha: Cultura Livre

Luhan Dias Souza
luhandias@yahoo.com.br

Siane Paula de Araújo
sianepaula@yahoo.com.br
CEFET-MG




Este trabalho busca refletir sobre o processo de criação do curta animado 2D “A moça que existe em meus sonhos”, de Luhan Dias (2011). A reflexão é baseada na experiência de produção do curta que foi construído por um processo de criação que envolveu diferentes materiais de referência, como o clipe francês "A Quoi Ça Sert L'Amour?", de Louis Clichy (2006). A discussão se inicia, portanto, a partir da análise semiótica francesa greimasiana do clipe buscando investigar como essa obra influenciou no processo de criação do curta animado produzido. Conclui-se que tal forma criativa de produção e de pesquisa desmistifica a crença sobre o “puro acaso” como pilar da fonte artística.



Anacronia: Walter Benjamin e a Cultura Livre

Trilha: Cultura Livre

Simone Garofalo
sigarofalo@gmail.com

Gleidston Alis
gleidstonalis@yahoo.com.br




O trabalho propõe uma aproximação entre as considerações feitas por Walter Benjamin em seu célebre texto A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica e o conceito contemporâneo de Cultura Livre. Tal aproximação, em princípio anacrônica, conforme anunciado no título do trabalho, encontrará pertinência na medida em que deslocarmos as proposições teóricas do filósofo alemão, extremamente perspicazes e à frente de seu tempo, para objetos de arte de nossos dias, criados e difundidos sob o signo da chamada sociedade da informação ou cibercultura. As reflexões passam pela quebra da “aura”, do ponto de vista benjaminiano e também numa reformulação para os dias de hoje, e pelas noções de originalidade e unicidade do objeto artístico.



Aprendizagem colaborativa e o uso do Software Livre na EaD

Trilha: Inclusão digital

Wilkens Lenon
wlenon@softwarelivre.org




A ideia do artigo é propor uma reflexão e torno da temática da colaboração em rede dentro do cenário da Educação à Distância, articulando as relações dessa construção comunitária com os princípios do Software Livre a partir de uma Práxis Tecnológica desenvolvida pelos sujeitos do conhecimento nas comunidades virtuais de aprendizagem. Nesse sentido, desenvolveremos nosso pensamento em torno dos valores que fazem parte do repertório comum do Movimento do Software Livre e das comunidades colaborativas de aprendizagem: o compartilhamento do conhecimento, a meritocracia e o desenvolvimento em pares os quais são os elementos sócio-pedagógicos fundantes da dinâmica da colaboração e dos processos de co-autoria articulados através das redes informacionais.



As hemerotecas digitais e a ditadura militar: silêncios e posicionamentos na web

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Francis Lampoglia
francidusp@hotmail.com




O presente trabalho estuda o funcionamento discursivo de três páginas da web referentes às hemerotecas digitais dos jornais Última Hora, situado no site do Arquivo Público do Estado, Jornal do Brasil, sediado no site do Google News, e Folha de S. Paulo, localizado no site desse próprio jornal. Sob a orientação da Análise do Discurso de matriz francesa, fundada por Michel Pêcheux, esse trabalho visa compreender o posicionamento discursivo das hemerotecas em relação ao golpe militar de 1964, atentando ao modo como são produzidos sentidos sobre as páginas da web analisadas, assim como observar os sentidos que surgem a partir do silêncio da/nas lacunas presentes nesses acervos eletrônicos. Conscientes de que as hemerotecas são construídas discursivamente, observamos que esses espaços que armazenam jornais e/ou revistas são portadores de um dado posicionamento, podendo influir no ponto de vista dos pesquisadores de hoje. Com isso, visamos destacar a importância de se estudar o discurso presente nas hemerotecas digitais como forma de romper com o efeito ideológico de que uma hemeroteca é isenta de posicionamentos, reunindo em si toda a história.



As interações online em um material didático para ensino de português língua estrangeira na Ásia

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Laura Márcia Luiza Ferreira
ferreir.laura@gmail.com




Neste fórum apresentamos o processo de elaboração de material didático para o ensino de português a universitários tailandeses regularmente matriculados em cursos de graduação da Universidade de Chulalongkorn na Tailândia. Nosso intuito é o de relatar o processo de planejamento do material no que diz respeito a escolha de temas e gêneros textuais que apontaram para a inclusão também as interações online. Pretendemos ainda descrever brevemente a fundamentação teórica que subjaz à elaboração do material bem como as atividades e as tarefas que envolviam a comunicação no meio digital que fizeram parte de três unidades do material em fase de elaboração.



As Intervenções da Rede Social My English Club nos Ambientes Presenciais de Aprendizagem da Língua Inglesa

Trilha: Ensino na Internet

Joyce Vieira Fettermann
joycejacinto@hotmail.com




A presente pesquisa tem como objetivo analisar as intervenções promovidas no ambiente presencial de ensino da Língua Inglesa em cursos livres para estudantes que são membros ativos da rede social My English Club (MyEC), identificando as principais teorias que tratam da utilização de redes sociais digitais no processo de ensino e aprendizagem da Língua Inglesa; avaliando o uso do MyEC e suas aplicações no aprendizado da Língua Inglesa na percepção dos estudantes, enquanto membros desse ambiente digital; e apresentando possíveis alternativas de integração da utilização dessa rede ao ensino presencial da Língua Inglesa. Recorreu-se à pesquisa qualitativa, pela própria natureza do estudo, igualmente, relevando os dados quantitativos, tomando como eixo básico a pesquisa exploratória. Para a coleta de dados, buscou-se suporte em procedimentos/instrumentos como a observação participante, diário de campo e um questionário, aplicado aos membros participantes da rede social MyEC, estudantes de cursos livres do idioma inglês. Ao final do estudo, o uso deste ambiente virtual por estes sujeitos mostrou que é possível integrar o que se aprende nesse espaço tecnológico ao ensino presencial da Língua Inglesa de modo significativo, ampliando a sala de aula para o mundo por meio do advento da Internet.



Blended learning como uma proposta metodológica adotada no ensino superior

Trilha: Ensino na Internet

Frankiele Oesterreich
frank.vey@gmail.com

Fabiane da Silva Montoli
fabimontoli@gmail.com




O presente estudo visa analisar o blended learning, que une momentos presencias com momentos virtuais. Essa metodologia é adotada pela universidade Anhanguera-Uniderp em seus cursos a distância, desse modo, a instituição serviu de estudo de caso para a pesquisa, realizada com alunas do 1º semestre do curso de Pedagogia. A partir do exposto, buscou-se compreender de que forma o blended learning oportuniza interação entre os alunos, procurando identificar quais as vantagens e/ou desvantagens, além de possibilidades e fragilidades desse método de trabalho, a fim de identificar o papel e importância do professor tutor presencial nesse processo. O trabalho caracterizou-se como um estudo de caso e obteve como resultados que o blended learning contribui para a aprendizagem, pois a combinação de momentos presenciais e a distância enriquece o processo. Foram identificadas vantagens da modalidade e suas fragilidades que, aos poucos, estão sendo superadas.



Blog: reflexões sobre autoria

Trilha: Blogs e Wikis

Fernanda Correa Silveira Galli
fcsgalli@hotmail.com




Meu objetivo, na presente abordagem, é apresentar uma reflexão de cunho teórico sobre a noção de autoria, a partir das contribuições foucaultianas sobre a temática e dos desdobramentos do conceito na perspectiva teórica da análise do discurso de linha francesa pecheuxtiana. Busco, então, no âmbito da discussão dos estudos discursivos, refletir sobre a autoria – do/no blog “Outros Cadernos de Saramago”, disponível na página da Fundação José Saramago (www.josesaramago.org) – como uma posição-sujeito-autor-leitor, o que, de meu ponto de vista, pode desmistificar a im-pressão de unidade que o autor parece carregar, possibilitando a emergência de um efeito-autor a emergência de um efeito-autor, que na des-continuidade discursiva produz um “novo” efeito de sentido. (Apoio: FAPESP - Processo 2009/51728-9).



Blogs de homossexuais: perspectivas discursivas

Trilha: Blogs e Wikis

Gustavo Grandini Bastos
gugrandini@uol.com.br




Baseado no referencial teórico da escola francesa da Análise do Discurso, esse trabalho objetiva uma interlocução com estudos provenientes das áreas de Ciência da Informação, Linguística, Tecnologia e Sociologia da Informação, tendo como objeto de estudo os blogs de sujeitos homossexuais no ciberespaço. Sabemos que a rede eletrônica permite ao sujeito caminhar por uma trilha infinita de links, alterando a maneira como ele idealiza tempo, espaço e tecnologias, naturalizando, através dos processos ideológicos, uma aparente posição de liberdade. E isso é definido por novas relações com o tempo e o espaço, inscritas na denominada modernidade líquida que, entre as suas principais características, fluidifica e desfronteiriza os limites do público e do privado. O blog nos parece ser um indício disso, já que é definido como uma escrita íntima colocada à vista e à escuta de todo e qualquer navegador; assim sendo, instala uma discursividade marcada pela heterogeneidade de dizeres e pelas marcas de subjetividade, ainda temos uma relação assimétrica de poder entre o blogueiro e o sujeito-leitor, já que o administrador desse espaço discursivo muitas vezes aceita ou recusa determinadas postagens, o que interfere na circulação de discursos e sentidos nesse espaço de enunciação. Acredito que refletir e pensar esse lugar de comunicação nos parece relevante e digno de análise, visto que o blog e a blogosfera ainda são pouco pensados dentro das postulações de seu espaço enunciativo e discursivo, já que a grande parte dos estudos acerca das temáticas centram-se apenas na discussão das questões de cunho tecnológico.



Bola na rede: análise do discurso e de imagens do jornalismo esportivo em mídias digitais

Trilha: Jornalismo na Internet

Gilmar Laignier de Souza Junior
gilmarlaignier@gmail.com




A adaptação à era digital talvez seja a maior das transformações pelas quais o jornalismo foi submetido desde os primeiros tipos móveis de Gutenberg. Diante dessa realidade, o jornalismo esportivo também procura seu espaço. Por ser uma editoria extremamente popular, acredita-se que as seções de esportes dos principais sites jornalísticos do país vivem intensamente os impactos da internet na vida do seu público leitor. O trabalho objetiva analisar recursos e estratégias discursivas predominantes no jornalismo esportivo de internet, à luz de categorias criadas por Patrick Charaudeau sobre o discurso das mídias, a partir da comparação de manchetes de capa do mais antigo site esportivo de Minas Gerais, o Superesportes. Outra análise é a das imagens utilizadas na capa do portal, de acordo com categorias da semiótica peirciana. Em ambos os casos, são verificadas estatísticas de acesso às reportagens em questão, na tentativa de esboçar um mapeamento de recursos e estratégias mais ‘eficazes’ no tratamento da notícia esportiva no meio virtual. O estudo permite abrir a discussão em torno de um jeito próprio de se fazer jornalismo esportivo on-line, na era da informação futebolística em tempo real, devorada pelos torcedores apaixonados por seus clubes. Tais questionamentos nos permitem obter uma visão analítica acerca dos paradigmas em que estão envolvidos os sites de esporte no Brasil, que vão além dos manuais de linguagem para internet. Trata-se de lançar um olhar acadêmico sobre uma área pouco pesquisada, mas em constante expansão no jornalismo e na sociedade.



Cablegate: efeitos de silenciamento

Trilha: Jornalismo na Internet

Vivian Fernandes
viviansrv@hotmail.com




Esse projeto pretende analisar os embates e as posições de poder ocupadas pelas fontes de informação, os jornalistas, a mídia e o Estado, através de um recente evento do jornalismo Mundial: os vazamentos de documentos oficiais secretos denominados como Cablegate e efetuado pelo site Wikileaks.org. Através de uma perspectiva fincada na Análise de Discurso de matriz francesa, buscaremos estudar de que formas o Estado faz uso de seu aparato ideológico com vistas a coagir aqueles que pretendem expor informações e documentos de caráter sigiloso, silenciando sentidos não-alinhados a sua discursividade oficial, em contraposição a outros cujos sentidos lhe sejam simpáticos e pareçam evidentes. Para isso, propomos a pesquisa e análise de reportagens feitas a partir da documentação liberada pelo Wikileaks, e que foram conduzidas por blogs e organizações de jornalismo investigativo independentes, comparando-as discursivamente, com outras provenientes do mesmo suporte informacional, mas publicadas através de grandes conglomerados jornalísticos, já previamente selecionados.



Coerções e ajustamento sensível nas práticas educativas digitais

Trilha: Ensino na Internet

Daniervelin Renata Marques Pereira
daniervelin@yahoo.com.br




A partir da análise de chats e fóruns de duas disciplinas online acompanhadas no Brasil, em 2010, buscamos respostas para a questão das relações de distanciamento e proximidade entre diferentes práticas educativas. São elas reconfiguradas no espaço digital ou apenas transpostas? Interessados na construção e organização dos efeitos de sentido nas práticas educativas digitais, apresentamos alguns exemplos que permitem algumas reflexões sobre o caminho de retomadas e mudanças nas interações. Observamos, nesse percurso, que algumas estratégias didáticas dos discursos analisados parecem se organizar para produzir efeitos de proximidade entre os sujeitos, ao eleger, por exemplo, a informalidade linguística, que não afeta a assimetria professor/aluno, própria do gênero educativo, mas o sistema modal e aspectual que os une. Alguns indícios encontrados mostram que a ocupação do espaço digital pelos sujeitos encontra percursos para ir além da mera transmissão de informações e, embora respeite as coerções do gênero digital, não implica a perda da sensibilidade reguladora das relações intersubjetivas.



Construção de Repositório de Objetos de Aprendizagem para Língua Inglesa na plataforma Moodle

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Lilia Aparecida Costa Gonçalves
lilia.goncalves@ig.com.br




O presente trabalho, pesquisa em andamento, apresenta como objetivo principal mostrar como está sendo implementado o curso Produção de Materiais dos Monitores do CLAC (Curso de Línguas Aberto a Comunidade). O curso utiliza a plataforma Moodle como repositório dos materiais produzidos, denominados nesta pesquisa como objetos de aprendizagem, e também como espaço de interação entre os monitores proporcionando, assim, o intercâmbio desses materiais. Pretende-se, no decorrer do curso, apontar como os alunos se relacionam com a tecnologia e de que forma o uso de um AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) favorece ou não a socialização dos materiais produzidos por esses alunos.



Construindo comunidades dialógicas: considerações para o design instrucional de cursos on-line

Trilha: Comunidades Virtuais

Carlos Henrique Silva de Castro
chenriquebh@yahoo.com.br




Este trabalho é fruto de observações científicas possibilitadas por duas pesquisas de pós-graduação, sendo uma de mestrado e outra de especialização. O nosso objetivo é apresentar orientações sobre as diversas etapas que envolvem a construção e o acompanhamento de cursos on-line sem termos, entretanto, a pretensão de esgotar as possibilidades pedagógicas. Pretende-se, assim, contribuir para a construção de comunidades dialógicas com resultados significativos em aprendizagem. Dividimos o trabalho em 5 seções que tratam de: planejamento; afetividade; abordagem pedagógica; avaliações e, ao fim, ferramentas para o diálogo, sendo que, no que diz respeito às ferramentas, nos limitamos aos chats e fóruns, por serem estas as pesquisadas por este autor. A iniciativa de se desenvolver um trabalho nesses moldes se dá por acreditarmos que relatos de boas práticas e de observações científicas podem contribuir positivamente para a educação, bem como para outros setores da sociedade.



Cómo incrementar el tiempo de producción oral en la clase de lenguas extranjeras: El foro de voz VOXOPOP

Trilha: Ensino na Internet

Fatima Faya Cerqueiro
fatifaya@gmail.com




Esta comunicación expone el uso de una herramienta para la producción oral de voz en el contexto de enseñanza de una lengua extranjera. Los docentes de lenguas extranjeras solemos encontrarnos ante grupos más numerosos de lo deseado, en los que nos resulta casi imposible asegurar la intervención de todo el alumnado de un modo equitativo. El foro de voz VOXOPOP supone un gran avance como herramienta docente, ya que nos permite incrementar el tiempo destinado a la producción oral del alumno, mediante la asignación de tareas orales como trabajo de revisión, de refuerzo o apoyo. Esta herramienta se probado en un grupo de alumnos de lengua inglesa de nivel B1.



Cultura Digital

Trilha: Cultura Livre

Fernanda Cavalcanti de Mello
fcavalcanti@prof.educacao.rj.gov.br




Os Portais Educativos, sites, hotsites, blogs, kiwis entre outros suportes digitais da iniciativa pública e privada, bem como do terceiro setor vem construindo e reafirmando diferentes manifestações da cultura digital e, consequentemente formando novos públicos à nova realidade. Consolidando, inclusive, esta nova cultura. Tais produções circulam em ambientes formais e não formais de Educação, e mudam definitivamente a maneira como se ensina e como se aprende, ou como se projetam as novas propostas pedagógicas. Ensina-se através de Redes, Seminários são realizados online, games e hosites "treinam" conceitos literários, problemas de matemática, ortografia e propõem exercícios de escrita, leitura e encantamento.



Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem para o ensino de gêneros textuais específicos do meio acadêmico

Trilha: Ensino na Internet

Márcia de Souza Luz Freitas
marcialf@unifei.edu.br

Flávia Tuane Ferreira Moraes
flaviatuane@yahoo.com.br
Universidade Federal de Itajubá




As inovações educacionais têm requerido a produção de materiais didáticos digitais que proporcionem melhor qualidade ao processo educacional. Neste cenário insere-se a pesquisa “Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem para o ensino de gêneros textuais específicos do meio acadêmico”, realizada em âmbito de iniciação científica. O principal objetivo é justamente desenvolver Objetos de Aprendizagem (OA) que possam ser aplicados a alunos de graduação para o ensino de gêneros textuais próprios do ambiente acadêmico. Para tal fim, primeiramente foi realizada a revisão bibliográfica. Assim pôde-se listar uma série de características necessárias à construção e à aplicação de um OA. Os OA foram criados usando-se o software HotPotatoes e utilizando-se a técnica de elaboração de vídeo stop motion. Após a criação , foi realizada a aplicação dos OA em uma disciplina inicial de graduação. Tais objetos foram avaliados a partir dos princípios da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia (TCAM) e de um questionário aplicado aos graduandos. Assim pode-se concluir que, para um objeto de aprendizagem ser eficaz, este deve, além dos princípios apresentados, gerar alta interação com o aprendiz.



Discurso e Memória : Sentidos de bibliotecário

Trilha: Cultura Livre

Mavi Galante Mancera Dall´Acqua Carvalho
mavimancera@hotmail.com

Fernanda Correa Silveira Galli
fcsgalli@hotmail.com
FFCLRP/USP




Pensar o efeito imaginário da/sobre a profissão bibliotecário, num diálogo entre as perspectivas teóricas da Análise do Discurso e da Ciência da Informação, é o intento deste trabalho. A profissão de/do bibliotecário sempre esteve permeada de imagens caricatas e estereotipadas, já-dito que, naturalizado, faz parecer evidente um certo modo de concebê-lo. Para a Análise do Discurso, as imagens (de si e do outro) são construídas pelos sujeitos, afetados pela ideologia e pelas condições sócio-históricas, a partir do jogo das formações imaginárias e das relações de poder em confronto no momento da enunciação. Tais imagens: “constituem as diferentes posições. E isto se faz de tal modo que o que funciona no discurso não é o operário visto empiricamente, mas o operário enquanto posição discursiva produzida pelas formações imaginárias” (ORLANDI, 2005, p.40-41). Este profissional é imaginarizado pela sociedade, pelo labor de guarda e organização dos livros na estante e pelo domínio que exerce sob o acervo na biblioteca, com autonomia para permitir ao usuário, o acesso ou impedimento aos materiais. Sendo assim, assume o bibliotecário a posição (enquanto) sujeito que discursa, e possibilita/assume a aproximação (diálogo/mediação) ou interdição (proibição, distanciamento) do acervo e leitura (suportes) com o usuário; e que pela presença de estereótipos tornam maiores os obstáculos ao acesso da informação. Estas representações tornam estas características relevantes na busca de mudanças pelos estudantes e profissionais da área, pois afetam o conhecimento teórico, os paradigmas, o mercado de trabalho e comportamento do bibliotecário e a percepção de sua importância para a sociedade.



Do meio impresso para o digital: hipertexto e escrita topográfica no caso do Boletim de Ocorrência

Trilha: Produção Textual no Computador

Denise dos Santos Gonçalves
denisegoncalves@yahoo.com




A possibilidade de redigir, em meio eletrônico, textos que tradicionalmente eram produzidos no meio impresso tem ensejado estudos sobre os efeitos que a mudança do suporte determina no gênero textual, na medida da interferência (Marcuschi, 2008) e das especificidades que provoca (Ribeiro, 2005). A pesquisa exploratória se deu a partir da análise das alterações estruturais implantadas no gênero Boletim de Ocorrência (BO) utilizado pela Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) com o advento da implementação da escrita no ambiente virtual - em substituição ao formulário impresso, confrontando-as com as situações práticas em que se redige o documento. A análise permitiu identificar alguns dos efeitos que um novo suporte pode conferir ao gênero, considerando a prática da produção textual, ressaltando que, no caso em questão, a presença dos hipertextos digitais potencializa e naturaliza a escrita topográfica (Bolter, 1994) e instaura uma nova forma de lidar com o gênero o que, no caso em questão, facilita o trabalho do policial redator.



Educação a distância como apoio a educação para o trânsito: a experiência da cidade de São Paulo

Trilha: Ensino na Internet

Josefina Giacomini Kiefer
josefina@cetsp.com.br

Deisy Paula da S.S Gabriel
ead@cetsp.com.br




RESUMO O presente artigo apresenta a experiência de implantação do ensino a distância como apoio à educação para o trânsito. A Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo, por meio do Centro de Treinamento e Educação de Trânsito, disponibiliza em ações presenciais, diversos programas de educação para o trânsito: Capacitação de Professores, que permite a formação e posterior atuação do professor como agente multiplicador; Pilotagem Segura, curso prático e teórico para motociclistas; Inclusão da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, voltado aos professores, cuidadores, entre outros. Em 2010, a empresa iniciou a implantação destes programas no formato educação a distância intermediada pela internet, para atingir ao munícipe que, por motivos diversos, não dispõe de tempo para a participação em programas presenciais. A CET buscou, entre softwares diversos, a incorporação de animações em Flash e a interação entre alunos e conteúdo, por meio de jogos e fóruns de discussão, contribuindo, desta forma, para a construção de um ambiente lúdico e dinâmico. Do mês de julho de 2010, quando houve o lançamento do primeiro programa, a fevereiro de 2012, foram feitas mais de 20.000 inscrições e certificados 11.579 alunos.



El avatar virtual y el personaje de ficción

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Jorgelina Tallei
jtallei@gmail.com




El siguiente trabajo se centra en reflexionar sobre el modo de organización narrativa desde la teoría de Chareaudear y el concepto enunciado por Roland Barthes en su libro S/Z, sobre el personaje de ficción y las figuras, en ambientes virtuales, específicamente en la red social Facebook. Nuestra hipótesis considera que el sujeto social en redes virtuales se comportaría, de cierta manera, como un personaje de ficción remitiendo a sus figuras en el sentido que lo considera el autor Roland Barthes. La red se transformaría en una gran teatro donde el sujeto es visto y admirado por otros creando un libro ficcional que tiene como protagonista al propio yo virtual. La decisión de analizar la red social Facebook se basa en que mencionada red se convirtió en poco tiempo en un boom, de la misma manera que ya lo han hecho otras como Orkut, Hit5, etc. En el tejido de la red los sujetos se comportan como autores y editores al mismo tiempo y cada perfil parece configurar una manera de posicionarse en el mundo virtual y una realidad ficcional a partir del perfil de usuario y de sus movimientos en la red que se transforma en el espacio público por excelencia y de manera contradictoria se enlaza con el espacio privado creando imaginarios de quien lee y ve cada perfil. Si el locutor es autor y editor al mismo tiempo, cada perfil de usuario configurará una manera de posicionarse en el mundo virtual creando diferentes máscaras ante el auditorio.



Estrutura composicional da notícia no universo online: novos propósitos comunicacionais ou um novo gênero?

Trilha: Jornalismo na Internet

Maria Lourdilene Vieira Barbosa
vieira.marialourdilene@gmail.com

Emanoel Barbosa de Sousa
emanoel_b.s@hotmail.com
UFPI




O gênero notícia é tido como um dos mais comuns da esfera jornalística, estando ainda presente em inúmeras situações em que se visa à ação de informar algo de cunho relevante para determinado grupo social. No universo online, é recorrente o uso de notícias em blogs, sites de diferentes fins, redes sociais, portais (neste caso, alguns se assumem explicitamente como portais de notícias) etc. No entanto, é cada vez mais comum encontrarmos a estrutura do gênero notícia sendo utilizada para outros propósitos comunicativos, a serviço de outros gêneros textuais, evidenciando claramente uma imbricação ou mistura de gêneros. Neste trabalho, baseamo-nos na literatura sociorretórica estadunidense para análise de gêneros textuais, como Miller (2009 [1984]), Swales (1990) e Bazerman (2005), que concebem gêneros como práticas sociais recorrentes, e analisamos falsos portais de notícia online, como meiunorte.com e G17.com, cujos textos se configuram mais como sátiras de outros portais de notícias idôneos. Logo, ao invés de informar, as supostas notícias criticam por meio do humor práticas de diferentes setores sociais. Acreditamos que o universo online tem facilitado de sobremaneira o uso cada vez mais recorrente destas práticas.



Facebook e Twitter: a língua digital na escola

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Renise Cristina Santos
renisecs@ig.com.br




Na sala de aula de língua portuguesa, ainda é, de modo geral, prática comum ensinar a língua escrita especificamente em contextos formais, ignorando as circunstâncias nas quais a modalidade escrita vem sendo usada de um modo mais informal ou despreocupado com regras gramaticais. Entretanto, existem várias situações em que isso ocorre e os alunos sabem disso, principalmente quando fazem uso das redes sociais Facebook e Twitter, na quais, normalmente, tem-se um uso linguístico mais despojado, abreviado, com grafia alterada ou com palavras novas e específicas desse contexto de uso. O objetivo deste trabalho, portanto, é evidenciar a análise realizada sobre a escrita presente nessa rede social, mostrando que esse aspecto, levando-se em conta a inovação lexical, pode e deve ser trabalhado em sala de aula, tendo em vista o desenvolvimento da competência lexical. A metodologia adotada foi a descrição das unidades lexicais neológicas, destacando-se os aspectos mais produtivos, além da inserção da perspectiva sociolinguística referente aos usuários dessa rede virtual. Diante da tipologia de processos neológicos presente no ambiente virtual em foco, recebeu destaque especial o neologismo gráfico, uma vez que o ambiente virtual em análise permite ao usuário fazer alterações na grafia da escrita, considerando-se o contexto comunicacional em que se encontra e o interlocutor com quem se comunica. Diante disso, selecionou-se para este trabalho um número de trinta unidades lexicais neológicas, numa pequena amostragem das palavras novas que estão entrando no português do Brasil por meio da Internet. Para a identificação de neologismos, adotou-se o critério lexicográfico. Como fundamentação teórica, este trabalho se apoiou em importantes textos teóricos como os de Guilbert (1975) e Alves (1990), na conceituação de neologia e neologismo; e Ferraz (2006), no que diz respeito à análise do corpus.



Fórum bate-papo: espaço propiciador de presença social em AVAs

Trilha: Comunidades Virtuais

Carolina Vianini Amaral Lima
cva_lima@yahoo.com.br

Marina Morena dos Santos e Silva
marinamorenass@yahoo.com.br
UFMG




A presença social é definida como a habilidade dos participantes de projetarem suas características pessoais na comunidade de aprendizagem e tem a função de sustentar a presença cognitiva, facilitando, indiretamente, o processo de pensamento crítico desenvolvido pela comunidade de aprendizes (GARRISON, ARCHER e ANDERSON, 2000). A interação sócioemocional e o apoio são importantes e, às vezes, essenciais para obtenção de resultados educacionais significativos. Por isso, o desenvolvimento da presença social, como alicerce da presença cognitiva, torna-se essencial em ambientes de aprendizagem, presenciais ou virtuais. Este trabalho – uma pesquisa de caráter qualitativo – busca argumentar que o fórum bate-papo, em um AVA, é um espaço fomentador da presença social. A partir do modelo de Comunidade de Busca de Conhecimento (GARRISON, ARCHER e ANDERSON, 2000), a pesquisa investiga as mensagens de um fórum bate-papo em um curso de inglês instrumental na modalidade à distância, parte do projeto IngRede, e argumenta sobre a importância de se disponibilizar aos aprendizes espaços abertos à expressão de opiniões, dúvidas, sentimentos e emoções.



Google: considerações sobre o discurso eletrônico

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Daiana Oliveira Faria
daiafariad@gmail.com

Lucília Maria Sousa Romão
luciliamsr@uol.com.br




Sob a ótica da Análise do Discurso de matriz francesa, sobretudo a partir dos trabalhos de Michel Pêcheux, objetivamos propor reflexões teóricas em torno da materialidade do discurso eletrônico. Consideramos que a produção de sentidos não é indiferente a matéria significante. Diante disso, apostamos na assertiva de que a Internet promove modos outros de funcionamento da linguagem, pautando no imaterial e erigindo-se sob a forma de um rizoma (DELEUZE-GUATARRI, 1995) que, mais que representar forma, representa a própria condição de existência da rede e a figura empírica da ontologia do presente (KASTRUP, 2004). Para tanto, traçamos um recorte da pesquisa ora em desenvolvimento a fim de focar as condições de produção da Internet, concebida enquanto um espaço outro de significação e de inscrição de sujeitos.



Informática como disciplina obrigatória na Educação Básica

Trilha: Inclusão digital

Morgana Lacerda
xmorganax@gmail.com




O presente artigo é resultado de uma trabalhosa pesquisa desenvolvida ao longo da disciplina Práticas Investigativas II, disciplina esta que tem por finalidade despertar o interesse nos alunos pela iniciação científica e estimular a prática investigativa e independente de estudos. Assim sendo, este estudo tem como principal objetivo compreender a Informática como disciplina na Educação Básica, identificando suas vantagens e desvantagens, esclarecendo a existência do profissional licenciado em Informática e de seus cursos de formação. Através da pesquisa foi possível esclarecer a relevância que a Informática tem como disciplina curricular nas escolas de Educação Básica bem como compreender as vantagens que esta tem junto aos softwares educativos trabalhados em sala de aula. Através dessa abordagem, percebeu-se ainda mais a necessidade do profissional licenciado em Informática e desta não só como disciplina curricular mas também aplicada nas demais disciplinas nas escolas de Educação Básica.



Inserção do computador no ensino superior: a busca por novas possibilidades nos cursos de letras da Universidade Federal do Piauí

Trilha: Ensino na Internet

Francisco Wellington Borges Gomes
wellborges@hotmail.com




As rápidas mudanças tecnológicas pelas quais temos passado nos últimos anos, especialmente aquelas no campo da informação, nos fornecem instrumentos por meio dos quais podemos repensar e aperfeiçoar nossas práticas pedagógicas. A inserção do computador no ensino de línguas, por exemplo, nos mostra que novas possibilidades surgem a cada momento, uma vez que a busca por recursos que possibilitem o desenvolvimento de estratégias de ensino e que permitam aos alunos utilizar a língua de maneira significativa e de acordo com objetivos específicos é cada vez mais necessária. Dentre as iniciativas conduzidas no âmbito do Departamento de Letras da Universidade Federal do Piauí, podemos destacar algumas experiências de inserção do ensino mediado por computador nos cursos de graduação desde 2008, com disciplinas que intercalam aulas presenciais e aulas realizadas por meio do computador através de um ambiente virtual de aprendizagem. Este trabalho visa apresentar os dados coletados com os alunos destas disciplinas buscando identificar as percepções destes a respeito do ensino de línguas mediado por computador. Para isso, após a condução de cada disciplina, questionários abertos foram aplicados aos alunos. A análise de tais instrumentos indicaram que, apesar das dificuldades iniciais de adaptação às exigências do EMC, estes o enxergavam como uma experiência tão enriquecedora pedagogicamente quanto disciplinas presenciais



La creación de materiales didácticos y las nuevas tecnologías de libre acceso

Trilha: Ensino na Internet

Zaida Vila Carneiro
zaida.vila.carneiro@gmail.com




Los recursos gratuitos que ofrece Internet para la confección de actividades para el aula son innumerables. En esta presentación me centraré en la creación de material didáctico que nos facilita www.fodey.com, una página web en inglés que, en principio, no parece estar orientada hacia la enseñanza y que nos permite crear textos en cualquier idioma bajo el formato de noticias de periódico. Y, más específicamente, propondré una polivalente explotación didáctica de una serie de textos elaborados a través del sitio antes mencionado que subraya la importancia del componente afectivo en la enseñanza de lenguas y que tiene como objetivo gramatical principal el uso de las perífrasis verbales en español.



Letramento digital, dança virtual e inclusão digital

Trilha: Inclusão digital

Isabel Cristina Vieira Coimbra Diniz
bel.coimbra@hotmail.com




De modo geral, podemos pensar o letramento digital como um fenômeno cultural e plural. Ao refletir sobre as habilidades necessárias para a prática de leitura e de escrita digital podemos perceber que o letramento digital possui várias abordagens ou “letramentos”. Nessa perspectiva o domínio do computador como tecnologia da escrita e leitura vai além da manipulação de seus instrumentos físicos (hardware). Por isso uma compreensão, tanto sobre os limites e possibilidades de interação em ambientes digitais como da dinâmica das interfaces e sua estabilidade lógica se faz necessária considerando que os computadores são os instrumentos de acesso à cultura digital. O objetivo desse artigo é fazer uma abordagem sobre a importância do letramento digital como fundamento para a inclusão digital do usuário tendo em vista a dança no ciberespaço como objeto de interesse. Nessa perspectiva podemos crer que a cibercultura contribui para uma mutação na relação entre o conteúdo, o conhecimento, o saber e a sociedade. Nessas relações instaladas por interfaces tecnológicas, um percurso gerativo de sentido sempre aflora ampliando, exteriorizando e modificando incontáveis funções cognitivas no enunciatário ou no destinatário. A semiótica francesa é a nossa via de acesso.



LibreOffice e CoGrOO

Trilha: Documentação em Software Livre

William Daniel Colen de Moura Silva
william.colen@gmail.com

Olivier Hallot
olivier.hallot@gmail.com




a enviar



Metáfora, Metonímia e multimodalidade dos textos digitais: a integração do verbal e do imagético na construção de sentido de charges animadas.

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Natália Elvira Sperandio
thaiasperandio@yahoo.com.br




Podemos observar que, em todas as esferas da vida social, houve uma crescente utilização de textos multimodais na produção de significados, fazendo com que houvesse uma mudança abrangente na mídia e nos meios de comunicação. Dessa forma, os elementos verbais e não-verbais de um texto articulam-se na composição de seu sentido, sendo que o elemento visual não é visto como sendo dependente do verbal, mas com uma organização e estrutura independente. Esse contexto multimodal tem influenciado diversas áreas de estudos que tem mudado o foco sobre o texto exclusivamente verbal para discursos onde a linguagem é apenas um dos modos comunicativos. Seguindo essa linha de raciocínio podemos implicar que não poderia ser diferente com os estudos propostos sobre a interação metafórica e metonímica. Diante disso, o presente trabalho possui a proposta de analisar a forma pela qual metáfora e metonímia se interagem na construção de sentido de um texto multimodal, neste caso, na charge animada. Como resultado observarmos que a interação metafórica e metonímica se faz presente nos e entre os diferentes modos semióticos presentes nesse texto digital.



Mulher e censura em rede: dizeres e silenciamentos na polêmica dos comerciais da HOPE inscritos no YouTube

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Francis Lampoglia
francidusp@hotmail.com

Gustavo Grandini Bastos
gugrandini@uol.com.br
UFSCAR

Jonathan Raphael Bertassi da Silva
cid_sem_registro@yahoo.com.br
FFCLRP/USP




Com esta pesquisa, buscamos analisar os efeitos de sentido da/na polêmica dos comerciais televisivos da empresa de lingeries Hope com a modelo brasileira Gisele Bündchen. Embora tenham sido vetados na televisão pela Secretaria de Políticas para as Mulheres, ligada ao governo federal, a propaganda foi veiculada no site YouTube e ali sentidos sobre o que significa ser mulher, ser sensual e ser brasileira foram discursivizados na rede eletrônica, fazendo falar uma posição do sujeito-navegador (da Web) que difere do sujeito-telespectador. Para compreender tal polêmica e suas condições de produção, evocamos a teoria da Análise do Discurso (AD) francesa, de filiação pecheutiana, principalmente com o conceito de silêncio e seus desdobramentos (ORLANDI, 2007), para verificar como são ditos (ou silenciados) – nas materialidades verbal e não-verbal – os sentidos sobre a mulher brasileira, sua sensualidade e a mercantilização de seu corpo no YouTube



Nas tramas do discurso eletrônico: fios de sentido sobre a leitura

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Ludmila Ferrarezi
ludmila.ferrarezi@pg.ffclrp.usp.br




À luz da Análise do Discurso de matriz francesa, analisamos arquivos discursivos sobre a leitura materializados em blogs de bibliotecas comunitárias, refletindo sobre o sujeito, a Rede, a (hiper)leitura e a produção de sentidos, dada pelas condições de produção do dizer veiculado nas redes da Internet e pela memória discursiva, que atualiza ou faz retornar dizeres já postos em circulação por outros sujeitos, ao longo da história. Essa pesquisa nos permitiu refletir sobre como a língua significa em sua materialidade digital, ampliar a nossa compreensão sobre o modo como os movimentos dos sujeitos são materializados na Internet, além de investigar se/como está em curso uma mudança nas práticas de leitura no ciberespaço e, também, na sociedade.



Notas céticas sobre a leitura hipertextual

Trilha: Hipertexto

Antonio Lailton Moraes Duarte
lailton_duarte@yahoo.com.br




Uma leitura hipertextual invadiu o espaço da comunidade acadêmico-científica, promovendo um “estouro” de publicações, encontros, discussões e debates de toda ordem. A questão que fundamentalmente nos fazemos é: existe, de fato, uma leitura hipertextual...ou tal “leitura” não estaria mais baseada na euforia do momento sociohistórico (sociedade globalizada, comunicação virtual/on line via (novas) Tecnologias da Informação, “acesso e uso irrestrito” de todas e de todos os segmentos a tais tecnologias, “confluência digital” e midiático do que propriamente em testagens empíricas desse “novo” modo de ler? A partir dessas indagações, este trabalho pretende analisar se o fenômeno recente da dita “leitura hipertextual” existe, ou se não passa de uma “leitura” equivocada, em termos de pressupostos epistemológicos, sobre leitura e produção de sentidos, pois o nosso modo de ler textos nunca foi linear, haja vista que o leitor sempre dirigiu os movimentos que o conduzissem à construção do sentido da leitura de um texto. Portanto, é possível afirmar que a produção de sentido também não o será, pois a atividade de leitura, melhor dizendo, nossa atividade de leitura e produção de sentidos se dá/se realiza ao “colocarmos em ação várias estratégias sociocognitivas” (KOCH e ELIAS, 2006, p.39).



Novas tecnologias de mediação e comunicação como extensão da escola contemporânea

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Marcus Guilherme Pinto de Faria Valadares
marcus.valadares@gmail.com

Claudia Almeida Rodrigues Murta
claudiarodriguesmurta@gmail.com




As novas tecnologias de mediação e comunicação exercem hoje uma influência significativa nas relações sociais, especialmente na dos mais jovens. Os jovens, com o advento da internet e das criação redes de relacionamento, passam horas a fio logados nos computadores com seus amigos virtuais. Diante desse fato, nos questionamos sobre a possibilidade de a escola aproveitar o potencial das novas tecnologias da informação e comunicação para extrapolar seus muros e adentrar no universo virtual criando comunidades de prática e ampliando sua interação e atuação na vida do aluno. Para sustentar nossa argumentação, buscamos subsídios na confluência de estudos de orientação social ligados à Sociolinguística, à Ecolinguística e à Psicologia Cognitiva. Esses estudos nos guiarão no entendimento da aprendizagem como um processo nascente da relação entre aprendiz, novas tecnologias de informação e comunicação (ambiente) e affordance.



O corpo inanimado em dis(curso): de como reborn-babies são tornados bebês

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Ane Ribeiro Patti
anepatti@hotmail.com

Lucília Maria Sousa Romão
luciliamsr@uol.com.br




O propósito deste trabalho é colocar em questão um recorte de nossa contemporaneidade que faz falar algo que é outra coisa: com o advento das novas tecnologias e da gra(n)de rede, WWW, a disseminação da oferta/procura por bebês-renascidos (os chamados reborns-babies) por parte de algumas mulheres, produzem discursos sobre os reborn-babies (e tudo o mais que é discursivisado nestas condições de produção) e nos impulsionam a trabalhar em gestos de interpretação que coloquem em jogo um estranhamento sobre o brincar, sobre a infância, sobre a significação da criança e seu lugar em nossa contemporaneidade. Enunciamos nosso trabalho na inscrição teórico-metodológica proposta pela Análise do Discurso de Escola Francesa (AD), e daremos ênfase aos atravessamentos psicanalíticos nesta teoria (Freud e Lacan). A discussão teórica e a análise discursiva de alguns recortes irão traçar um horizonte para falarmos de sujeito, ideologia, inconsciente, produção de sentidos, internet, novas tecnologias e sobre o discurso capitalista que serve de pano de fundo para todos estes conceitos. De acordo com a teoria discursiva, é pressuposto que a historicidade componha um entroncamento com a língua e com o sujeito, que, por sua vez, é constituído pela interpelação ideológica – que naturaliza sentidos – e pelo inconsciente, que trabalha produzindo silêncios e ruídos na linguagem. Os discursos de reborneiras vem nos servir de um fragmento de corpus, para tecermos esse entroncamento citado, a fim de promover uma reflexão sobre a linguagem e sua afetação – em mão dupla – pela/na tecnologia e a produção destes novos discursos advindos destas novas condições de produção.



O professor livre na rede: projeto ACO

Trilha: Inclusão digital

Ana Cristina Fricke Matte
acris@textolivre.org

Adelma Lúcia de Oliveira Silva Araújo
adelmaa@yahoo.com.br

Carlos Henrique Silva de Castro
chenriquebh@yahoo.com.br
UFMG

Daniervelin Renata Marques Pereira
daniervelin@yahoo.com.br
USP

Hugo Leonardo Canalli
hugocanalli@gmail.com

Rafael José Puiati Bergamaschi
ramaschi@gmail.com
UFMG

Wilkens Lenon
wlenon@softwarelivre.org
UFPE




Desde sua criação, o grupo Texto Livre tem como horizonte a criação de um espaço comunitário online para compartilhamento de aplicativos livres para fins educacionais. O Portal do Professor Livre na Rede é o resultado de anos de experiências didáticas e de desenvolvimento de software livre educacional e para fins de pesquisa e chega num momento em que as novas Leis de Diretrizes e Bases da Educação impelem os professores brasileiros a buscar soluções educacionais online. Apresento aqui a história do Portal, dos fundamentos éticos baseados nos princípios da cultura livre às soluções computacionais propostas no ACO (ambiente colaborativo Online) para um dos principais problemas enfrentados pelos professores: a complexidade de gerenciamento dos aplicativos e a variação extrema de nível de conhecimento de informática dos usuários.



O professor-tutor e a promoção da interação-participação discente na educação a distância: relato de experiência

Trilha: Ensino na Internet

Gislaine Gracia Magnabosco
gigracia@hotmail.com




Na Educação a Distância (EAD), o professor-tutor tem um papel essencial, não só porque é o responsável por liberar os conteúdos, orientando e auxiliando os educandos em seu percurso educacional, mas também porque cabe a ele fomentar a participação destes, evitando, assim, a desistência e/ou a sensação de abandono (de estar sozinho). Muitos tutores, embora recebam uma capacitação técnica para atuar nos ambientes virtuais de aprendizagem, não recebem uma capacitação didático-pedagógica. Muitos, portanto, não sabem como promover a tão necessária presença docente (estar presente virtualmente), tampouco a efetiva participação dos alunos nas atividades interativas da plataforma. Reconhecendo essa dificuldade e a importância das ações do tutor para a promoção de um ambiente cooperativo e colaborativo de aprendizagem, este trabalho busca apresentar algumas estratégias que foram utilizadas em uma disciplina de graduação, em uma faculdade particular do Estado do Paraná, e que conseguiram acrescer a participação e a interação dos alunos nas atividades da plataforma. Por meio do relato de experiência aqui exposto, espera-se contribuir, ainda que brevemente, para o saber-fazer do professor-tutor, auxiliando-o, assim, em sua prática docente diária.



O SEER e o processo de editoração de revistas científicas brasileiras

Trilha: Divulgação de Software Livre

Rafael José Puiati Bergamaschi
ramaschi@gmail.com

Raquel Brandão Rodrigues Duarte
raquelbrandao.letras@gmail.com
UFMG




Neste trabalho, falaremos sobre o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), customizado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e baseado no software livre Open Journal Systems (OJS), desenvolvido pelo Public Knowledge Project (PKP), da Universidade Bristish Columbia, no processo de editoração de revistas científicas brasileiras e das suas funcionalidades e vantagens no gerenciamento das publicações. Serão descritas, também, as funções do Administrador do Portal, Editor Gerente, Editor, Editor de Seção, Editor de Texto, Editor de Layout, Leitor de Prova, Avaliador e Autor, que customizam o processo de edição e reduzem o tempo e o custo de secretaria, melhorando a performance de todos os envolvidos no processo de editoração e a qualidade dos periódicos científicos.



O software de programação Scratch: possibilidade de qualificação do processo de ensino e aprendizagem da Matemática e desenvolvimento do Pensamento Computacional

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Rafael Schilling Fuck
rafaelschillingf@gmail.com




O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma proposta de investigação que está sendo desenvolvida no contexto do Curso de Especialização em Mídias na Educação, promovido pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Rio Grande do Sul. Tal proposta consiste na integração do software livre de linguagem de programação Scratch no processo de ensino e aprendizagem de Matemática, no âmbito do Programa Um Computador por Aluno (PROUCA). Considera-se que a integração deste software possibilita processos de aprendizagem da Matemática centrados no aluno e o desenvolvimento de competências, em especial, o Pensamento Computacional (PC). Por meio do PC, os alunos poderão compreender como os dispositivos digitais de hoje podem ajudá-los a resolver problemas. Por fim, esta investigação será empreendida com alunos de uma escola pública, do interior do Rio Grande do Sul, participante do PROUCA.



O texto fílmico e a produção de textos em sala de aula

Trilha: Cultura Livre

Liliane Scarpin Da Silva Storniolo
liliane.sss@uol.com.br




A oficina “O texto fílmico e a produção de textos em sala de aula” faz parte do projeto Letras na Escola e tem por objetivo despertar o senso crítico dos estudantes para que eles possam entender o contexto em que vivem com maior discernimento e opinar sobre os problemas impostos pela sociedade através dos tempos. Durante a oficina, os alunos assistiram ao filme “A fuga das galinhas” e, posteriormente, realizaram atividades que envolveram o texto argumentativo e o texto publicitário. Nosso trabalho foi pautado por pesquisas e estudos sobre como e por que utilizar o texto fílmico em sala de aula, ou seja, modos para trabalharmos com o texto e quais os conteúdos seriam aplicados para que houvesse um processo ensino e aprendizagem eficientes, eficazes e, principalmente, prazerosos tanto para os estagiários como para os alunos de comunidades carentes do 6o ao 9o ano do Ensino Fundamental de escolas municipais rurais do município de Palmas, no Estado do Tocantins. O filme escolhido para a oficina do projeto Letras na Escola, após algumas reuniões da equipe formada por professores e alunos do curso de Letras da UNITINS (Fundação Universidade do Tocantins), foi “A fuga das galinhas” por tratar de um assunto abrangente que fala da convivência, da opressão e da busca da liberdade de galinhas que viviam em um galinheiro cuja proprietária era extremamente autoritária e intolerante.



O UCA e a inclusão digital nas escolas do Acre

Trilha: Inclusão digital

Darlan Machado Dorneles
darlan.ufac@yahoo.com.br




No Acre, o projeto piloto “Um Computador por Aluno – UCA” está proporcionando as escolas acreanas a inclusão digital e a inovação no processo de ensino-aprendizagem, pois através desta Tecnologia da Informação e da Comunicação (Laptop Educacional - UCA) têm-se novas formas de ensinar, aprender e uma sala de aula mais interativa e prazerosa. Por outro lado, verifica-se a necessidade de ter um professor que trabalhe de fato essa tecnologia a favor do processo educacional, ou seja, que utilize o Laptop Educacional de forma adequada ao processo de ensino já que são múltiplas as possibilidades e benefícios desta ferramenta. Desta forma, neste trabalho temos como objetivo apresentar algumas discussões acerca do projeto UCA no estado do Acre, evidenciando, sobretudo os benefícios e os desafios no processo de inclusão digital nas escolas deste Estado.



Objeto de aprendizagem: auxiliando pratica de leitura de imagens

Trilha: Ensino na Internet

Fernanda Monteiro Barreto Camargo
fmbcamargo@yahoo.com.br




Este artigo trata da construção de um objeto de aprendizagem e sua aplicação a um grupo de alunos do Curso de Licenciatura em Artes Visuais da Universidade Federal do Espírito Santo, na modalidade Ensino à Distância, como protótipo de uma ferramenta a ser desenvolvida a partir da análise dos resultados alcançados e das expectativas geradas no decorrer dessa experiência. Tem com eixo norteados a prática de leitura de imagem e as dificuldades encontradas pelos alunos em compreender os pormenores de cada obra. Enfatiza a importância da participação de alunos e tutores na construção e aperfeiçoamento de metodologias adequadas às necessidades e as demandas locais



Ocorrências intertextuais no Twitter

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Jamille Sainne Malveira Forte
jamillesainne@gmail.com

Sayonara Melo Costa
sayonaracosta@gmail.com
Universidade Federal do Ceará




Sabe-se que a intertextualidade é um fenômeno que se configura a partir do diálogo entre dois textos, ou a partir da imitação ou transformação de gêneros e de estilos, como já postulado por Genette (1982). Ocorrências intertextuais estão disponíveis nas mais diversas práticas de linguagem, não só nos gêneros da literatura, tais como mostraram Genette (1982) e Piègay-Gros (1986). Neste trabalho, procuraremos demonstrar como o recurso da intertextualidade é trabalhado na rede social Twitter e, mais especificamente, qual a relação que as escolhas intertextuais têm com a formulação de sentidos, funcionando, na maioria das vezes, como propagadora de humor e crítica por parte dos seguidores deste perfil. Assim, demonstraremos que, para se construir o sentido do texto, devemos recorrer a possíveis intertextos. Para dar conta desse objetivo, analisaremos 15 tweets do perfil @Na_Igreja, um perfil cristão/evangélico cujas postagens são, sobretudo, centradas na temática da evangelização. Como aporte teórico, assumiremos, para a Intertextualidade, Koch, Bentes e Cavalcante (2007) e, para a propagação de informações na rede social, Recuero (2009).



Oficinas de produção de anime com Tux Paint no Projeto UCA

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Luciana Santos Oliveira
lucianamlk@gmail.com




O presente trabalho surge como uma resposta a necessidade de se discutir/estudar as mudanças que a educação vem sofrendo com a evolução das tecnologias da informação e da comunicação. Neste, será tomado como campo as oficinas para a produção de anime utilizando o editor de imagem para crianças, o Tux Paint, um software livre com grande potencial para a produção de animes. Estas oficinas foram realizadas com professores de quatro escolas, que foram contempladas com o Projeto Um Computador por Aluno (UCA) na Bahia. O objetivo deste trabalho é relatar uma experiência com a criação de objetos de aprendizagem, no campo da formação continuada de professores usando o Tux Paint, programa que correspondeu com as expectativas das oficinas.



Os sentidos do(a) político(a) nos cartuns do Angeli

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Larissa Junqueira
lara.junqu@hotmail.com




Esse projeto visa estudar os cartuns do Angeli, que é um dos principais cartunistas do Brasil, publicados no jornal A Folha de São Paulo e na rede digital, analisando-os a partir dos conceitos e metodologia da Análise do Discurso (AD), de origem francesa, sendo Michel Pêcheux, seu pioneiro. Começamos por definir que o objeto de estudo do discurso é os “efeitos de sentido entre locutores”, o que reclama a noção de sujeito (PÊCHEUX, 1969). É importante analisar como se constrói a comunicação (hiper)midiática com a população através das charges e cartuns e como os sentidos são produzidos no âmbito dos suportes de informação impresso e eletrônico no que diz respeito às textualizações midiáticas. O cartum, e especialmente os trabalhos de Angeli, foram escolhidos para tematizarem questões como memória, arquivo, político e sentidos, temas que se afinam com o nosso desejo de analisar e estudar os diversos sentidos do(a) político(a).



Pesquisa orientada na internet: uma experiência com Webquest

Trilha: Ensino na Internet

Laura Viviani dos Santos Bormann
lvbormann@yahoo.com.br




Este trabalho possui como temática o uso da informática como recurso didático e discute fatores positivos e negativos da inserção de novas tecnologias na educação, visando demonstrar, principalmente, a relevência desta prática nas aulas de Língua Portuguesa. Baseamo-nos na leitura de diversos textos que tratam do tema e na experiência de aplicação de uma Webquest numa turma de ensino médio de uma escola pública. Verificamos que o uso das ferramentas da internet contribuem com o trabalho docente no sentido de mobilizar os educandos para uma aprendizagem mais autônoma. Fizemos uma pesquisa qualitativa com observação e aplicação de dois questionários de avaliação entre alunos e professores, comprovando os benefícios da atividade e a necessidade da escola do novo milênio preparar ações dessa natureza a fim de inserir os educandos na sociedade atual.



Processo de elaboração de um ambiente virtual de aprendizagem usando o Moodle : desafios e reflexões

Trilha: Ensino na Internet

Bruna Scheiner Gomes Pimenta
blsgomes@gmail.com




As novas tecnologias de informação e comunicação representam e oferecem novas ferramentas e contextos pedagógicos. A expansão da educação à distância revela a importância dos Ambientes Virtuais de Aprendizagens (AVA). Contudo, a criação de tais ambientes exige planejamento e domínio de saberes técnicos e pedagógicos. O presente trabalho tem por objetivo relatar e analisar os desafios no processo de elaboração do componente on-line de duas disciplinas de graduação na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro usando a plataforma Moodle. As seguintes perguntas nortearam as reflexões: Como ocorreu o planejamento de atividades e divisão de tarefas? Quais foram os papeis assumidos pelos participantes? Que desafios foram encontrados no planejamento do curso? Que estratégias foram usadas para superá-los? A fundamentação teórica foi composta pela Teoria da Atividade (ENGESTRÖM, 2002) que auxiliou na compreensão do processo de elaboração do AVA enquanto um sistema de atividades considerando a divisão de trabalho e pelo design instrucional (FILATRO, 2008) que apontou o planejamento e avaliação como procedimentos fundamentais para garantir êxito na elaboração do componente on-line.



Produção de desenhos animados na escola: letramentos e multimodalidade no ensino e aprendizagem de idiomas

Trilha: Produção Textual no Computador

Gerson Bruno Forgiarini de Quadros
brunoejenyffer@gmail.com




O presente estudo se baseia numa proposta de produção textual e oral em língua estrangeira moderna inglês mediada por computador numa escola pública no Rio Grande do Sul. A intenção deste estudo está em compreender, à luz da Teoria da Atividade e dos estudos sobre letramentos e multimodalidades, o modo como são mediados os processos de ensino e aprendizagem do inglês como língua estrangeira (I\LE) na Internet pelo uso de um ambiente virtual para a edição de vídeos animados conhecido por “Go! Animate”. Outro interesse deste estudo está em descrever e analisar o modo como se forma a comunidade virtual de aprendizagem no Go! Animate, verificando quais elementos podem potencializar o desenvolvimento da compreensão textual e auditiva, o desenvolvimento da escrita e da oralidade dos sujeitos que serão investigados nesta pesquisa.



Projeto Telejornal: um relato de experiência

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Mônica Cristina Vital dos Santos
shalomonica@yahoo.com




Trata-se de um relato de experiência de uma das atividades desenvolvida em sala de aula com alunos do 7o ano do Centro Pedagógico da UFMG. A partir de uma aula sobre os gêneros textuais: relato, notícia, reportagem e entrevista, surgiu o Projeto Telejornal, no qual cada grupo de alunos desenvolveu e gravou esquetes com os gêneros citados, montando assim seu telejornal. Este tinha o objetivo de desenvolver competências como a capacidade de trabalhar em equipe, de cumprir as tarefas estabelecidas, de pesquisar, de produzir textos escritos, de comunicar-se oralmente, de ser colaborativo e outros. Para tanto, foram definidos três momentos: a preparação dos alunos e dos materiais; a gravação e edição dos vídeos e a postagem na Internet. A edição foi realizada pelos próprios alunos durante as aulas de informática, tornando assim uma atividade multidisciplinar. Em todo o projeto, os recursos tecnológicos como câmera filmadora, computadores e softwares de edição de texto e de vídeo foram utilizados a serviço dos objetivos pedagógicos de desenvolver competências. Desse modo, demonstramos que as novas tecnologias são fortes recursos para o ensino, basta que o utilizemos conscientemente, a partir de premissas pedagógicas.



Reflexão, colaboração e tecnologia: nuances da formação continuada de professores de língua inglesa

Trilha: Ensino na Internet

Jesiel Soares Silva
fassiedojeb@yahoo.com.br




Este trabalho analisa uma pesquisa colaborativa desenvolvida por mim em parceria com cinco professoras de inglês da rede pública de Goiás. O propósito maior foi averiguar de que forma a pesquisa colaborativa pode contribuir para uma prática docente menos individual no ensino mediado por computador e como a reflexão e a ação podem ser alternativas na formação das professoras. Para tratarmos da formação de professores como profissionais reflexivos, fizemos uma discussão sobre as teorias de Schön (1983, 1992) e os desdobramentos de sua teoria em Zeichner (2003), Zeichner e Liston (1996) e Pérez Gómez (1992). Como parte dos construtos sobre a concepção de professor reflexivo, discutimos a questão da autonomia tanto do professor (CONTRERAS, 2002; FREIRE, 1996 e GIROUX, 1997) quanto dos alunos (HOLEC, 1981; PAIVA, 1998, 2005). O presente estudo se enquadra dentro da abordagem qualitativa (DENZIN; LINCOLN, 2006; CRESWELL, 2007) e das definições da pesquisa colaborativa como alternativa docente em busca de uma melhor atuação (LASSONDE e ISRAEL, 2008; HORIKAWA, 2008; HARRY, 2007). Os resultados apontam que a colaboração foi um fator decisivo na formação reflexiva e prática do professor de língua inglesa que faz uso do computador, pois compartilhando os avanços, angústias, entraves do trabalho entre si, os professores se sentem mais seguros e confiantes para prosseguir. Os resultados também mostram que a ação e a reflexão sobre a prática foram fundamentais para a construção de uma docência menos individual.



Seleção de ferramentas para construção de AVAs: critérios e pressupostos

Trilha: Ensino na Internet

Luciana Nunes Viter
lucianaviter@yahoo.com.br




A presente pesquisa, de caráter exploratório e abordagem etnográfica, investiga o desenho instrucional das atividades a distância de três disciplinas ministradas em nível de graduação durante o primeiro semestre de 2011 no âmbito da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Procedeu-se à descrição da seleção de ferramentas aplicadas à estruturação dos ambientes virtuais de aprendizagem implementados na plataforma construída com o software Moodle, e à análise dos possíveis pressupostos que nortearam tais escolhas à luz dos referenciais utilizados como fundamentação teórica. Os dados, analisados sob perspectiva interpretativista, foram gerados a partir da observação direta dos componentes on-line das disciplinas e de contatos e entrevistas com professores e monitores responsáveis pelos ambientes on-line, registrados em diário de campo do pesquisador.



Sentidos de bibliotecário na voz de sujeitos universitários

Trilha: Cultura Livre

Mavi Galante Mancera Dall´Acqua Carvalho
mavimancera@hotmail.com




Pensar o efeito imaginário da/sobre a profissão bibliotecário, num diálogo entre as perspectivas teóricas da Análise do Discurso e da Ciência da Informação, é o intento deste trabalho. A profissão de/do bibliotecário sempre esteve permeada de imagens caricatas e estereotipadas, já-dito que, naturalizado, faz parecer evidente um certo modo de concebê-lo. Segundo Walter e Baptista (2007, p.27) os estereótipos “costumam ser associados a conceitos negativos manifestados quando é emitido julgamento acerca de algum tema, de uma determinada pessoa, de um grupo, ou mesmo relacionado às ações”. Para a Análise do Discurso, as imagens (de si e do outro) são construídas pelos sujeitos, afetados pela ideologia e pelas condições sócio-históricas, a partir do jogo das formações imaginárias e das relações de poder em confronto no momento da enunciação. Tais imagens: “constituem as diferentes posições. E isto se faz de tal modo que o que funciona no discurso não é o operário visto empiricamente, mas o operário enquanto posição discursiva produzida pelas formações imaginárias” (ORLANDI, 2005, p.40-41). Este profissional é imaginarizado pela sociedade, pelo labor de guarda e organização dos livros na estante e pelo domínio que exerce sob o acervo na biblioteca, com autonomia para permitir ao usuário, o acesso ou impedimento aos materiais. Estas características tornam relevantes na busca de mudanças pelos estudantes e profissionais da área, pois afetam os paradigmas, o mercado de trabalho e comportamento do bibliotecário, e da mesma forma os efeitos de reconhecimento da identidade e da percepção de sua importância para a comunidade



Sentidos sobre matrimônio e família inscritos no discurso do filme “A Primeira Noite de um Homem”

Trilha: Cultura Livre

Jonathan Raphael Bertassi da Silva
cid_sem_registro@yahoo.com.br

Lucília Maria Sousa Romão
luciliamsr@uol.com.br




Investigamos neste trabalho os sentidos inscritos no longa-metragem A Primeira Noite de um Homem (The Graduate, 1967), de Mike Nichols, sobre o imaginário da mulher nas instituições do casamento e da família. Para tal, empregamos postulados teórico-metodológicos da Análise do Discurso (AD) de filiação francesa. Por meio deste referencial teórico, visa-se o estudo da linguagem em suas práticas sociais, pois a compreensão do discurso passa necessariamente pela sociedade, visto que história e linguagem se afetam e alimentam mutuamente. Definindo a linguagem como trabalho, a disciplina desloca a importância dada à função referencial da linguagem, a qual ocupa posição nuclear na Lingüística clássica, que defende esse enfoque ma comunicação, ou na informação; assim, o viés da AD entende a linguagem como ato sócio-histórico-ideológico, sem negar o conflito, a contradição, as relações de poder que ela traz em seu bojo. Interessa-nos buscar os efeitos de sentido presentes em flmes como o referido sobre a representação da mulher e seu diálogo conflituoso com a instituição familiar, com o matrimônio e com a sensualidade, sempre atentando para os movimentos do sujeito que fazem falar, de modo heterogêneo, uma memória discursiva sobre o que é ser mulher, levando à tona regiões de sentido antes vetadas que envolvam prostituição, casamento, família e sexo.



Software Livre

Trilha: Divulgação de Software Livre

Alexandre Oliva
lxoliva@fsfla.org




a enviar



Sujeito e discurso na rede

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Daniela Giorgenon
danielagiorgenon@gmail.com

Ane Ribeiro Patti
anepatti@hotmail.com
FFCLRP/USP

Lucília Maria Sousa Romão
luciliamsr@uol.com.br




Para tecermos sentidos sobre os movimentos do sujeito na (e fora da) rede eletrônica, nos pautamos na Análise de Discurso de matriz francesa (AD), método que reconhece a materialidade opaca da língua(gem) e seu atravessamento pela história, pelo inconsciente e pela ideologia, e também em contribuições da psicanálise freudiana e lacaniana. Norteadas pelos conceitos de sujeito, discurso, sentido e rede discursiva intencionamos provocar um gesto de leitura sobre a rede eletrônica e o sujeito-navegador que exponha à opacidade os sentidos de completude circulantes sobre essas materialidades, e a céu aberto os efeitos na constituição de sentidos outros e do sujeito ao circular pelos links em sites, blogs, redes sociais, em sua rota desejante na infomaré.



TDICs e os processos de alfabetização e letramento de crianças surdas e ouvintes: formação de professores

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Heloísa Andreia Matos Lins
heloisamatos1@yahoo.com.br




A partir da experiência da pesquisadora, numa escola de educação básica, com professores e alunos do 1o. ciclo, pretende-se tecer os principais aspectos que nortearam um curso de formação continuada para os referidos docentes, a respeito dos processos de alfabetização e letramento na surdez, na perspectiva bilingue, bem como propostas de mediação no contexto das práticas pedagógicas mais amplas, com o uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs), ou seja, também referentes aos processos de ensino/ aprendizagem de crianças ouvintes, tendo como cenário os processos de inclusão/ exclusão da cultura escolar e as possibilidades concretas que as instituições podem articular para o aprimoramento desses processos de ensino/ aprendizagem.



Twitter: ferramenta potencializadora do trabalho jornalístico

Trilha: Jornalismo na Internet

Ruana da Silva Maciel
ruanamcl@gmail.com




Resumo: O presente trabalho intenta delinear algumas considerações sobre as especificidades da rede social twitter direcionadas para o trabalho jornalístico. Para analisar essa questão pretende-se levar a debate como a utilização da plataforma pelos jornalistas, na atualidade, tem se intensificado e modificado o padrão de produção e disseminação de notícias. Tal questão será abordada a partir de uma revisão bibliográfica e da demonstração de exemplos que ajudarão a compreender como o twitter pode ser um aliado ou um vilão do trabalho jornalístico quando os profissionais o utilizam de forma equivocada, visto que muitos são os veículos de comunicação que fazem uso do twitter para disseminar seus conteúdos.



Um relato de experiência sobre a atividade de gestão em uma equipe de produção de material digital educacional

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Cibele Colares
cibele_colares@yahoo.com.br

Trícia
triciatba@yahoo.com.br




O presente trabalho busca mostrar, por meio de um breve relato de experiência, como se deu a experiência de gestão de um núcleo de produção de material digital, possibilitada pela proposta institucional da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) aprovada pelo Edital15, lançado pelo MEC em 2010, de Fomento ao Uso das Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC) nos cursos de graduação. Esse relato procura demonstrar, ainda, além da relevância das TIC no contexto educacional desta época, como o trabalho e o apoio de um grupo multidisciplinar, feito em equipe, é importante para a implementação dessas novas tecnologias nos ambientes educacionais.



Uma ferramenta discursiva: os feedbacks nos fóruns de discussão

Trilha: Produção Textual no Computador

Lilian Michelli da Silva Rodrigues
lilianmrod@gmail.com

Andréa Márcia M. A. Coutinho
andream@ucb.br

Sandra Mara Bessa Ferreira
sandram@ucb.br




A Educação a Distância (EAD) possui diversas ferramentas para consolidar a aprendizagem dos estudantes de forma participativa. Um destes instrumentos se faz necessário para a efetivação do entendimento do conteúdo – os fóruns de discussão, ainda muito utilizado nos cursos a distância. Essa ferramenta possibilita aos professores, de EAD, um acompanhamento da aprendizagem e do estudo dos estudantes a respeito do conteúdo do curso. Para que seja eficaz esse acompanhamento, o professor utiliza do feedback para fazer o direcionamento dos estudantes e colocá-los a par do desenvolvimento alcançado. Sendo assim, os feedbacks de professores, nos fóruns de discussão, são ferramentas discursivas que possibilitam uma efetiva aprendizagem. Nesse sentido, este estudo tem como objetivo investigar os discursos dos professores/tutores e estudantes, da modalidade de Educação a distância, nos fóruns de discussão. Leva em consideração o processo de construção, de interpretação e de recebimento das orientações dos professores aos estudantes de uma disciplina virtual - Leitura e Produção de Textos, de um curso de uma instituição privada de ensino superior no Distrito Federal.



Using blogs in the EFL classroom: students' and teacher's perceptions

Trilha: Blogs e Wikis

Doris de Almeida Soares
dorissoares@terra.com.br




This paper describes an experience with the use of class blogs in an EFL context and discusses the understanding my students and I have gained from exploring our own practices as regards the use of this technology. This study was carried out with a group of nine pre-intermediate teen students in a language school in Rio de Janeiro, Brazil, and it aimed to understand the subjects’ perception of their class blog as a learning tool. To do so, two activities in line with the concept of Exploratory Practice were devised. These aimed to engage the students into reflective thinking in two different moments of our experience with using blogs for the first time. This investigation process gave rise to new puzzles which led me to do some research with members of an international community of practice called the Webheads. This survey aimed to verify to what extend there were similarities between our practices and those taking place in EFL classrooms in different parts of the world. The results of this four-month-study show that my students saw our blog as a learning tool and that blogs are being used in different ways around the world.




Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creativecommons88x31.png

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Based on a work at Texto Livre: IX EVIDOSOL/VI CILTEC-online.