Princípios e Organização do Grupo Texto Livre

Esta página foi criada para tornar públicos princípios, organização e forma de colaboração interna do grupo Texto Livre. Se você quer ser colaborador, ou se deseja criar seu grupo e quer algumas dicas, ou mesmo se tem interesse em fazer uma proposta, esta leitura é altamente recomendável.

O Texto Livre foi criado, originalmente, com duas frentes de trabalho: a geração de documentação em software livre e sua divulgação, e a interação entre disciplinas de graduação e comunidades de software livre, respectivamente expandindo seus resultados e abrindo novas opções de colaboradores.

Esse objetivo não mudou, mas foi ampliado e melhor organizado. Aumentamos o foco nos eventos, capazes de um efeito mais apropriado e expansível tanto para comunidades livres quanto para o meio acadêmico, integrando-os e promovendo cooperação recíproca. A revista Texto Livre tornou-se a plataforma acadêmica preferencial do grupo, crescendo na avaliação da CAPES. Diminuiu-se o número de softwares em desenvolvimento para um melhor aproveitamento dos recursos humanos do grupo e concentrar a produção naquilo que, de fato, traz vantagens para nossas atividades. A estrutura de hardware possui hoje uma parte interna e outra externa à UFMG (paga, mantida pelos membros das diretorias), buscando aproveitar o que de melhor há em cada uma, sempre em servidores Gnu/Linux.

O grupo segue os princípios e fundamentos da Cultura Livre e é dever de cada integrante ser fiel e divulgar os seguintes princípios:

  • Colaboratividade: é a postura da pessoa colaborativa, que trabalha em equipe e que tem como fundamento a ideia de que, num grupo, quando um cresce, todos crescem, de modo que qualquer ação para contribuir com o próprio crescimento ou com o crescimento do outro é altamente valorizada.
  • Compartilhamento: decorre do primeiro princípio, pois, para que todos cresçam, o conhecimento de um deve ser acessível pelo outro, na esteira da Ciência Aberta, desde que também livre (uso de software e recursos livres).
  • Software livre: a vantagem de usar software livre é que não somente o conteúdo veiculado e criado com qualquer software afeta o resultado da produção para a comunidade. Um software pode restringir a liberdade de quem o usa e, no caso do software proprietário – não livre – isso é irreversível e muitas vezes não é sequer detectável. No software livre, mesmo que, por descuido ou acaso ou até intenção, haja restrição na liberdade do usuário, ele pode ser alterado e sempre pode ser encontrada a fonte da restrição, em alguns casos atém mesmo por leigos em computação. Assim, é um dos princípios fundamentais do grupo o uso de software livre em todas as situações em que este for uma opção viável;
  • Respeito à diversidade: decorre de todas as anteriores: colaborar, compartilhar e ser livre só são possíveis com respeito à individualidade e liberdade de cada pessoa ou equipe; na falta do respeito à diversidade, tais princípios podem tornar-se uma prisão ou um fator sério de exclusão.

Por isso, tudo que fazemos é livre e aberto e a estrutura organizacional

O Texto Livre hoje trabalha com uma estrutura de diretorias:

  • diretoria geral: mantém e cobra a integridade, em todos os sentidos, do grupo, provê recursos para uma boa comunicação interna, além de responder institucionalmente pelo TL. Formada por Diretora Geral e sua vice;
    • conta com o apoio da Secretaria Geral (e vice) para realização de suas atividades,
    • possui na equipe o Oráculo dos Livres, para gerenciamento de dados sobre software livre;
  • diretorias de eventos: um diretor para cada evento:
    • EVIDOSOL/CILTEC-online,
    • UEADSL,
    • STIS;
  • diretorias de recursos:
    • diretora de publicações,
    • diretor de software,
    • diretor de hardware.

 

DIREITOS E DEVERES DOS DIRETORES DO TEXTO LIVRE

Um diretor possui autonomia para:

  • tomar decisões;
  • escolher colaboradore;
  • gerenciar a equipe, inclusive decidindo a melhor estrutura para ela;
  • angariar fundos (isso é raro ser necessário, mas acontece;
  • buscar oportunidade;
  • escolher temas etc etc etc.

Cada diretoria deve, em todas suas atividades:

  • prezar pelo bom nome do Texto Livre;
  • ser fiel aos princípios do grupo;
  • valorizar os integrantes da equipe e colaboradores conforme suas atividades;
    • informar à direção geral nomes de colaboradores que devem entrar no Diretório de Grupos do CNPq, receber certificados e qualquer outra ação que fortaleça essa valorização;
  • divulgar o grupo em todas as ações;
  • proporcionar aos membros de sua equipe uma experiência condizente com nossos princípios;
  • capacitar a equipe no uso de software livre.

 

DIREITOS E DEVERES DOS COLABORADORES/MEMBROS DO TEXTO LIVRE

Ser membro do Texto Livre significa estar atuando como colaborador em alguma de suas instâncias. A lista de colaboradores (inscreva-se aqui) é a lista geral dos membros, em atividade ou aguardando sua oportunidade para colaborar.

Os colaboradores devem:

  • cumprir as atividades assumidas no prazo acordado/necessário e, caso isso não seja possível em determinado momento, encontrar e sugerir um substituto.
  • seguir os princípios do grupo na relação com os diretores e quaisquer outros membros do grupo.

Tem direito a:

  • receber certificados e declarações sobre seu trabalho no grupo,
  • participar das atividades sempre que uma oportunidade adequada a seu perfil e desejo surgirem,
  • solicitar afastamento temporário a vida pessoal e/ou profissional exigir;
  • fazer sugestões,
  • criar propostas,
  • trazer oportunidades,
  • divulgar atividades do grupo,
  • realizar pesquisa-ação nos diversos ambientes do grupo (nesse caso é importante informar à direção geral e seguir a orientação da ética em pesquisa).

39total visits,2visits today