IVevidosol/Resumos

De Wiki do texto Livre

Índice

Resumos/Resumen/Abstracts/Astratto:

Herramientas libres para la educación (Ferramentas livre para a educação)

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Germán Alejandro Miranda Díaz

Conferência

Software Livre Portátil

Trilha: Divulgação de Software Livre

Cárlisson Galdino

Softwares livres têm várias vantagens e uma delas é a possibilidade de modificá-lo da maneira que for preciso para atender nossas necessidades. A proposta é apresentar o mundo dos Live-CDs, falando da sua história e apontando características de alguns deles, E partir para o PortableApps, que é um projeto que modifica softwares livres liberando versões que podem ser executadas no Windows diretamente a partir do pendrive, sem precisar instalar. Desta forma, podemos por exemplo utilizar o BrOffice.org sem medo, pois podemos rodar o OpenOffice.org a partir do pendrive mesmo numa lan house.

Projeto Adote um Parágrafo - Traduções Colaborativas

Trilha: Documentação em Software Livre

Sofia Passos Rezende

daniel antonio de sousa alves

Giulliana Vieira Rocha

Juliana Cristina Guimarães Canuto

Ricardo Carneiro Pires

O ato de traduzir pressupõe a existência de uma complexa reflexão sobre quais escolhas serão as mais adequadas para utilização em um determinado contexto. Em uma situação em que existe mais de um tradutor, como em nosso caso em que trabalharemos com um site de traduções em forma colaborativa, essas escolhas ocorrem de modo muito particular. Mesmo que não aconteça de forma clara e, muitas vezes, nem seja percebida pelo tradutor, as concepções, as opiniões de cada um estão sempre presentes durante a realização dos trabalhos, o que causa uma certa diversidade de termos, expressões, etc. Com base nessa diversidade, faremos uma análise crítica sobre as formas com as quais o texto: "Social Network Sites: Definition, History, and Scholarship - Danah M. Boyd e Nicole B. Ellison" será traduzido para o Português, abordando as diferenças e dificuldades encontradas em cada versão. A tradução desse texto foi realizada por diversos participantes do projeto Adote um Parágrafo e também será feita por todos os cinco membros do grupo de forma coletiva para que, em seguida, possa ser feita uma seleção entre as diversas possibilidades de tradução de cada parágrafo e a análise dos termos escolhidos. Essa atividade possibilitará a confecção de um texto final único, com as opções escolhidas pelo grupo de forma consensual. Os métodos que utilizaremos para realizar o trabalho serão: tradução livre, sites de tradução, dicionários inglês/português e inglês/inglês e softwares de suporte à tradução.

Revisão para o Math do OpenOffice

Trilha: Documentação em Software Livre

Gustavo Henrique Andrade Costa

Aiko Cristina Mine Cavalcante

Fabiana Alves de Souza Moura

Este artigo vai mostrar o trabalho de revisão feito para o Math.Org do OpenOffice.Org, bem como as considerações feitas pelo autor como orientação. O tutorial escolhido como base foi enviado por um colaborador e também foi assinado por ele. Com esse trabalho, pretendemos observar os métodos utilizados pelo autor e analisá-los didaticamente.


O corretor ortográfico do BrOffice

Trilha: Documentação em Software Livre

José Celestino de Mendonça Filho

Guilherme Arantes

Idênia Gomes Passos

Josiane

Júnia Kelle Teles Martins

A palestra a ser ministrada pelo grupo visa divulgar o CoGrOO (Corretor gramatical acoplável ao OpenOffice.org), uma ferramenta virtual que pode ser utilizada na produção de textos via computador. Sendo um corretor gramatical, o programa identifica erros de concordância, erros de crase, e outros. Ele é bastante popular entre usuários do BrOffice.org, mas nada impede que ele seja usado em outros contextos. O CoGrOO é constituído de uma série de analisadores automáticos que geram a análise morfológica e sintática (parcial) do texto. Sobre esses resultados identifica padrões de erros que serão exibidos para avaliação do usuário. Apesar de toda a funcionalidade é necessário ressaltar que o programa é um software e muitas vezes erra, portanto seus resultados devem ser usados de forma crítica, e não como uma verdade. O CoGrOO é tão somente um corretor gramatical, não abrange a correção ortográfica. O que define tal diferença? O corretor ortográfico detecta erros de grafia nas palavras, como por exemplo, a palavra "flecha" com as letras "ch", em vez de "flexa" com a letra "x". Também sugere uma medida corretiva para a solução do erro, que é a substituição da palavra grafada incorretamente por palavras semelhantes que estejam grafadas corretamente. Já o corretor gramatical detecta erros na relação sintática e morfológica das palavras, como por exemplo, na frase: “Eles joga bola” o corretor gramatical detecta o erro na concordância entre o sujeito “Eles” e o verbo “joga”; Além de também sugerir uma medida corretiva, como a substituição da palavra "joga" pela mesma palavra flexionada no plural, que é “jogam”. Com isso buscaremos, através de exemplificação, comprovar a eficácia do programa e sua contribuição no aprimoramento da forma em uma produção de textos.

Técnicas para internacionalização de software/documentos

Trilha: Documentação em Software Livre

Anderson Goulart

A presente palestra tem como objetivo mostrar os conhecimentos técnicos exigidos ao tradutores. Por exemplo, percebemos na tradução de software várias fases complexas e muitas vezes não conectadas por falta de compreensão dos agentes envolvidos: a construção do software, a seleção de "strings" a serem traduzidas, a codificação de caracteres, a geração de arquivos de tradução, tradução, a contextualização e a publicação da tradução. Entender todas estas fases ajuda os tradutores a se envolverem e contribuirem com os projetos de software livre. Todo esse processo também existe na produção da documentação. Há diversas técnicas computacionais que possibilitam a tradução/publicação do seu texto para outras línguas de uma forma "simplificada". Esta palestra tentará mostrar todos estes aspectos técnicos de uma forma simples e compreensível para as duas pontas distintas: produtores de software e de texto, para que essa comunicação aconteça dentro do "tecnês" pertinente. Portanto, abordaremos alguns tópicos como: gettext, i18n e l10n, xml, docbook, latex, codificação de caracteres, formatos de arquivos (odt, pdf...), programação de computadores, etc.

Habilidades cognitivas presentes na leitura de hipermídias

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Mariana Samos Bicalho Costa Furst

O presente artigo tem como objetivo principal fazer uma reflexão sobre as habilidades desenvolvidas durante o processo de leitura de hipermídia, mais especificamente infográficos, objeto de pesquisa da autora.

O computador em sala de aula

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Leandro Oliveira da Silva

Ninguém mais duvida que o computador é coisa do presente. O que parecia futuro há pouco tempo atrás já é realidade na sala de aula. O problema hoje é o que fazer com esse instrumental. Muitos professores ainda não sabem usar o computador, portanto, o primeiro passo é aprender a fazer isso. É preciso saber o que ele pode fazer, para depois saber o que fazer com ele. Isso não quer dizer que devemos saber tudo sobre computador. É preciso, pelo menos, ter intimidade com os recursos mais freqüentemente usados do editor de textos, porque o resto vamos aprendendo um pouco a cada dia de uso desse programa. Além disso, saber receber e enviar e-mails e saber navegar na Internet são condições indispensáveis para quem quer usar o computador na sala de aula.

Relações constitutivas em uma fábrica de softwares

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Aguinaldo Gomes de Souza

No presente, estamos assumindo com Fernandes (2003), que o software é uma descrição de máquina cujo funcionamento depende de outra máquina que carregue e interprete as informações que ele está formatado. Essa máquina de ordem superior é representada na figura do hardware, que pode ser desde um computador pessoal, a uma câmera digital, um terminal de auto-atendimento bancário ou mesmo um telefone celular. Assim, com Souza (2008;2009) vamos verificar que é no software que o usuário da língua mantém relação direta com a escrita, e que a interface do software molda os gêneros digitais. Também, com Souza (2009), verificamos que é no software que o hipertexto e a hipermídia se materializam. Assim, no presente, estaremos atentando para o processo de fabricação de software bem como para os atores sociais envolvidos nesse processo de nascituro. Procuramos desse modo, entender como essas meta-máquinas e suas interfaces gráficas, corroboram para o uso de um gênero digital e dos hipertextos. Nesse sentido, buscamos na teoria dialógica bakhtiniana subsídios para um estudo das relações de alteridade que se estabelecem nas relações dialógicas inerentes a qualquer tipo de linguagem, incluindo a relação linguagem-homem-máquina. Assim, olhando os softwares e as interfaces, iremos identificar que esses organismos também possuem uma ancoragem na metalingüística, disciplina proposta por Bakhtin (1981). O que entendemos por isso é que tanto nos softwares quanto nas interfaces desses softwares, existem formas marcadas e não marcadas de presença do Outro, deixadas por desenvolvedores durante o processo de desenvolvimento dos softwares(uso de si por si mesmo, e do uso de si para o outro), espaço de subjetividade (SCHWARTZ, 2000).

Leitura e escrita interativa: o hipertexto e o ciberespaço

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Bianca Jussara Borges Clemente

O universo do sistema educacional, cuja realidade não atende a demanda do ciberespaço, poderá se adaptar ao processamento comunicativo, a fim de propor a produção interativa, como forma dinâmica de produção de conhecimentos e trocas de experiência. O papel do docente será, portanto, estar atento à produção textual dos alunos e adequá-los ao gênero digital a ser produzido referente a situacionalidade específica. Essa nova abordagem ao ensino da produção textual, inerente às aulas de redação, pode auxiliar o professor a diagnosticar as reais dificuldades existentes em sala de aula e encontrar novas perspectivas para melhorar as interações comunicativas de seus alunos, na prática social, mesmo que em nova roupagem interativa.

Texto Livre internacional

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Ana Cristina Fricke Matte

Reinildes Dias

Foi uma simples idéia que criou o Texto Livre a partir de aulas de oficina de texto em língua portuguesa. O projeto permite trabalhar com língua materna e estrangeira numa coarticulação com o mundo colaborativo do software livre, garantindo produção acadêmica para o mundo, para fora dos portões da escola. Nesta palestra vamos falar do projeto como modelo GPL para uma integração entre a universidade e o software de código aberto, bem como com a cultura livre.

Interrelações comunicativas em ambientes virtuais de aprendizagem

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Neusa Teresinha Bohnen

A modalidade de ensino a distância não chega a ser uma unanimidade, mas é inegável que, para muitos, representa uma das únicas opções para estudar. Neste sentido, a interação aparece como imperativo para que a apropriação do conhecimento gere transformação e para que professor e aluno sejam protagonistas da aprendizagem. Outro aspecto importante a ser considerado é a mediação, que supõe ajudar o aluno a adquirir estratégias para aprender mais, para resolver problemas autonomamente e enfrentar a vida numa sociedade sempre cambiante. Mas, de que maneira pode ocorrer a interação em ambientes virtuais de aprendizagem? Como deve agir o professor mediador em tais ambientes? Neste trabalho, vamos nos ater à produção e análise de textos narrativos, entendidos como um modo de estabelecer interrelações comunicativas. A opção por esse tipo de texto se deve a que o mapa da história da humanidade, em seus múltiplos aspectos, está desenhado pela narrativa.

Entre pontos e vírgulas... uma análise das vírgulas intercláusula e intracláusula

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Mônica Cristina Vital dos Santos

Pretendemos demonstrar o comportamento das vírgulas intercláusula e intracláusula a partir dos resultados da pesquisa realizada por Santos (2008), que teve como suporte teórico metodológico quanto à Fonética Acústica: Barbosa(1999,2006), Matte(2006) e Meirelles(2007) e a visão hjelmsleviana dos sinais de pontuação presente em Dahlet(2006).

Estratégias de linguagem em atendimentos via Call Center

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Renata Ferreira Rios

O presente estudo, que focaliza atendimentos de serviço via Call Centers, evidencia que a utilização de estratégias de impessoalização empregadas pelos atendentes, assim como os principais trabalhos de face direcionados à empresa e ao cliente atendem a objetivos como agilidade e impessoalidade, aspectos necessários a esse tipo de interação.

A linguagem sobre o conhecimento científico nos materiais impressos da EaD/UNITINS

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Kyldes Batista Vicente

Eli Pereira da Silva

Maria Lourdes F. G. Aires

As premissas de uma linguagem para o material impresso da EaD se baseiam na interação com o aluno; no despertar de seu interesse e na sua curiosidade; no estímulo do pensamento; na orientação do aluno na busca de suas próprias respostas, associando os saberes com que está trabalhando à sua realidade cotidiana. A priori, essa concepção deve partir dos seguintes pressupostos: todas as funções, no desenvolvimento do ser humano, aparecem, primeiro, no contexto social (interpessoal); depois, no nível individual (intrapessoal); a aprendizagem humana implica uma natureza social específica e um processo por meio do qual as pessoas penetram na vida intelectual dos que as cercam. A prática teórico-metodológica do material impresso, implantada pela plataforma da EaD-UNITINS, tem como princípio a teoria do desenvolvimento do indivíduo por meio de um processo sócio-histórico, mediado pelo uso da linguagem e da aprendizagem nesse desenvolvimento. Vygotsky, autor dessa teoria, assinala que o ponto-chave de seus estudos é a aquisição de conhecimentos pela interação do sujeito com o meio. A idéia de mediação, concebida por Vygotsky, diz que enquanto sujeito do conhecimento o homem não tem acesso direto aos objetos, mas acesso mediado, por meio de recortes, produzidos por sistemas simbólicos de que dispõe. A proposta é a da construção do saber mediado por diversas relações. Compreende-se o conhecimento não como uma ação do sujeito sobre o real, mas mediado por outros sujeitos. Essa investigação pretende discutir como o conhecimento científico é representado a partir da linguagem utilizada pela EaD. O signo é social e ideológico (Bakhtin 2002) e se constitui na trama social na e pela ideologia.

Interpretes de língua de sinais: uma ponte entre o professor de EaD e o aluno surdo.

Trilha: Linguagem e Tecnologia

sara chena centurión

Esta palestra tem como principal objetivo evidenciar a importância do Intérprete/tradutor de língua de sinais nas aulas à distancia como uma ponte que ajuda a mediar a interelação do professor na Educação à Distancia (EaD) e o aluno surdo. Conhece-se a realidade da educação/inclusão do aluno surdo e numa tentativa de acessibilizar estas oportunidades, a esta parcela da sociedade, se tem a ferramenta da EaD para a pluralização de conhecimentos. É nesta conjuntura que o intérprete/tradutor de Língua de Sinais entra como o OUTRO que media a dialética de ensino/aprendizagem destes alunos. Reconhecer a importância deste profissional e fazer possível a sua capacitação assim como o seu lugar certo na sociedade é compreender que o aluno surdo tem o direito e a necessidade de estudar e se promover na vida. Igualar estes direitos com a ajuda do intérprete/tradutor nas teleaulas é fundamental para a democratização do saber PARA TODOS (literalmete).

Projeto IngRede: desenvolvimento de leitura em inglês on-line

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Junia Braga

Caterina Blacher Picorelli

Gabriela Freitas de Paula

José Euríalo dos Reis

Marcos Racilan Andrade

Nereu Agnelo Cavalheiro

Oseas Bezerra Viana Júnior

Philipe Marcel

Ronaldo Corrêa Gomea Junior

A demanda por cursos voltados para o desenvolvimento da habilidade de leitura de textos em língua inglesa, especialmente textos técnicos, tem levado instituições de ensino superior a oferecer disciplinas de inglês instrumental. A utilização do Moodle que permite a concepção, administração e desenvolvimento de cursos à distância tem se destacado como ambiente modular com recursos interacionais capazes de auxiliar na promoção de oportunidades de construção de significado compartilhado. È neste contexto que o presente trabalho discute uma experiência educacional à distância com foco em leitura instrumental de inglês, implementada pela FALE e com o apoio do REUNI, para 900 alunos de diversos cursos da UFMG em 2008. O desenho pedagógico do curso, apoiado nos princípios básicos de comunidades de aprendizagem, abrange a construção colaborativa de glossários de termos técnicos assim como de bibliotecas colaborativas em fóruns, a criação de um centro de auto-acesso virtual para práticas de leituras voltadas para diferentes áreas de atuação dos alunos.

Il nuovo Salvalingua

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Mariana Cabral

La ricchezza della lingua italiana fa nascere molte incertezze sia per gli italiani sia per gli stranieri che stanno imparando questo bell`idioma. Anche l'evoluzione dell'uso dei termini e l'introduzione di parole straniere sono fonti di dubbi. È per risolvere queste difficoltà che Giuseppe Patota e Valeria Della Valle hanno scritto "Il nuovo Salvalingua", offrendo al lettore l'opportunità di capire le regole in un modo facile, evitando gli errori della lingua parlata e scritta. È un libro facile da consultare, pieno di esempi. Per la mia esposizione, ho scelto i punti che mi sembrano più critici.

Scrivere Meglio in Italiano

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Mario Terenzi

Nell’anno di 2007 è stato pubblicato in Italia un libro che tratta dei problemi più comune che gli italiani hanno colla sua propria lingua. Questo libro ha circa di 200 pagine e il mio obiettivo è parlare solo dei punti principali giacché il tempo per fare il seminario virtuale non è molto lungo. Il libro si chiama “L’italiano – Lezioni Semiserie” e è stato scritto da Beppe Severgnini, uno dei giornalisti più noti in Italia e all’estero e che ha scritto molti articoli nel giornale “Corriere della Sera”, per esempio. Severgnini affronta questo tema di una maniera divertente e leggera. Nel mio seminario vorrei presentare, in particolare, la quarta parte del libro, chiamata “Riabilitazione”, dove si parla di sedici semplici suggerimenti per scrivere meglio.

Coesione testuale

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Raquel Brandão Rodrigues Duarte

Affinché un messaggio diventi un testo, occorrono sette criteri di testualità: coesione, coerenza, intenzionalità, accettabilità, informatività, situazionalità e intertestualità. In questo seminario virtuale la mia intenzione è definire sia il concetto di coesione testuale sia l’insieme di meccanismi di cui un testo si serve per assicurare il collegamento tra le sue parti a livello superficiale. Le ripetizioni, le unità tempo aspettuali, le ellisi, i pronomi anaforici e cataforici, la parafrasi, i parallelismi, e i deittici sono fenomeni che verranno tratatti da me in questo seminario.

La scrittura tecnica: caratteristiche e produzione

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Evandro L.T. Paradela Cunha

Lo scopo di questo lavoro è presentare la "scrittura tecnica" (in inglese "technical writing"), cioè la scrittura utillizata prevalentemente nei campi della scienza, della tecnologia e delle pubbliche amministrazioni e che ha l´obiettivo di fornire in maniera chiara delle informazioni fondamentali a un determinato pubblico. In primo luogo, sarà presentata la storia del testo tecnico, in modo a far notare i contesti storici che l´hanno tornato necessario all´essere umano. In seguito, saranno evidenziate le sue principali caratteristiche e, infine, i modi per produrre della scrittura tecnica con più qualità. Dopo la presentazione di questo lavoro, si spera che gli studenti siano capaci tanto di identificare un testo di questo genere quanto di, se necessario, scriverne uno secondo le regole della scrittura tecnica

Riformulare un testo

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Mariana Nunes Moreira

Il manuale di Franceso Bruni intende fornire indicazioni utili per la scrittura in quanto parte del lavoro professionale o scolastico. L’ autore vuole richiamare l’attenzione su alcuni procedimenti necessari per una padronanza della scrittura stessa. Dunque, ho scelto un capitolo per la nostra discussione in cui Bruni parla di come si può riformulare un testo, spiegando il concetto di parafrasi, appunti, schede e riassunto. Questo mi pare importante perché alla facoltà noi produciamo molto testi così, e di solito gli studenti non sanno come farlo. Sarà anche un'opportunità di vedere come questo ci può aiutare nella pratica della scrittura in italiano.

Un breve paragone tra l

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Alessandra Deusdete de Jesus

Nel seminario farò un paragone tra l'uso dei verbi in italiano e in portoghese una volta che in queste lingue ci sono, in alcuni casi, tempi verbali che sono diversi e molte volte è difficile capire questo uso. In questo senso penso che sia difficile fare una buona produzione scritta. A causa di questo penso che il mio lavoro aiuterà le persone nell'uso di questi tempi verbali.

Deissi e anafore - sistemazione

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Renan Ribeiro Xavier

L'obiettivo della mia presentazione è quello di sistemare la deissi e l'anafora. Durante la presentazione saranno sviluppati temi come i concetti, i tipi di deissi e anafore e le loro caratteristiche. Elementi fondamentali della linguistica testuale, la deissi e l'anafora sono sempre un problema nella produzione testuale. Per noi brasiliani è difficile parlare, per esempio, tanti pronomi anaforici naturalmente come gli italiani li usano e ci sono anche pronomi e termini che non esistono in portoghese e che dobbiamo impararli di modo "artificiale". Lo scopo qui non sarà quello di fare un dibattito sulla coerenza e coesione testuale, ma sì quello di dimostrare attraverso esempi come loro appariscono nel testo e come è possibile farne una classificazione.

Prima di scrivere, pensare in italiano

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Felipe Augusto Ribeiro

Le attività di scrivere, parlare e capire qualche altro idioma straniero non si separa della prima attività mentale che facciamo per comunicarci: pensare. Secondo me, possiamo notare differenze importanti tra il modo di pensare in portoghese" e il modo di "pensare in italiano\", che sono decisive nella costruzione del nostro discorso, orale e scritto. Quando dico "pensare" dico di organizzare le nostre idee. La mia proposta per questo seminario è parlare di un punto particolare di questo tema: la collocazione pronominale nella lingua italiana, che è troppo diversa di quella che troviamo nel portoghese. Ci sono forme diverse di articolare le frasi, di ordinare le orazioni, di usare i pronomi, che mostrano come abbiamo mezzi diversi di pensare e costruire un discorso.

Origine dei modi di dire, delle locuzioni proverbiali, di tante frase dell

Trilha: Linguagem e Tecnologia

Blenda Augusta Ribeiro Viola

Nel mio seminario voglio presentare il lavoro di Dino Provenzal (1877 – 1972), scrittore e saggista italiano, su un'appunto per-soddisfare una curiosità tanto legittima quanto comune: quella che si riferisce ai modi di dire. Lui ha raccolto un gruzzolo di locuzioni popolari, di massime, di modi proverbiali e di parole che hanno una origine interessante e curiosa. "Tutto ciò con spiegazioni alla buona, alla portata di tutti, col solo intento di essere semplici e chiaro". Dopo la presentazione vorrei discutere quest'usi e fare la valutazione, d'accordo con la scolarità di chi parla l'italiano e, forse, d'accordo con la formalità del contesto di dove si trovano.

Elaborando textos científicos no e-fórum educacional

Trilha: Produção Textual no computador

Carla Poennia Gadelha Soares

Neste trabalho investigamos a utilização do e-fórum educacional como mais uma alternativa de interação na disciplina Leitura e Produção de Textos Acadêmicos (LPTA), ministrada no ano de 2008, na graduação em Letras da UFC. Com base nisso, nosso trabalho se orienta pela seguinte questão: como a interação no gênero digital e-fórum educacional influencia na aprendizagem da produção de textos acadêmicos?

A leitura da Veja on line: o impacto do ambiente virtual sobre a construção de sentidos

Trilha: Jornalismo na Internet

Gustavo Ximenes Cunha

O objetivo dessa comunicação é mostrar que as edições de Veja disponíveis no site da revista não constituem uma simples transposição das edições impressas. A comparação entre uma edição impressa com essa mesma edição, disponível no site da revista, evidenciou especificidades da edição virtual que denunciam o grau de importância que se deve atribuir às matérias publicadas e que, consequentemente, explicitam um posicionamento político.

Considerações sobre o jornalismo na internet

Trilha: Jornalismo na Internet

Débora Amaral

Adriane Bueno de Jesus

Acredita-se numa crise do jornalismo impresso, devido ao jornalismo na Internet. Há semelhanças entre o layout dos sites jornalísticos e as publicações impressas. A página inicial do Jornal Super on-line é um exemplo. A Internet promove um novo desenvolvimento do jornalismo: os blogs possuem via de acesso fácil, gratuidade, democracia.

Biblioteca escolar On-Line: do papel a multimídia

Trilha: Blogs e Wikis

Joseane Oliveira dos Santos

O primeiro momento acontece de forma lúdica onde os alunos assistem a hora do conto sempre apresentada com algum recurso, após essa atividade a história é publicada no blog da biblioteca, essa publicação sempre é vinculada a um desafio, onde os alunos são convidados a participar da história, transformado os seus pensamentos para a linguagem escrita, passando assim de expectadores para autores.

Software Livre em Ambientes Virtuais de Aprendizagem mediando a interação tutor-aluno no processo de ensino-aprendizagem

Trilha: Ensino na Internet

Cleber Marques de Oliveira

A interação professor-aluno em ambientes virtuais de aprendizagem não depende apenas de fatores psicosociais ou pedagógicos, inclui-se também a escolha da ferramenta tecnológica correta,como é o caso do software.

O potencial da Web 2.0 e suas possibilidades para o ensino de língua estrangeira: apresentando o podcasting, wikis e a rede social NING

Trilha: Ensino na Internet

Vanessa C.Rodrigues Bohn

Atualmente, os professores de língua estrangeira estão cercados por alunos que se comunicam com seus amigos usando Blogs,navegam em sites de relacionamento (Orkut), compartilham vídeos, ouvem músicas pela Internet e trocam informações e idéias com outras pessoas através de sites conhecidos como Wikis.Tanto os professores quanto os alunos contam com uma imensa quantidade de material e recursos disponíveis na Web. Este trabalho tem como objetivo apresentar e analisar os novos recursos oferecidos pela Segunda Geração da Web conhecida como Web 2.0. Essas ferramentas, tais como Wikis, Podcasts, e redes sociais possuem uma das características fundamentais no ensino da língua estrangeira: a colaboração entre os seus participantes. A maneira como os usuários trocam informações acontece dentro de um ambiente virtual interativo, e essas novas tecnologias podem contribuir significativamente para o ensino da língua estrangeira, transformando o aluno em um colaborador e produtor ativo em sua própria aprendizagem.

As práticas de CALL no meio virtual do século XXI

Trilha: Ensino na Internet

Helen De Oliveira Faria

O presente trabalho se concentra nas práticas pedagógicas de ensino/aprendizagem de línguas no meio virtual através dos recursos da Internet. Pretende-se analisar trabalhos desenvolvidos a partir dessa temática apresentando o contexto no qual a aprendizagem se insere, as interações que levam à aprendizagem e as ferramentas utilizadas em sua condução. Por fim, serão apresentadas pesquisas de um estudo específico sobre a aprendizagem de língua inglesa através do Orkut conduzida por Faria (2009).

Importancia del feedback automático como apoyo al aprendizaje en el Moodle

Trilha: Ensino na Internet

Gonzalo Abio

Proporcionar feedback inmediato es una de las premisas para la calidad de un curso a distancia. Mostraremos las posibilidades e importancia del feedback automático que puede ser fácilmente configurado por los autores de cursos en el Moodle, a través de los resultados obtenidos con alumnos de la UAB-UFAL en un cuestionario aplicado con feedback automático que fue entendido como positivo y útil para el aprendizaje de conceptos de difícil comprensión.

Ambientes virtuais de aprendizagem (AVA): para um estudo do ensino e aprendizagem no ensino médio das escolas públicas de Palmas - TO

Trilha: Ensino na Internet

Darlene Teixeira Castro

Kyldes Batista Vicente

A criação e o uso de ambientes virtuais de aprendizagem – AVA - tem crescido muito no Brasil nesses últimos anos e tem sido cada vez mais utilizadas ferramentas como chats, lista de discussão, fóruns, entre outros. Uma das principais características dos AVA é a possibilidade do usuário criar produtos de autoria. Com isso, é interessante analisar como os alunos estão utilizando esses recursos para que o ensino e a aprendizagem auxiliem na construção do conhecimento. Por meio da pesquisa, pretendeu-se aprofundar o uso e a aplicação dos AVA, avaliando o processo de aprendizagem dos alunos, a partir da utilização dos ambientes na educação tecnológica. Percebe-se que a mediação ocorre mais facilmente quando integramos as Tecnologias de Informação e Comunicação nas atividades desses alunos, não ignorando o seu potencial pedagógico. Para tal, o trabalho tem como objetivo estudar os mecanismos desenvolvidos pelos AVA para a melhoria dos processos de aprendizagem dos alunos. O trabalho foi desenvolvido a partir de referenciais teóricos relacionados ao tema e, a partir do estudo, teve-se a oportunidade de se buscar entender, na teoria, como os ambientes virtuais de aprendizagem interferem na assimilação e aprendizagem dos alunos nas escolas. Assim, foi possível entender um pouco sobre como os professores utilizam os recursos tecnológicos e como os alunos participam desse processo de aquisição do conhecimento. O projeto foi executado com entrevistas semi-estruturadas e questionário aplicado com alunos e professores do CEM da Escola Santa Rita de Cássia em Palmas, que servirá de embasamento para a finalização da pesquisa.

Una reflexión e-learning

Trilha: Ensino na Internet

Cristiane Tavares Jordão de Vasconcelos

Póvoa (2000), afirma que el avance y la diseminación de las tecnologías de información y comunicación han creado nuevas formas de convivir, nuevos textos, nuevas lecturas y nuevas maneras de interactuar en el ciberespacio. Así, nuevos paradigmas educacionales surgieron y nuevas cuestiones empezaron a crear necesidades de respuesta. Los educadores envueltos en los cursos a distancia en plataformas e- learning se preguntan: ¿Cómo integrar esa nueva manera de pensar en el ciberespacio al desarrollo de los nuevos saberes y conocimientos necesarios a los alumnos/aprendientes?

O ensino mediado pelo computador

Trilha: Ensino na Internet

Sylvia Furtado Félix

O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma abordagem inicial sobre o ensino mediado pelo computador, baseada na visão interacionista de Vygotsky. Além disso, como apoio teórico,alguns artigos de Vilson Leffa, que tem se dedicado a essa área há alguns anos e a dissertação de mestrado de Marcus Fontana, criador de um curso de espanhol para deficientes visuais via web.

Integração de recursos on-line ao ambiente virtual de aprendizagem Moodle

Trilha: Ensino na Internet

Vanessa Dos Santos Nogueira

Efetivar a construção do conhecimento de forma colaborativa, tornando presente o processo de ensino-aprendizagem na educação a distância, essa é a busca de quem trabalha com EAD hoje, temos acesso a muita informação, transformar essas informações em material diádico que proporcione reflexão, onde professores e alunos estabeleçam uma relação com a sua realidade é o nosso grande desafio. O ambiente virtual de aprendizagem Moodle oferece muitas possibilidades de comunicação, mas além disso essa plataforma aceita a integração de recursos on-line, com essa possibilidade podemos transformar o conteúdo estático em hipermídias. Áudio, vídeo, interação, movimento e cores... como integrar esses recursos ao Moodle de forma simples e sem custo? Alguns exemplos: Picturetrail: Site que permite a criação de animação com fotos e imagens, é necessário somente um cadastro, ao final da criação é gerado um código para que essa animação seja publicada. Woki: Avatar animado, possibilita que você grave a mensagem de áudio no seu computador, podendo inclusive editar ela no por exemplo no Audacity (Software livre para edição de áudio), depois é só escolher o personagem que vai falar a sua mensagem. Youtube: Você pode criar os seus próprios vídeos ou utilizar os vídeos disponíveis, de acordo com o conteúdo a ser trabalhado. Hot Potatoes: Software de autoria, utilizado para criar diversos exercícios. Essas são algumas possibilidades de integração de recursos on-line utilizadas na disciplina de TIC's Aplicadas a Educação do curso de Pedagogia a distância da UFSM.

Ejercicio profesional del docente de lengua española en EAD

Trilha: Ensino na Internet

Patrícia Roberta de Almeida Castro Machado

Este trabajo forma parte del desarrollo de una investigación en curso que, por su vez, resultará en una tesis doctoral. Como objetivos, se espera establecer una reflexión sobre las prácticas profesionales de un equipo de profesores que trabaja con la enseñanza y el aprendizaje de la Lengua Española (LE), a través del sistema de Educación a Distancia (EAD). Se propone, por lo tanto, observar y analisar las competencias que estos profesionales presentam, o deberían presentar, durante sus actividades. Además de buscar comprender el funcionamiento de ese sistema relacionado a la enseñanza de la LE, teniendo como parámetros la visión de los propios profesores que actuan en ese contexto. Las bases metodológicas de esa investigación siguen los pasos de una investigación acción con observación participante, es decir, como la investigadora forma parte del equipo antes mencionado, uno de los retos establecidos es investigar el propio contexto de actuación en búsqueda de mejoras y cambios necesarios que el proceso resultante de la investigación pueda presentar. Sin embargo, es importante decir que, con esa investigación, no se pretende dar la solución para los problemas que puedan ser detectados durante los estudios, pero comenzar un proceso que tenga como propósito y, de hecho, ponga en práctica transformaciones que busquen mayor calidad en los procesos de enseñanza y aprendizaje de la LE en EAD.

Os gêneros textuais em propostas de ensino de discentes (UFPA) por meio de WebQuests

Trilha: Ensino na Internet

Herodoto Ezequiel Fonseca da Silva

A Internet vem cada vez mais tomando espaço nos variados ambientes da sociedade contemporânea e auxiliando de forma inquestionável na obtenção de informações pelos sujeitos históricos. Assim sendo, a Internet pode auxiliar também na construção do conhecimento por parte de alunos e professores, efetivando-se por meio da busca orientada e catalisando a produção de gêneros orais e escritos. Dessa forma, o presente trabalho tem como objetivo perceber o trabalho com gêneros textuais por meio de WebQuests produzidas por professores em formação do curso de Letras da UFPA. Para tanto, o referido trabalho terá como alicerce as contribuições teóricas de Bakhtin acerca dos gêneros do discurso, as exposições teóricas e metodológicas do Grupo de Genebra no que concerne à noção de gêneros como mega-instrumentos de ensino-aprendizagem de língua e as contribuições teóricas a respeito do uso orientado da Internet para o ensino-aprendizagem de língua.

Le tecniche di scrivere e la Web come spazio di scritture multiple

Trilha: Ensino na Internet

Roberta Torres Trajano

"Scrivere in italiano" è un testo che parla della scrittura sulla web e il non rispetto alle regole grammaticali. "Tecnica della comunicazione scritta" ci presenta in 6 capitoli alcuni procedimenti per la tecnica della scrittura, i diversi tipi di scrittura e la motivazione (il perché scrivere). Durante il seminario cercherò di esporre alcune delle idee principali di ogni testo e di fare un relazione con lo spazio della web (la scrittura nei blog, la scrittura sul messenger e la e-mail) riflettendo su ogni spazio come luogo che serve a un proposito specifico o particolare, e che ha uno scopo diverso uno dall'altro.

Vantaggi e svantaggi dell\'uso delle nuove tecnologie nella produzione scritta

Trilha: Ensino na Internet

Maryelle Cordeiro

Nel mio seminario voglio presentare e discutere un po' quali sono i vantaggi e gli svantaggi di usare le nuove tecnologie nell'apprendimento della lingua straniera, badando principalmente all'apprendimento di lingua scritta. Sicuramente possiamo numerare tantissimi vantaggi, però, purtroppo ci sono tantissimi svantaggi. Quali sono le situazioni in cui si consiglia l'uso del coniugatore? E del correttore? Bisogna avere un livello di lingua perché l'uso sia efficace e produttivo e non un ostacolo all'apprendimento? E il traduttore automatico, che molto spesso è visto in maniera non affidabile, può essere a volte efficiente o solo impedisce il processo di apprendimento? Quali sarebbero le conseguenze nell'apprendimento di lingua scritta?

Le nuove tecnologie ed il processo di scrittura

Trilha: Ensino na Internet

Patrícia Alves

Lo sviluppo delle nuove tecnologie nel giro degli ultimi anni ha permesso una grande evoluzione nell’ambito educazionale. L’internet, fonte inesauribile di informazione e risorse offre ai docenti innumerevoli attrezzi all’insegnamento dell’italiano per stranieri. Il cyberspazio porta una quantità considerevole di nuovi generi: le chat (comunicazione scritta istantanea fra due o più persone), la wikipedia (documento collaborativo che si può editare), il podcast (archivio di suoni), il foro di discussione (spazio virtuale per la pratica discorsiva ), il flickr (foto e comunità), il weblog (pagina web che permette commenti, video ed audio ) ed altri. L’obbiettivo di questo lavoro sarà fare una descrizione di alcune risorse didattiche, parlare un po' sulla mia esperienza e su alcune strategie che possono essere sviluppate nel processo di scrittura elettronica in lingua italiana.

Il Blog: nuove possibilità di scrivere

Trilha: Ensino na Internet

Lucas Goulart

Il blog è attualmente uno dei più interessanti veicoli di trasmissione di idee al quale possiamo accedere per stare in contatto diretto com quello che pensano altre persone su temi di interesse proprio o generale. Nel mio seminario virtuale ho l’intenzione di parlare su questo veicolo che è ancora per molti una novità ma che esiste già dal 1997 e ha aiutato a creare una nuova maniera di espressione scritta più creativa e libera, una volta che qualcuno può istituire gratuitamente il suo proprio sito per veicolare le proprie idee e può utilizzare la forma che gli pare migliore senza essere necessariamente legato stilisticamente ai parametri dei veicoli di massa esistenti.

Ekaaty Linux: Educacional

Trilha: Comunidades Virtuais

Christian Tosta

Cristiano Furtado

Apresentação do projeto

A palestra tem o intuito de demonstrar a nossa proposta do ekaaty linux para o meio educacional, visando incluir no mercado a distro como uma referência única em nosso pais.

Desenvolvimento colaborativo de pesquisas em meio virtual: um estudo de caso

Trilha: Comunidades Virtuais

Sonia Zyngier

Vander Viana

Raquel de Castro

Juliana Jandre

Fortunadamente, a época em que se discutia a implementação de computadores nas universidades já faz parte do passado (cf. Andersen, 1984). No entanto, a democratização da informática e o acesso a computadores têm trazido novas questões ao ambiente educacional, como aponta De Smedt (1999). A mudança ainda parece, de certa forma, tímida quando se considera a produção de conhecimento e a formação de pesquisadores na área de Humanas, especialmente em Letras. A presente proposta visa à apresentação e discussão de um estudo de caso no qual pesquisadores (formados e em formação) interagem por meio de uma plataforma on-line. Nas palavras de Ellis et al. (1991), estes grupos podem ser entendidos como uma comunidade de aprendizado colaborativo on-line (CACO), diferindo dos grupos de pesquisa baseados em contatos presencial. A CACO em foco nessa pesquisa contempla participantes de quatro países, a saber, Alemanha, Brasil, Canadá e Ucrânia. Toda a interação entre os participantes ocorre a distância por meio de um fórum de discussão no qual pesquisas de cunho intercultural surgem e se desenvolvem de modo colaborativo. Em última análise, o grupo em tela tem como objetivo geral fomentar o desenvolvimento mútuo de seus integrantes. Os resultados em termos quantitativos e qualitativos apontam para o sucesso do modelo, indicando que o uso da ferramenta computacional pode ir muito além do que a prática tradicional parece sugerir.

Software Livre - Como chegamos até aqui

Trilha: Cultura Livre

Cárlisson Galdino

O Software Livre nasceu como um movimento social na década de 1980. Hoje, graças ao Software Livre, muitas coisas mudaram no mundo da informática. Este é um apanhado histórico desde o surgimento do Software Livre até uma visão geral dos dias de hoje.

O Projeto Cultura Livre e Suas Conexões

Trilha: Cultura Livre

Caroline Konzen Castro

Flávia Almeida Vieira Resende

Philipe Marcel

Compartilhar cultura e proporcionar inclusão social são requisitos que o Projeto Cultura Livre procura refletir e realizar em busca de uma possível acessibilidade cultural para todos. Tomando essa complexidade como referencia, pretendemos com o desenvolvimento deste trabalho mostrar o que é o Projeto Cultura Livre e como ele pode dar vozes aos diferentes sujeitos sociais e culturais. Para isso utilizaremos como exemplos a atuação do Programa de Dança Experimental da UFMG e de grupos que fazem apresentações performáticas de rua gratuitamente.

Vigilância & controle versus autonomia e emancipação. Elementos para uma antropológica do Googleearth

Trilha: Cultura Livre

Claudio Cardoso de Paiva

A idéia básica é mapear elementos para entender as formas de participação da sociedade civil nos processos de decisão pública, observando a experiência comunicacional liberada pelo Google Earth. Para isso nos guarnecemos das leituras de pesquisadores como Virilio (Velocidade e Política), Baudrillard (Simulacros e Simulação), Muniz Sodré (Antropológica do Espelho), André Lemos (Tecnologia e vida social), Pierre Lévy (Cibercultura), Santaella (Linguagens Líquidas), além da obra de Bachelard, que nos apresenta elementos para uma antropológica do ciberespaço.

A intertextualidade, o dialogismo e os vazios nas canções de Caetano Veloso

Trilha: Cultura Livre

Liliane Scarpin S. Storniolo

À referência implícita ou explícita de um texto a outros textos, dá-se o nome de intertextualidade.Um texto é a voz que dialoga com outros textos, mas também funciona como eco das vozes de seu tempo, da história de um grupo social, de seus valores, suas crenças, preconceitos, medos e esperanças e isso não poderia ser mais claro do que nas canções de Caetano Veloso. Durante a análise dos textos das canções de caetano Veloso encontraremos muitos vazios que deverão ser preenchidos pelo interlocutor com seu conhecimento de mundo (cosmovisão).

A sociedade do Espetáculo

Trilha: Cultura Livre

Silvana Lovera Silva

Comentários sobre a teoria da "Sociedade do Espetáculo", de Guy Debord. Considerações sobre a cultura de massa, sobre o tempo, como utilizamos o tempo, sobre nossa identidade cultural e pessoal no mundo da tecnologia.

A cultura popular de Minas Gerais em tempo de cibercultura

Trilha: Cultura Livre

Flavia Freitas Pena

Juliana Gomes Veiga

A cibercultura, importante tema da atualidade, retrata as relações da sociedade contemporânea com as tecnologias digitais que estão ao seu alcance. Focalizando uma parcela menor dessa sociedade, o que pretendemos aqui é levantar questões sobre a inclusão da cultura popular de Minas Gerais na era digital, mais especificamente na internet.

Colaboração e conflito nos verbetes da Wikipédia

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Paulo Henrique Souto Maior Serrano

Inicialmente será apresentado a dinâmica de funcionamento da Wikipédia relacionando-a com o meu projeto. Apresentarei alguns conceitos de semiótica que serão usados na análise do meu objeto e alguns exemplos de sua aplicação na Wikipédia.

Prática pedagógica em ambiente digital: a metodologia em foco

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Daniervelin Renata Marques Pereira

A escolha do corpus e o método de sua análise são imprescindíveis para definir os resultados de uma pesquisa e para a negação ou afirmação das hipóteses iniciais. De posse dos dados, resta analisar pela metodologia escolhida. No entanto, esse método muitas vezes se demonstra insuficiente ou inadequado e a prática da análise mostra outros caminhos. Essa apresentação pretende ser um relato e, ao mesmo tempo, uma reflexão de como uma pesquisa sobre a prática pedagógica em ambiente digital teve seu método construído no passo-a-passo da análise. Nesse contexto, tornam-se relevantes questões como as peculiaridades dos objetos de pesquisa que precisam ser “ouvidos” para garantir a adequação das escolhas e não sua imposição. Por fim, será apresentada uma reflexão de características do objeto da pesquisa, sobre interferências do seu contexto tecnológico e como o método escolhido prevê isso.

A Emoção na Dança-Teatro através da relação entre os planos do conteúdo e da expressão

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Caroline Konzen Castro

Isabel Coimbra Vieira Diniz

Partindo da possibilidade de uma análise semi-simbólica da dança-teatro por meio da associação entre categorias dos planos do conteúdo e da expressão, este trabalho pretende esclarecer como a dança-teatro pode ser concebida como representante de um sistema semiótico através da expressão do conteúdo potencializado no ator-bailarino em forma de emoção. Para isso a pesquisa utilizará como base a teoria da semiótica francesa e as experiencias e ensinamentos adquiridos no I Encontro Nacional de Dança-Teatro.

A Paixão Amizade no Orkut

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Woodson Fiorini de Carvalho

Analisarei alguns textos postados em uma ou mais comunidades e perfis do Orkut a fim de avaliar que configurações discursivas a paixão Amizade adquire no meio virtual, a fim de produzir um efeito que denomino “de intimidade”, ou seja, um efeito que o locutor/narrador aparenta ao seu alocutário / narratário de que ele possui o aval do grupo para se mostrar intimo, alguém que possui um acesso privilegiado, em seu meio, à intimidade dos demais. A expressão dessa intimidade que denota o rótulo (conteúdo) amizade pode se dar de diversas formas, dependendo do grupo social em que essa amizade coletivizada é estabelecida. Irei avaliar grupos pretendem se conhecer no meio virtual a partir de códigos pré-concebidos em comum no meio virtual, no Orkut, onde irão buscar a motivação para se encontrar e estabelecer os laços de amizade. Assim, a pergunta fundamental dessa pesquisa é entender como essas comunidades “artificialmente” estabelecidas irão agenciar o conteúdo amizade. A expressão dessa amizade no Orkut é produzida, essencialmente, pelo meio escrito, adornado por fotografias e elementos gráficos que compõem a mensagem como em uma “agenda de meninas adolescentes” ou de revistas de coluna social, como a “Caras”. No Orkut, essa amizade é uma representação daquilo que supomos ser essa entidade semi-simbólica: a amizade. É uma amizade que se configura como um programa de desenhar para criança, em que os elementos gráficos estão, de certa forma, pré-estabelecidos e pré-moldados, bastando ao usuário colar os elementos na tela de acordo com um esquema de composição pré-customizados e controlado pelo programa. O conteúdo é, então, regulado por uma espacialidade pré-distribuída e submetida a uma receita canônica de “como fazer amizades”, na certeza eufórica de que elas acontecerão inexoravelmente por meio desse mecanismo.

Prosódia, perlocução e emoções: uma análise dos efeitos perlocucionais do ponto de vista acústico

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Maíra Avelar Miranda

Neste trabalho, faremos uma análise acústica das emoções. Para tanto, correlacionaremos a prosódia e a Teoria dos Atos de Fala, procurando observar como a prosódia orienta valores patêmicos, não apenas no plano locucional, mas também no plano ilocucional e, sobretudo, no plano perlocucional. Foram selecionados oito trechos, pertencentes a duas emissões televisivas do talk-show "Casos de família". Do ponto de vista metodológico, faremos, primeiramente, a individuação das ilocuções tal como proposto por Cresti e Moneglia (2005) e, em seguida, faremos uma grade de análise de tais ilocuções, conforme os parâmetros básicos da TAF contemplando os aspectos que compõem uma força ilocucional (ponto, modo, condições de conteúdo proposicional, condições preparatórias e condições de sinceridade) e os efeitos perlocucionais que podem ser inferidos. Para tanto, utilizaremos a grade proposta por Mari (2008b). Faremos, então, uma análise das variáveis prosódicas (F0, duração e intensidade)por meio da utilização do software Winpitch, na tentativa de descrever os componentes acústicos de cada um dos efeitos patêmicos surgidos nos relatos. Finalmente, buscaremos traçar as regularidades e diferenças acústicas dos efeitos patêmicos descritos.

Inter-relações entre as curvas entoacionais e os movimentos: um estudo de caso de uma teleaula

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Maristela de Souza Borba

Este estudo de caso parte da idéia de que a linguagem é tanto verbal como corporal (Bordon, 2002; Matte, 2008). Por isso, tem como objeto de estudo as manifestações dos planos da expressão e do conteúdo surgidas em uma teleaula de um curso de Letras a distância no Brasil, ou seja, investigam-se as curvas entoacionais da fala para compará-las aos movimentos corporais em busca de inter-relações. Os dados são coletados na gravação dessa teleaula já realizada sem esse fim, portanto, ambiente natural. Há transcrições do discurso oral, depois transcrições fonéticas que demonstram os padrões silábicos e também os padrões entoacionais surgidos. Na sequência, comparam-se as entoações e os movimentos. A análise dos dados é descritiva-interpretativa. No entanto, análises quantitativas podem ser feitas se complementarem a visão qualitativa. Espera-se propiciar olhares que contribuam para uma melhor compreensão das categorizações que emergiram e o porquê dos dados.

Uma abordagem semiofonoestilística da fala do Jornal Nacional

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Conrado Moreira Mendes

Nesta palestra, apresentaremos alguns resultados de uma pesquisa realizada no âmbito da semiofonoestilística, recente campo de estudos que articula a semiótica de linha francesa e a acústica e tecnologia da fala, por meio de pesquisa interdisciplinar. O objeto de análise foi a fala, ou seja, conteúdo e expressão, do principal telejornal brasileiro, o Jornal Nacional. A semiofonoestilística remonta ao trabalho de Matte (2002, 2004, 2008), a partir de cujos precedentes desenvolveu-se dita investigação. Estruturamos a apresentação da seguinte maneira: primeiramente discorreremos sobre aspectos metodológicos do trabalho, para depois expor resultados tanto os obtidos no âmbito da fonética acústica (expressão), como aqueles, por meio da semiótica de bases greimasianas (conteúdo). Finalmente, mostraremos de que maneira se deu a articulação entre dados fonéticos e semióticos e os resultados obtidos a partir dessa correlação, ou seja, a relação entre plano do conteúdo com o plano da expressão. Nossas análises apontam para resultados inéditos em análises estatisticamente significantes corroborando, desse modo, a proficuidade do campo de estudos.

The effectiveness of different models, activities, and processes in ongoing professional development in relation to teachers

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Analucy

As teacher of the English language with about thirteen years of experience teaching English as Foreign Language (EFL), it is a very significant challenge to explore this little researched area in SLTE. Having witnessed some of the challenging situations that numerous Latin American teachers of English face daily in their classes in some countries of Latin America including Brazil, particularly in Palmas, Tocantins state, where the great majority of them (85% according to survey done by the Brazilian Ministry of Education) are with low level of English proficiency, I was urged to consider focussing, if their English profficiency level influences their students at various levels of instruction, as well as, on the growth and development of these teachers

Alimentação de um banco de dados, via corpora AC/CD:corpus NILC/São Carlos, com palavras cujas vogais médias estão presentes em posição tônica

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Adelma Lucia de Olveira Silva Araújo

Ana Cristina Fricke Matte

Resumo: O objetivo desta trabalho é apresentar como alguns recursos da rede mundial de computadores foram utilizados em uma pesquisa sobre vogais médias desenvolvida pelo grupo SETFON- algoritmo para produção e organização de semioetiquetas fonológicas da UFMG. Inicialmente, apresentaremos o projeto AC/DC: corpo NILC/São Carlos e do CETEN/FOLHA cujo acervo de dados estão disponívies online à todos aqueles que desenvolvem pesquisas relacionadas à língua portuguesa. A seguir, detalharemos a etapas na busca de corpora do português online, a escolha do corpus pretendido, a seleção da amostra e, finalmente, a transcrição dos dados seguindo a conversão letra-fonema adotado por Albano (2007).

Busca orientada na internet:uma alternativa para a pesquisa Escolar

Trilha: Projetos e metodos de pesquisa Ling. Tec

Márcio Oliveiros Alves da Silva

O trabalho em questão versa acerca de uma pesquisa de ensino, fomentado pelo Convênio entre UFPA e SEDUC/PA, a partir de uma concepção de procedimento de ensino de língua materna por meio das Webquest. Uma experiência em andamento na Escola Estadual Par de Carvalho, local em que os dados são levantados via uma análise de contexto dos aprendizes para efetivar a produção de atividades de ensino-aprendizagem de Língua Materna por meio da referida concepção. E a apresenta já alguns resultados como a parceria entre Escola e Universidade, o Trabalho Profissional do Docente e Impulsão na formação Inicial dos Professores nao trabalho da Pesquisa.

Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creativecommons88x31.png

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Based on a work at Texto Livre: IV EVIDOSOL/I CILTEC-online.