Exercicios de Portugues/Crase

De Wiki do texto Livre

Link para o Exercício

Liste aqui as frases-problema

  • Eles chegaram à terra > a opção é eceitável, mas está incorreto o uso de crase segundo as gramáticas.
  • Vendo à vista > Alguns gramáticos dispensam a crase e outros a consideram importante.
  • Fui lá à tarde > Daria para considerar certa a opção: "Fui lá na tarde"? Ou é exceção? >>> poderia ser "durante a"???
  • Só estudos às vezes > Deve aparecer na lista de exceções.
  • Eu devo obedecer às pessoas mais velhas > Não cabe nem com "na" nem com "para". >>> poderia ser "a essas"???
  • João saiu às pressas: a crase tá certa, mas não cabe nem "na" e nem "para".
  • Pedro está na cidade à negócios: A frase "Pedro está na cidade para negógios" é aceitável, mas a crase está errada.
  • Trouxe-lhes coquetel à baiana. > Mesmo a crase estando correta,as duas respostas dadas pelo teste "Trouxe-lhes coquetel para a baiana." e "Trouxe-lhes coquetel na baiana." ?, não cabem e, por isso, não foi aceita pelo teste. Testei outras frases do tipo "à moda de" e parece q não consta nas regras do teste esse caso.
  • Segundo um macete muito usado, podemos verificar o uso de crase assim: "Vou a Porto Alegre". Sem crase, pois "Venho de Porto Alegre". "Vou à Bahia". Com crase, pois "Venho da Bahia".
  • Regra: Nos adjuntos adverbiais de modo, de lugar e de tempo femininos, ocorre crase.

Ex. à tarde, à noite, às pressas, às escondidas, às escuras, às tontas, à direita, à esquerda, à vontade, à revelia...

  • Regra: Nas locuções prepositivas e conjuntivas femininas ocorre crase.

Ex. à maneira de, à moda de, às custas de, à procura de, à espera de, à medida que, à proporção que...

Comentários, críticas e sugestões

  • Site sobre o uso da crase: interessante, pois interage com o usuário estimulando-o a pensar sobre o uso da crase e tirar suas próprias conclusões, promovendo a construção do conhecimento. Ao digitar a frase contendo o possível uso da crase, o usuário recebe como retorno, as possibilidades existentes e mais um texto complementar para reflexão ajudando-o a elaborar suas conclusões. Ao digitarmos uma frase incorreta, o programa não nos dá suporte suficientemente claro quanto a quais procedimentos devam ser tomados. Um usuário com conhecimento mais elaborado da língua terá mais facilidade em manuseá-lo. (Adriana Diniz, Marina Gontijo e Raquel Mesquita)
  • No site http://www.textolivre.org/teste/crase/crase.php, não deve ser mudada a oferta de artifícios para saber se ocorre ou não o fenômeno da crase. Porém, seria útil o acréscimo da regra gramatical porque mesmo o artifício poderá não ser suficiente para o aluno dirimir sua dúvida: ele pode não dispor de criatividade para operar o artifício. E, além disso, seria uma oportunidade de ensinar a norma culta. Desejável, ainda, que houvesse a correção ortográfica de forma clara, apresentando o texto digitado escrito com ou sem a crase de acordo com a regra. (Andréa Marques de Azevedo Couto e Vera Lúcia Siqueira Xavier)
  • No primeiro site - Exercícios de Crase, pede-se para colocar a crase na frase - porém não encontra-se nenhuma frase para ser acentuada. (Andréia Narcisa)
  • O software que desenvolve um trabalho como o uso da crase tenta auxiliar as pessoas quanto à aplicação da crase em algumas frases. É simples de ser usado, pois basta digitar a frase ou expressão que possa ter a aplicação de uma crase que o programa logo em seguida mostra opções de respostas. Na verdade, o programa não dá uma resposta exata para a questão levantada, apenas mostra as possibilidades em que a crase pode ser utilizada. Cabe a pessoa avaliar o contexto em que está querendo usar e aplicar ou não. Seria interessante se houvesse um espaço para as dúvidas mais freqüentes sobre o assunto, exemplos e as definições gramaticais, além de frases contextualizadas para que o usuário possa perceber o uso efetivo desse sinal gráfico.

A página de abertura poderia ser aprimorada, de modo que, ao ser aberta, oferecesse aspectos teóricos a serem analisados pelos alunos, por exemplo. Há também os casos que o programa não consegue processar a frase quando essa foge à regra, de modo que nenhuma das alternativas sugeridas pelo sistema caberia como adequada no uso. Cabe ressaltar, também, a importância de serem colocadas no sistema as expressões idiomáticas, para que o mesmo possa reconhecê-las e auxiliar o usuário a utilizá-las. Segue um exemplo.

Na sentença "à beira de um ataque de nervos" caberia "para a beira de um ataque de nervos" ou "na beira de um ataque de nervos" ou "a uma beira de um ataque de nervos" ou "da beira de um ataque de nervos" ou "em a beira de um ataque de nervos" ? (Carlos Alexandre, Danielle Pessoa, Luciana Moreno e Nádia Raquel)

  • Inicialmente observamos que para todas as atividades propostas é imprescindível o auxílio ou a explicação prévia do seu funcionamento pelo professor/mediador. No teste da crase verificamos que o que há é apenas as regras de uso. Auxilia em casos mais simples, mas não esclarece dúvidas mais específicas com relação ao uso deste acento. (Aline, Delziêta, Ivete e Selma)
  • Com relação ao teste de crase nós o achamos bem interessante, pois após apresentarmos a frase e na seqüência verificarmos a correção, nos é apresentado uma lista de possibilidades de verificação da correção, e ainda, nos é apresentado algumas observações que suprem possíveis outras dúvidas. (Charles, Jonas, Núbia e Giuvania)
  • Na página www.textolivre.org/teste/crase/crase.php podemos observar que o exercício relacionado com o tema da crase apresenta uma boa formulação da questão: "digite a frase colocando a crase no lugar onde pensa que ela deveria estar". A questão é clara, de fácil entendimento. Ao ser verificada a resposta, aparecem várias situações para esclarecer as dúvidas. Contudo os exemplos dados mostram apenas as preposições variantes de "a" conjunta ao artigo feminino que a palavra seguinte exige, não atendendo a todos os casos gramaticais que pedem o uso da crase. Não há um embasamento teórico suficiente para tirar dúvidas. (Elaine Crepaldi, Filipe Moreira, Lucas Marquesini, Maria Aparecida Araújo, Maria Sueli)
  • No primeiro caso da crase, por exemplo, além dos artifícios linguísticos para perceber o uso dela ou não, poderiam ser anexadas regras gramaticais para possibilitar o entendimento do uso. É imprescindível que o aluno perceba que a crase nada mais é do que a junção da preposição a com o artigo definido a. Somente os artifícios linguísticos usados não levam a esse entendimento. (Carlos Fernandes, Cleonice Osmara, Andreia Narcisa e Solange Catarina)
  • Muito louvável a intenção de criar uma página de consulta sobre um assunto que gera tantas dúvidas como regras de crase. A idéia de testar o uso do artigo "a" para perceber se há crase é válida e funciona em muitos casos, mas podemos citar algumas falhas.

O site não faz diferença entre a regra de crase para nomes de mulher. Segundo a GT, antes de nomes de mulheres a crase é facultativa, no entanto, ela é proibida se o nome for de uma mulher célebre. Na sentença "dei o livro a Marta Suplicy", segundo a GT, não teria crase, mas o site informa que se for possível a construção "dei o livro para a Marta Suplicy", a crase estaria correta. A construção é possível, mas a crase está errada. Ao digitarmos a sentença "sapato à Luiz XV", o site nos informa que se couber uma das expressões seguintes: "sapato para a Luiz XV" ou "sapato na Luiz XV" ou "sapato a uma Luiz XV" ou "sapato da Luiz XV" ou "sapato em a Luiz XV", então a crase está correta. No entanto, embora nenhuma das alternativas seja cabível, deve sim ocorrer a crase, uma vez que está implícita a expressão “à moda de”. Além disso, ao colocarmos a expressão sem crase, a explicação não faz sentido. O site informa que, se na sentença "sapato a Luiz XV" couber "sapato a Luiz XV", então a crase está correta. Outro ponto percebido é que há uma recorrência da seguinte explicação: “Substitua o substantivo após a crase por um substantivo masculino equivalente e veja se cabe "ao" no lugar da crase. Outra dica: a expressão "à distância de..." é craseada porque nos fornece a medida da distância. "Educação a distância", portanto, não possui crase”. Foi-nos apresentada essa explicação quando demos exemplos de regras de crase antes das palavras “terra” e “distância”, antes de nomes de mulheres célebres e antes de expressões como à moda de. A explicação está correta, mas não explica as regras referentes às dúvidas apresentadas, e tampouco se relaciona com elas. Nossa sugestão é que, se possível, o site desse dicas que se relacionassem com o que foi perguntado. Criar algum mecanismo para que o software identificasse qual regra mais se aproximaria da dúvida seria de grande valia. A explicação sobre quando usar crase antes da palavra "distância", por exemplo, só apareceria se houvesse essa palavra na frase que foi enviada para análise. (Pedro Paulo Taucce, Vanessa Lage Mansur, Veridiane Carvalho)

  • Achamos este site muito interessante e simples, o que facilita a compreensão e o uso. A frase “ Digite a frase colocando a crase no lugar onde pensa que ela deveria estar:”, para quem não está acostumado com a linguagem direta e precisa dos sites, pode gerar dúvida, pois o usuário pode pensar que é um site de exercícios em que tem que copiar uma frase que ele não encontra no site. Depois, o usuário percebe que a frase deve ser elaborada por ele. Sugerimos a substituição dessa frase por outra, de forma a ficar mais preciso: “Digite na lacuna abaixo a frase que lhe suscitou dúvida em relação ao uso da crase. Coloque a crase no lugar onde você pensa que ela deveria estar.”

As explicações sobre o uso da crase que aparecem após a colocação da frase são interessantes. Colocamos várias opções de frases e as respostas têm um padrão. O usuário, ao perceber esse padrão, poderá aprender como se usa a crase. (Aline, Carolina, Fernanda, Gisele, Ieda, Jane, Lamartine, Oséias, Priscilla )

  • Gostei do exercício e é de fácil manuseio. O que talvez melhoraria sua performance seria inserir um box com as possíveis substituições de modo que a frase de resposta seja melhor apresentada. (Ericélia Venturim)
  • Quanto a este site, verificamos que a instrução é bastante clara, porém quando utilizamos a crase inadequadamente esta não me fornece a resposta correta. (Ângela Maria Caetano, Geralda de Fátima Gomes, Graziela Aparecida de Lima, Leila Cordeiro da Cruz)
  • Seria interessante que o uso do “enter” já enviasse a resposta;

o site é um pouco trabalhoso, pois exige uma contextualização por parte do usuário, que precisa ter um domínio maior da língua portuguesa padrão; o programa é eficaz para frases pontuais; frases maiores em outros contextos tornaria a compreensão do programa mais difícil; quando o usuário não tem domínio da língua o programa torna-se complexo. (Eliza, Janaína, Michellini e Shirley)

  • Na página http://www.textolivre.org/teste/crase/crase.php observamos que o exercício que tematiza a crase apresenta uma boa formulação da questão: "digite a frase colocando a crase no lugar onde pensa que ela deveria estar". A atividade é de fácil entendimento para nós professores, mas julgamos que talvez os alunos em nível escolar mais baixo não terão condições de interpretar as explicações, pois algumas ficaram confusas, porque a atividade indica várias frases construídas e não esclarece qual é a opção correta, mas ao ser verificada a resposta, aparecem várias situações que procuram esclarecer as dúvidas. Contudo os exemplos dados apontam as formas diversas de emprego das preposições variantes de "a" conjunta ao artigo feminino que a palavra seguinte exige, deixando a desejar na clareza dos apontamentos feitos pelo programa. (Alba, Anelize, Jeswesley, Leise, Monika, Nilva e Tatiane)
  • Na atividade sobre o uso da crase, a questão apresenta problemas que dificultam o entendimento do enunciado. Qual frase deveria ser digitada?

Quando digitamos a frase “Fomos à praia”, recebemos um grupo de frases para analisarmos e uma resposta adequada ao uso da crase. No entanto, apenas situações em que tivemos a certeza do uso da crase pode ser aplicada na atividade. Isso sugere que antes do jogo é preciso um conhecimento prévio sobre o uso da crase. Fizemos vários testes e percebemos que a regra do uso da crase no exercício é muito limitada. Ela atende a dois casos apenas do uso do sinal: Substitua o substantivo após a crase por um substantivo masculino equivalente e veja se cabe "ao" no lugar da crase. Outra dica: a expressão "à distância de ..." é craseada porque nos fornece a medida da distância. "Educação a distância", portanto, não possui crase. (Cristiane Rungue, Lucia Brasil, Luzinete Oliveira, Miryam Senna, Quezia do Carmo Faria)

  • Este exercício está bem apresentado, porém as propostas de solução das frases digitadas corretas ou incorretamente não esclarecem e não definem gramaticalmente a solução da frase. (Elisabeth José Gonçalves, Maria José de Castro Alves, Oniles Jerônima Rocha Firmiano)
  • Nesta tarefa, percebemos que há um objetivo didático claro - propiciar ao aluno realizar reflexão acerca do uso da crase, sem levá-lo a decorar exemplos ou fazer um estudo metalingüístico. O aprendiz tem a oportunidade de testar possibilidades e, se estas estiverem inadequadas aos padrões gramaticas, o professor, como mediador digital, lhe mostrará outras possibilidades, fazendo-o refletir novamente a respeito do uso correto da crase. Assim, tem-se um ensino de gramática reflexiva. (Bárbara, Rejane e Suelen)
Ferramentas pessoais
Textolivre